Conheça o híbrido de sorgo boliviano gigante que produz até 120 toneladas por hectare

20 julho 2018
2007 - SORGO GIGANTE

Uma variedade híbrida de sorgo, conhecida como sorgo boliviano gigante, está chamando a atenção de pecuaristas brasileiros pelo potencial de produção de volumoso de baixo custo. A planta cresce facilmente entre 4,5 m a 6,5 m, dependendo da fertilidade do solo e da incidência de chuvas, produzindo até 120 toneladas de matéria em um único corte e uma silagem produzida que varia entre R$ 40 e R$ 60 por tonelada, contabilizando custos da logística de plantio, corte, transporte e lona.

Quem falou ao Giro do Boi sobre o “sorgão” foi o zootecnista e consultor Antônio Machado, que atende produtores em Goiás e Tocantins. O especialista afirmou que as qualidades do híbrido vão além de seu tamanho expressivo. O sorgo gigante apresenta resistência aos veranicos, pragas, como lagartas e nematoides, tem desempenho positivo em solos arenosos e beneficia o solo promovendo sua descompactação pelas raízes profundas, que medem entre 4 e 5 metros, o que também ajuda na reciclagem dos nutrientes.

A variedade também é recomendada para consórcio em diferentes sistemas. “80% dos plantios que a gente realizou na região de Goiás e Tocantins foram com capins. E eu achei no início que poderia não dar certo por causa do tamanho dele e, no entanto, foi uma surpresa muito boa. Não afetou em nada o desenvolvimento do capim. A hora que a gente recolheu a silagem, o capim desenvolveu normalmente”, aprovou.

O zootecnista lembrou que o “sorgão” também é compatível em integração com o milho pela diferença da velocidade de crescimento entre as plantas e pode produzir um bom volume de biomassa para formação de palhada, muito útil no plantio da soja. Em seu uso para nutrição animal, uma de suas vantagens é um índice de sacarose um pouco maior em comparação com outras variedades, o que torna o sorgo gigante palatável aos bovinos.

Entre os pontos de atenção para não errar no cultivo da variedade está a época de plantio. A semeadura feita logo no início das chuvas permite ao “sorgão” expressar todo o seu potencial. Ainda sobre a semeadura, as plantas não devem ficar muito próximas, sendo que a recomendação é distribuir entre 140 e 150 mil sementes por hectare. Se o produtor quiser ter bom rendimento no segundo corte, a adubação feita no plantio deve ser maior. É preciso ficar de olho em lagartas também após o primeiro corte, mas quando a planta voltar a crescer, elas não representam mais problemas.

O consultor se disponibilizou a tirar dúvidas sobre o cultivo do sorgo boliviano gigante pelo e-mail antonio@protecaoativa.agr.br. Veja mais detalhes na entrevista completa no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

ILPF reduz temperatura em até 12º C e consumo de água em 20%

Pesquisadora da Embrapa ressaltou que conforto térmico eleva níveis de produtividade do rebanho, acelerando ganho de peso e aumentando da taxa de prenhez

Tempo seco chega para valer na região central do Brasil e pode causar queimadas

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Definido o melhor lote do mês de maio

Fazenda vencedora vem do estado de Rondônia e levou a disputa com mais de 67% dos votos pelo site do Giro do Boi

2º Roda Sertaneja reúne produtores do norte mato-grossense em Alta Floresta-MT

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Conheça o híbrido de sorgo boliviano gigante que produz até 120 toneladas por hectare

20 julho 2018
2007 - SORGO GIGANTE

Uma variedade híbrida de sorgo, conhecida como sorgo boliviano gigante, está chamando a atenção de pecuaristas brasileiros pelo potencial de produção de volumoso de baixo custo. A planta cresce facilmente entre 4,5 m a 6,5 m, dependendo da fertilidade do solo e da incidência de chuvas, produzindo até 120 toneladas de matéria em um único corte e uma silagem produzida que varia entre R$ 40 e R$ 60 por tonelada, contabilizando custos da logística de plantio, corte, transporte e lona.

Quem falou ao Giro do Boi sobre o “sorgão” foi o zootecnista e consultor Antônio Machado, que atende produtores em Goiás e Tocantins. O especialista afirmou que as qualidades do híbrido vão além de seu tamanho expressivo. O sorgo gigante apresenta resistência aos veranicos, pragas, como lagartas e nematoides, tem desempenho positivo em solos arenosos e beneficia o solo promovendo sua descompactação pelas raízes profundas, que medem entre 4 e 5 metros, o que também ajuda na reciclagem dos nutrientes.

A variedade também é recomendada para consórcio em diferentes sistemas. “80% dos plantios que a gente realizou na região de Goiás e Tocantins foram com capins. E eu achei no início que poderia não dar certo por causa do tamanho dele e, no entanto, foi uma surpresa muito boa. Não afetou em nada o desenvolvimento do capim. A hora que a gente recolheu a silagem, o capim desenvolveu normalmente”, aprovou.

O zootecnista lembrou que o “sorgão” também é compatível em integração com o milho pela diferença da velocidade de crescimento entre as plantas e pode produzir um bom volume de biomassa para formação de palhada, muito útil no plantio da soja. Em seu uso para nutrição animal, uma de suas vantagens é um índice de sacarose um pouco maior em comparação com outras variedades, o que torna o sorgo gigante palatável aos bovinos.

Entre os pontos de atenção para não errar no cultivo da variedade está a época de plantio. A semeadura feita logo no início das chuvas permite ao “sorgão” expressar todo o seu potencial. Ainda sobre a semeadura, as plantas não devem ficar muito próximas, sendo que a recomendação é distribuir entre 140 e 150 mil sementes por hectare. Se o produtor quiser ter bom rendimento no segundo corte, a adubação feita no plantio deve ser maior. É preciso ficar de olho em lagartas também após o primeiro corte, mas quando a planta voltar a crescer, elas não representam mais problemas.

O consultor se disponibilizou a tirar dúvidas sobre o cultivo do sorgo boliviano gigante pelo e-mail antonio@protecaoativa.agr.br. Veja mais detalhes na entrevista completa no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Pesquisadora da Embrapa ressaltou que conforto térmico eleva níveis de produtividade do rebanho, acelerando ganho de peso e aumentando da taxa de prenhez

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Fazenda vencedora vem do estado de Rondônia e levou a disputa com mais de 67% dos votos pelo site do Giro do Boi

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Fazenda localizada em Ribeirão Cascalheira, estado do Mato Grosso, foi destaque do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Cerimônia foi marcada por assinatura de protocolo de intenções de colaboração entre ministérios da Agricultura, Meio Ambiente, Defesa e Relações Exteriores

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Advogado recomenda que produtor não assine notificações caso o fiscal não esclareça de forma satisfatória os motivos da penalização

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Quadro Giro na Estrada trouxe dicas de embarque aos invernistas ativos no mercado da reposição nesta entressafra

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE