Brasil perde 14 mi de cabeças de gado ao ano por infestação de parasitas

06 fevereiro 2019
boi-com-carrapato-perde-uma-arroba-por-ano

De acordo com um estudo de parasitologia publicado em 2014, os pecuaristas brasileiros perdem por ano quase 14 milhões de cabeças de gado por infestações de endo e ectoparasitas, como carrapatos, mosca-dos-chifres e nematoides gastrointestinais. O alerta foi reforçado nesta quarta, 06, pelo convidado do Giro do Boi, o médico veterinário e mestre em ciência animal, Rafael Moreira.

Moreira, que é gerente de produtos da Boehringer Saúde Animal, destacou que, no entanto, o problema tem solução. O primeiro passo é o conhecimento do pecuarista sobre os ciclos de vida e reprodução dos parasitos, buscando o melhor momento para o combate de cada um. Com calor e umidade, o carrapato, por exemplo, atinge seu auge reprodutivo, então o controle estratégico pode ser feito nos meses de inverno, quando sua eficiência diminui.

“De uma maneira bem simples, a chuva e o calor favorecem a reprodução da fêmea e a eclosão dos ovos. Ele se reproduz com eficácia à medida que tem chuva e calor. Então quanto mais essas condições se intensificam, mais eficiente é o carrapato em se reproduzir. Por isso é importante o conhecimento desse ciclo, estar atento às fases, a hora em que começa a chuva, o calor, porque é aí que tem que começar a combater o carrapato”, destacou. O artrópode é um dos principais responsáveis por morte de bovinos entre os parasitos, causando uma perda anual estimada em 3,2 milhões de cabeças.

A rotação de pastagens também pode ser uma ferramenta aliada no controle dos carrapatos, eliminando ovos e indivíduos que persistem nas forrageiras durante o inverno, por exemplo. “Importante dizer que quando a gente vê a fêmea, o prejuízo já foi. Você tem que tratar antes de ficar aquele animal muito infestado. A hora que você vê muito carrapato, o prejuízo já foi e vai vir muito mais”, orientou.

O veterinário acrescentou que é importante que o pecuarista tenha consciência no uso correto dos parasiticidas para evitar a criação da resistência de uma população de carrapatos ao princípio ativo. Para tanto, é preciso consultar profissionais como médico veterinários que façam a indicação da melhor molécula e apontem também o momento adequado para a aplicação dela. “Se você fizer uma conta na ponta do lápis, o investimento em sanidade é menos de 4% do custo total de uma propriedade”, calculou Moreira.

Veja a entrevista completa no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Confira as fazendas em destaque do dia 23 de abril de 2019

Fazenda nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Cenário internacional é favorável para a pecuária brasileira, mas produtor deve estar atento à disputa entre China e EUA

Com os preços dos grãos atrativos e o aumento da demanda mundial por carnes, produtores brasileiros têm boas perspectivas para o mercado em 2019

Confira as fazendas em destaque do dia 22 de abril de 2019

Fazenda nos estados de São Paulo, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Definidos os dois primeiros lotes para a votação do melhor de abril

Lote de novilhas Nelore e outro de fêmeas tricross (Nelore, Angus e Wagyu) seguirão para a eleição no final do mês

Brasil perde 14 mi de cabeças de gado ao ano por infestação de parasitas

06 fevereiro 2019
boi-com-carrapato-perde-uma-arroba-por-ano

De acordo com um estudo de parasitologia publicado em 2014, os pecuaristas brasileiros perdem por ano quase 14 milhões de cabeças de gado por infestações de endo e ectoparasitas, como carrapatos, mosca-dos-chifres e nematoides gastrointestinais. O alerta foi reforçado nesta quarta, 06, pelo convidado do Giro do Boi, o médico veterinário e mestre em ciência animal, Rafael Moreira.

Moreira, que é gerente de produtos da Boehringer Saúde Animal, destacou que, no entanto, o problema tem solução. O primeiro passo é o conhecimento do pecuarista sobre os ciclos de vida e reprodução dos parasitos, buscando o melhor momento para o combate de cada um. Com calor e umidade, o carrapato, por exemplo, atinge seu auge reprodutivo, então o controle estratégico pode ser feito nos meses de inverno, quando sua eficiência diminui.

“De uma maneira bem simples, a chuva e o calor favorecem a reprodução da fêmea e a eclosão dos ovos. Ele se reproduz com eficácia à medida que tem chuva e calor. Então quanto mais essas condições se intensificam, mais eficiente é o carrapato em se reproduzir. Por isso é importante o conhecimento desse ciclo, estar atento às fases, a hora em que começa a chuva, o calor, porque é aí que tem que começar a combater o carrapato”, destacou. O artrópode é um dos principais responsáveis por morte de bovinos entre os parasitos, causando uma perda anual estimada em 3,2 milhões de cabeças.

A rotação de pastagens também pode ser uma ferramenta aliada no controle dos carrapatos, eliminando ovos e indivíduos que persistem nas forrageiras durante o inverno, por exemplo. “Importante dizer que quando a gente vê a fêmea, o prejuízo já foi. Você tem que tratar antes de ficar aquele animal muito infestado. A hora que você vê muito carrapato, o prejuízo já foi e vai vir muito mais”, orientou.

O veterinário acrescentou que é importante que o pecuarista tenha consciência no uso correto dos parasiticidas para evitar a criação da resistência de uma população de carrapatos ao princípio ativo. Para tanto, é preciso consultar profissionais como médico veterinários que façam a indicação da melhor molécula e apontem também o momento adequado para a aplicação dela. “Se você fizer uma conta na ponta do lápis, o investimento em sanidade é menos de 4% do custo total de uma propriedade”, calculou Moreira.

Veja a entrevista completa no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Fazenda nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Com os preços dos grãos atrativos e o aumento da demanda mundial por carnes, produtores brasileiros têm boas perspectivas para o mercado em 2019

Fazenda nos estados de São Paulo, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Lote de novilhas Nelore e outro de fêmeas tricross (Nelore, Angus e Wagyu) seguirão para a eleição no final do mês

O presidente da Friboi no Brasil, Renato Costa, também disse que esta celebração do primeiro ano da marca de carnes 1953 atende às necessidades do consumidor que está cada vez mais exigente e esclarecido. “Ele sabe o que está levando para sua casa”, salientou, relembrando a importância do planejamento prévio pelos clientes/fornecedores, principalmente através de...

Expectativa de lucro pode variar de 2,8 a até 10,9@ por hectare, de acordo com exemplos reais de casos analisados pelo consultor Antônio Chaker

Expectativa de lucro pode variar de 2,8 a até 10,9@ por hectare, de acordo com exemplos reais de casos analisados pelo consultor Antônio Chaker

Queda de 15% no preço da soja diminui em 25% o lucro de fazenda que integra, enquanto o lucro de quem faz somente agricultura pode cair até 50%; veja cenário para o boi

Fazenda nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

O presidente da Friboi no Brasil, Renato Costa, também disse que esta celebração do primeiro ano da marca de carnes 1953 atende às necessidades do consumidor que está cada vez mais exigente e esclarecido. “Ele sabe o que está levando para sua casa”, salientou, relembrando a importância do planejamento prévio...

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE