Fazenda de GO produz 42 arrobas por hectare ao ano em pastagem de Tifton

31 agosto 2017
CAPA - 31

Nesta quinta-feira, 31, foi ao ar mais uma reportagem inédita da série Rota do Boi. Desta vez a história de sucesso veio do município de Montividiu, próximo às cidades de Jataí e Rio Verde, no interior de Goiás. A Fazenda São Geraldo que pertence ao Grupo Valim, é de uma família tradicional na pecuária, começando pelo patriarca José Luiz Valim de 84 anos, que além de apaixonado pela atividade é um dos mais antigos engenheiros agrônomos no Brasil. E não tem como contar a história da Fazenda São Geraldo, sem antes conhecer a vida de José Luiz, que abandonou a intenção de cursar medicina e escolheu agronomia. “Passei no vestibular, não fiz a matrícula, e fui fazer o preparatório para agronomia na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro”, revelou o pecuarista.  O interesse em entender melhor as necessidades do solo para aumentar a produtividade guiaram a sua nova trajetória profissional que se transformou em referência na pecuária por várias gerações. O que chamou atenção na agronomia é a influência da qualidade do solo na rentabilidade da fazenda,  conhecimento que logo levou a descoberta e vantagens da forrageira tifton.

  Desde 1965, o pecuarista vem adotando o regime de confinamento para terminação do gado,  a Fazenda São Geraldo se tornou uma das pioneiras na adoção do sistema que é conduzida com adoção de tecnologias e profissionais qualificados e experientes. Valim ressalta a necessidade de  realizar reciclagens nas equipes e valoriza a vivência dos profissionais em outros trabalhos.

Carlos Alberto Borges é o gestor pecuário da fazenda. O profissional comenta que os animais recém chegados na propriedade passam por protocolos sanitários, registros para que o desempenho do animal seja acompanhado de forma individual. Outro procedimento adotado é com relação às pastagens que é dividida em dois tipos de forrageiras Tifton e Brachiarão. O objetivo é o ganho de 700 gramas ao dia. As áreas de Tifton recebem  20 cabeças por hectare e de Brachiarão 10 cabeças. Com suplementação o peso vivo pode chegar a 1%. A utilização da forrageira Tifton se tornou diferencial na fazenda, que garante o ganho entre 40@ a 42@ por hectare ao ano. “Não é só produzir bem, é manejar bem esse pasto”, comenta o gestor da fazenda.

Veja a reportagem completa da 15ª temporada da Rota do Boi.

Nesta sexta-feira, 1º de setembro será exibida a segunda parte da reportagem.

Confira a reportagem anterior clicando abaixo:

Carpa Serrana aumenta produtividade em sistemas integrados Carpa Serrana aumenta produtividade em sistemas integrados

VEJA TAMBÉM

Porto Velho-RO recebe 7ª etapa do Circuito Nelore de Qualidade 2019

Abate técnico feito em parceria entre Associação dos Criadores de Nelore do Brasil e Friboi reuniu mais de 500 animais na capital de Rondônia entre 13 e 14 de junho

Confira as fazendas em destaque do dia 19 de junho de 2019

Fazendas localizadas em Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Brasil deve encerrar ano Hilton exportando menos da metade do volume da cota

Além da vantagem comercial, inserção da carne brasileira no mercado europeu pode aproveitar vitrine do Velho Continente para chancelar a qualidade do produto

Consultor alerta para os perigos dos contratos de arrendamento e parceria mal elaborados

No quadro Direito Agrário, veja 12 dicas para redigir um contrato que proteja tanto o arrendador quanto o arrendatário em meio a um acordo

Fazenda de GO produz 42 arrobas por hectare ao ano em pastagem de Tifton

31 agosto 2017
CAPA - 31

Nesta quinta-feira, 31, foi ao ar mais uma reportagem inédita da série Rota do Boi. Desta vez a história de sucesso veio do município de Montividiu, próximo às cidades de Jataí e Rio Verde, no interior de Goiás. A Fazenda São Geraldo que pertence ao Grupo Valim, é de uma família tradicional na pecuária, começando pelo patriarca José Luiz Valim de 84 anos, que além de apaixonado pela atividade é um dos mais antigos engenheiros agrônomos no Brasil. E não tem como contar a história da Fazenda São Geraldo, sem antes conhecer a vida de José Luiz, que abandonou a intenção de cursar medicina e escolheu agronomia. “Passei no vestibular, não fiz a matrícula, e fui fazer o preparatório para agronomia na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro”, revelou o pecuarista.  O interesse em entender melhor as necessidades do solo para aumentar a produtividade guiaram a sua nova trajetória profissional que se transformou em referência na pecuária por várias gerações. O que chamou atenção na agronomia é a influência da qualidade do solo na rentabilidade da fazenda,  conhecimento que logo levou a descoberta e vantagens da forrageira tifton.

  Desde 1965, o pecuarista vem adotando o regime de confinamento para terminação do gado,  a Fazenda São Geraldo se tornou uma das pioneiras na adoção do sistema que é conduzida com adoção de tecnologias e profissionais qualificados e experientes. Valim ressalta a necessidade de  realizar reciclagens nas equipes e valoriza a vivência dos profissionais em outros trabalhos.

Carlos Alberto Borges é o gestor pecuário da fazenda. O profissional comenta que os animais recém chegados na propriedade passam por protocolos sanitários, registros para que o desempenho do animal seja acompanhado de forma individual. Outro procedimento adotado é com relação às pastagens que é dividida em dois tipos de forrageiras Tifton e Brachiarão. O objetivo é o ganho de 700 gramas ao dia. As áreas de Tifton recebem  20 cabeças por hectare e de Brachiarão 10 cabeças. Com suplementação o peso vivo pode chegar a 1%. A utilização da forrageira Tifton se tornou diferencial na fazenda, que garante o ganho entre 40@ a 42@ por hectare ao ano. “Não é só produzir bem, é manejar bem esse pasto”, comenta o gestor da fazenda.

Veja a reportagem completa da 15ª temporada da Rota do Boi.

Nesta sexta-feira, 1º de setembro será exibida a segunda parte da reportagem.

Confira a reportagem anterior clicando abaixo:

Carpa Serrana aumenta produtividade em sistemas integrados Carpa Serrana aumenta produtividade em sistemas integrados

VEJA TAMBÉM

Abate técnico feito em parceria entre Associação dos Criadores de Nelore do Brasil e Friboi reuniu mais de 500 animais na capital de Rondônia entre 13 e 14 de junho

Fazendas localizadas em Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Além da vantagem comercial, inserção da carne brasileira no mercado europeu pode aproveitar vitrine do Velho Continente para chancelar a qualidade do produto

No quadro Direito Agrário, veja 12 dicas para redigir um contrato que proteja tanto o arrendador quanto o arrendatário em meio a um acordo

Fêmeas Nelore e aneloradas jovens marcaram 75% Verde no Farol da Qualidade após o abate em Mozarlândia-GO

Indústria foi inaugurada em junho de 2014 e é uma das principais empregadoras da região, contando com cerca de 650 colaboradores

Problema se agrava quando propriedades estão mais afastadas da cidade; cursos e cultos religiosos podem diminuir incidentes relacionadas a álcool, drogas e violência doméstica

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Abate técnico feito em parceria entre Associação dos Criadores de Nelore do Brasil e Friboi reuniu mais de 500 animais na capital de Rondônia entre 13 e 14 de junho

Fazendas localizadas em Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE