Cinco dicas para não errar no transporte do gado magro nesta entressafra

15 junho 2018
dicas-transporte-gado-magro

Nesta sexta, 15, foi apresentada mais uma edição do quadro Giro na Estrada. Desta vez, o foco foi o transporte de gado magro, de olho no período de reposição com a chegada da estação seca, quando os confinamentos são mais acionados. Seja para enviar a boiada para o boitel ou para comprar animais aproveitando a folga da pastagens, por exemplo, o pecuarista deve prestar atenção no transporte da categoria para não prejudicar seu desempenho.

“O pecuarista coloca toda essa produção (ou reposição) dele em risco em um curto período”, alertou Vieira, referindo-se ao transporte, muitas vezes entre grandes distâncias. Para auxiliar o produtor a tomar todas as providências necessárias para não sofrer prejuízos nesta etapa do ciclo produtivo, ele listou cinco pontos de atenção:

1 – Saber a quantidade específica a ser transportada para definir o número de veículos destacados para a operação e, se possível, dar preferência para veículos de grande porte para diluir o custo do transporte por cabeça;
2 – Avaliar as áreas de embarque e desembarque para se certificar que não existem pontos em que os animais podem se contundir e onde o veículo possa estacionar sem problemas;
3 – Verificar a distância e as condições da estrada, pois quanto mais curta for a distância ao destino final e menos acidentado for o relevo da estrada, melhor será a viagem;
4 – Programar o embarque e o desembarque para que as equipes de logística e da fazenda trabalhem de maneira calma, sem atropelo e sem estressar o gado;
5 – Dar preferência a empresas especializadas no transporte de bovinos e buscar informações sobre o seguro da carga.

Veja as informações completas clicando no play do vídeo:

VEJA TAMBÉM

Mão de obra é 2ª maior preocupação do pecuarista; como formar equipe com os melhores profissionais?

Consultor Antônio Chaker elaborou lista com três passos para o fazendeiro atrair e fidelizar os melhores profissionais para a sua propriedade

Confira as fazendas em destaque do dia 14 de dezembro de 2018

Fazendas nos estados de Goiás, São Paulo e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Revelado o vencedor da eleição para o melhor lote de novembro

Lote ganhador foi composto por novilhas precoces, entre zero e dois DIPs (dentes incisivos permanentes) e marcou 99% Verde no Farol da Qualidade

Brasil perde 16 milhões de cabeças de gado por ano por falhas na sanidade

Número representa uma taxa de mortalidade de 8% no rebanho total de 200 milhões de cabeças. “É uma ineficiência enorme”, lamentou professor da Unesp

Cinco dicas para não errar no transporte do gado magro nesta entressafra

15 junho 2018
dicas-transporte-gado-magro

Nesta sexta, 15, foi apresentada mais uma edição do quadro Giro na Estrada. Desta vez, o foco foi o transporte de gado magro, de olho no período de reposição com a chegada da estação seca, quando os confinamentos são mais acionados. Seja para enviar a boiada para o boitel ou para comprar animais aproveitando a folga da pastagens, por exemplo, o pecuarista deve prestar atenção no transporte da categoria para não prejudicar seu desempenho.

“O pecuarista coloca toda essa produção (ou reposição) dele em risco em um curto período”, alertou Vieira, referindo-se ao transporte, muitas vezes entre grandes distâncias. Para auxiliar o produtor a tomar todas as providências necessárias para não sofrer prejuízos nesta etapa do ciclo produtivo, ele listou cinco pontos de atenção:

1 – Saber a quantidade específica a ser transportada para definir o número de veículos destacados para a operação e, se possível, dar preferência para veículos de grande porte para diluir o custo do transporte por cabeça;
2 – Avaliar as áreas de embarque e desembarque para se certificar que não existem pontos em que os animais podem se contundir e onde o veículo possa estacionar sem problemas;
3 – Verificar a distância e as condições da estrada, pois quanto mais curta for a distância ao destino final e menos acidentado for o relevo da estrada, melhor será a viagem;
4 – Programar o embarque e o desembarque para que as equipes de logística e da fazenda trabalhem de maneira calma, sem atropelo e sem estressar o gado;
5 – Dar preferência a empresas especializadas no transporte de bovinos e buscar informações sobre o seguro da carga.

Veja as informações completas clicando no play do vídeo:

VEJA TAMBÉM

Consultor Antônio Chaker elaborou lista com três passos para o fazendeiro atrair e fidelizar os melhores profissionais para a sua propriedade

Fazendas nos estados de Goiás, São Paulo e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Lote ganhador foi composto por novilhas precoces, entre zero e dois DIPs (dentes incisivos permanentes) e marcou 99% Verde no Farol da Qualidade

Número representa uma taxa de mortalidade de 8% no rebanho total de 200 milhões de cabeças. “É uma ineficiência enorme”, lamentou professor da Unesp

Gado foi enviado pela propriedade da família Rojas – o pai Djalma e seu filho Rogério Catanduva, marcando 75% Verde no Farol da Qualidade

Fazendas nos estados do Tocantins, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaque do quadro Giro pelo Brasil; confira lotes e Farol da Qualidade.

Fazendas nos estados de Goiás, São Paulo e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Novo aplicador conta com protetor de agulha que reforça higiene do dispositivo e facilita na formação de pregas para vacinas subcutâneas, como a aftosa

Evento acontecerá dias 15 e 16/12 na Estância Dama, em Pilar do Sul, cidade localizada na região de Sorocaba, no interior do estado de São Paulo

Estrutura imobiliza o bezerro recém-nascido e não permite o acesso da vaca ao local de manejo, garantindo a segurança e a praticidade para o peão

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE