Conheça o híbrido de sorgo boliviano gigante que produz até 120 toneladas por hectare

20 julho 2018
2007 - SORGO GIGANTE

Uma variedade híbrida de sorgo, conhecida como sorgo boliviano gigante, está chamando a atenção de pecuaristas brasileiros pelo potencial de produção de volumoso de baixo custo. A planta cresce facilmente entre 4,5 m a 6,5 m, dependendo da fertilidade do solo e da incidência de chuvas, produzindo até 120 toneladas de matéria em um único corte e uma silagem produzida que varia entre R$ 40 e R$ 60 por tonelada, contabilizando custos da logística de plantio, corte, transporte e lona.

Quem falou ao Giro do Boi sobre o “sorgão” foi o zootecnista e consultor Antônio Machado, que atende produtores em Goiás e Tocantins. O especialista afirmou que as qualidades do híbrido vão além de seu tamanho expressivo. O sorgo gigante apresenta resistência aos veranicos, pragas, como lagartas e nematoides, tem desempenho positivo em solos arenosos e beneficia o solo promovendo sua descompactação pelas raízes profundas, que medem entre 4 e 5 metros, o que também ajuda na reciclagem dos nutrientes.

A variedade também é recomendada para consórcio em diferentes sistemas. “80% dos plantios que a gente realizou na região de Goiás e Tocantins foram com capins. E eu achei no início que poderia não dar certo por causa do tamanho dele e, no entanto, foi uma surpresa muito boa. Não afetou em nada o desenvolvimento do capim. A hora que a gente recolheu a silagem, o capim desenvolveu normalmente”, aprovou.

O zootecnista lembrou que o “sorgão” também é compatível em integração com o milho pela diferença da velocidade de crescimento entre as plantas e pode produzir um bom volume de biomassa para formação de palhada, muito útil no plantio da soja. Em seu uso para nutrição animal, uma de suas vantagens é um índice de sacarose um pouco maior em comparação com outras variedades, o que torna o sorgo gigante palatável aos bovinos.

Entre os pontos de atenção para não errar no cultivo da variedade está a época de plantio. A semeadura feita logo no início das chuvas permite ao “sorgão” expressar todo o seu potencial. Ainda sobre a semeadura, as plantas não devem ficar muito próximas, sendo que a recomendação é distribuir entre 140 e 150 mil sementes por hectare. Se o produtor quiser ter bom rendimento no segundo corte, a adubação feita no plantio deve ser maior. É preciso ficar de olho em lagartas também após o primeiro corte, mas quando a planta voltar a crescer, elas não representam mais problemas.

O consultor se disponibilizou a tirar dúvidas sobre o cultivo do sorgo boliviano gigante pelo e-mail antonio@protecaoativa.agr.br. Veja mais detalhes na entrevista completa no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Exportações de carne foram destaque em 2018, mas exigência por qualidade aumenta

Em entrevista ao Giro do Boi, Renato Costa, presidente da JBS Carnes, ponderou que clientes estão rejeitando carne de gado abatido com mais de 30 meses

Confira as fazendas em destaque do dia 19 de dezembro de 2018

Fazendas nos estados de São Paulo, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Que tal uma costela defumada como prato principal do seu fim de ano?

Corte é assado em churrasqueira tipo defumadora, também chamada de pit, e tem técnica especial para ser preparado; conheça os segredos

Mulheres do agro ainda são discriminadas, indica pesquisa feita em 17 países

De mais de 4 mil produtoras entrevistadas, 66% apontaram que sofrem discriminação de gênero; no Brasil, número sobe para 77%

Conheça o híbrido de sorgo boliviano gigante que produz até 120 toneladas por hectare

20 julho 2018
2007 - SORGO GIGANTE

Uma variedade híbrida de sorgo, conhecida como sorgo boliviano gigante, está chamando a atenção de pecuaristas brasileiros pelo potencial de produção de volumoso de baixo custo. A planta cresce facilmente entre 4,5 m a 6,5 m, dependendo da fertilidade do solo e da incidência de chuvas, produzindo até 120 toneladas de matéria em um único corte e uma silagem produzida que varia entre R$ 40 e R$ 60 por tonelada, contabilizando custos da logística de plantio, corte, transporte e lona.

Quem falou ao Giro do Boi sobre o “sorgão” foi o zootecnista e consultor Antônio Machado, que atende produtores em Goiás e Tocantins. O especialista afirmou que as qualidades do híbrido vão além de seu tamanho expressivo. O sorgo gigante apresenta resistência aos veranicos, pragas, como lagartas e nematoides, tem desempenho positivo em solos arenosos e beneficia o solo promovendo sua descompactação pelas raízes profundas, que medem entre 4 e 5 metros, o que também ajuda na reciclagem dos nutrientes.

A variedade também é recomendada para consórcio em diferentes sistemas. “80% dos plantios que a gente realizou na região de Goiás e Tocantins foram com capins. E eu achei no início que poderia não dar certo por causa do tamanho dele e, no entanto, foi uma surpresa muito boa. Não afetou em nada o desenvolvimento do capim. A hora que a gente recolheu a silagem, o capim desenvolveu normalmente”, aprovou.

O zootecnista lembrou que o “sorgão” também é compatível em integração com o milho pela diferença da velocidade de crescimento entre as plantas e pode produzir um bom volume de biomassa para formação de palhada, muito útil no plantio da soja. Em seu uso para nutrição animal, uma de suas vantagens é um índice de sacarose um pouco maior em comparação com outras variedades, o que torna o sorgo gigante palatável aos bovinos.

Entre os pontos de atenção para não errar no cultivo da variedade está a época de plantio. A semeadura feita logo no início das chuvas permite ao “sorgão” expressar todo o seu potencial. Ainda sobre a semeadura, as plantas não devem ficar muito próximas, sendo que a recomendação é distribuir entre 140 e 150 mil sementes por hectare. Se o produtor quiser ter bom rendimento no segundo corte, a adubação feita no plantio deve ser maior. É preciso ficar de olho em lagartas também após o primeiro corte, mas quando a planta voltar a crescer, elas não representam mais problemas.

O consultor se disponibilizou a tirar dúvidas sobre o cultivo do sorgo boliviano gigante pelo e-mail antonio@protecaoativa.agr.br. Veja mais detalhes na entrevista completa no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Em entrevista ao Giro do Boi, Renato Costa, presidente da JBS Carnes, ponderou que clientes estão rejeitando carne de gado abatido com mais de 30 meses

Fazendas nos estados de São Paulo, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Corte é assado em churrasqueira tipo defumadora, também chamada de pit, e tem técnica especial para ser preparado; conheça os segredos

De mais de 4 mil produtoras entrevistadas, 66% apontaram que sofrem discriminação de gênero; no Brasil, número sobe para 77%

Fazendas nos estados de Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Situação se deve à ocorrência do El Niño, que deve ser confirmado em breve. Embora as precipitações variem, índices pluviométricos devem ficar na média

Fazendas nos estados de São Paulo, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

De mais de 4 mil produtoras entrevistadas, 66% apontaram que sofrem discriminação de gênero; no Brasil, número sobe para 77%

Pecuarista deve fazer download do Termo de Adesão e entregar assinado aos compradores de gado das unidades da indústria; veja como tirar suas dúvidas sobre o processo

Situação se deve à ocorrência do El Niño, que deve ser confirmado em breve. Embora as precipitações variem, índices pluviométricos devem ficar na média

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE