Do “tocador de fazenda” ao empresário rural: o desafio de gestão para o pecuarista de sucesso

10 julho 2019
tocador-de-fazendas-ou-empresario-rural

“Como saber se você está se comportando como ‘tocador de fazenda’?”, começa questionando em seu artigo intitulado “Gestão é um desafio para quem deu certo” a gerente de consultoria do Rabobank Brasil, Daniela Sampaio. Sampaio, que possui mestrado em administração de negócios e soma 25 anos de experiência com planejamento e estratégia nos setores do agro e da indústria, foi a convidada especial do Giro do Boi desta quarta, dia 10.

“O produtor tem que estar preparado para fazer a lição de casa. Tem oportunidade para crescimento, para crescer em produtividade, oportunidades para capturar em redução de custos, mas tem que se planejar. Se não tiver planejamento neste sentido, o produtor vai perdendo oportunidades ao longo do caminho”, afirmou Daniela.

Uma das maneiras de aproveitar estes espaços para melhorias é justamente deixar de lado o perfil “tocador de fazenda”. Veja na lista abaixo alguns hábitos deste perfil de gestor, listados pela especialista:

– Se apegam ao “caderninho” ou a planilhas paralelas;
– O trabalho não acontece se o dono não estiver presente, pois somente ele toma decisões;
– Sensação de correria e que se está sempre “apagando incêndios”;
– Os filhos reclamam, pois não conseguem se inserir direito na atividade;
– Decisões de investimento são tomadas por intuição.

O abandono destes hábitos está ligado ao aumento de pressões que o próprio pecuarista sofre dentro de sua porteira. A escalada do valor da terra e o aumento da competitividade, entre outros fatores, reforçam a necessidade da eficiência, de investimentos maiores em tecnologia e gestão. A boa notícia é que o agro brasileiro tem a resposta para este desafio. “Por outro lado a gente tem o agro que deu certo. Um agro que cresceu e isso tem atraído também as próximas gerações para trabalhar junto com o produtor”, acrescentou a gerente.

“Se você se identificou com um pouco do que a gente falou, ficou preocupado, pense que esta é uma preocupação boa, que gera melhoria, uma preocupação que gera desenvolvimento”, tranquilizou Daniela Sampaio. Ela listou duas medidas a serem tomadas para quem quer se transformar de “tocador de fazenda” em empresário rural de olho nas tendências que o agro no Brasil e no mundo têm incorporado.

A primeira delas é conversar com a família, tendo em vista que boa parte das fazendas são empresas familiares. A partir desta interação, abordar o que espera do futuro, que direções o negócios deve tomar e traçar planos para alcançar os objetivos. A segunda medida é trazer para a sua fazenda ferramentas de gestão e controle de indicadores. “Comece colocando controles e alinhando a visão de futuro com sua família”, resumiu a gerente do Rabobank.

Veja a entrevista completa com Daniela Sampaio no vídeo que segue:

VEJA TAMBÉM

Todo imóvel rural precisa ter uma área de reserva legal?

No quadro Direito Agrário desta terça-feira, 17, o advogado Pedro Puttini Mendes, especialista em direito ambiental, falou sobre uma dúvida frequente e recorrente do produtor

O que é verdadeiro e o que é fake news na hora de escolher um touro?

Com a chegada da temporada de leilões de touros no Brasil, as ofertas e opções são inúmeras. Mas será que tudo que se diz é verdade? Será que o reprodutor que cobrir a vacada vai resultar em bons bezerros para o criador?

Confira as fazendas em destaque do dia 17 de setembro de 2019

Originadores apresentaram lotes dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Confira as participações.

Unidade de Marabá-PA recebe mais uma etapa do Circuito Nelore de Qualidade 2019

O abate técnico reuniu cerca de 946 cabeças de 16 pecuaristas do estado. Os produtores irão concorrer para melhores lotes nas categorias machos e fêmeas,o resultado será divulgado ainda nesta semana.

Do “tocador de fazenda” ao empresário rural: o desafio de gestão para o pecuarista de sucesso

10 julho 2019
tocador-de-fazendas-ou-empresario-rural

“Como saber se você está se comportando como ‘tocador de fazenda’?”, começa questionando em seu artigo intitulado “Gestão é um desafio para quem deu certo” a gerente de consultoria do Rabobank Brasil, Daniela Sampaio. Sampaio, que possui mestrado em administração de negócios e soma 25 anos de experiência com planejamento e estratégia nos setores do agro e da indústria, foi a convidada especial do Giro do Boi desta quarta, dia 10.

“O produtor tem que estar preparado para fazer a lição de casa. Tem oportunidade para crescimento, para crescer em produtividade, oportunidades para capturar em redução de custos, mas tem que se planejar. Se não tiver planejamento neste sentido, o produtor vai perdendo oportunidades ao longo do caminho”, afirmou Daniela.

Uma das maneiras de aproveitar estes espaços para melhorias é justamente deixar de lado o perfil “tocador de fazenda”. Veja na lista abaixo alguns hábitos deste perfil de gestor, listados pela especialista:

– Se apegam ao “caderninho” ou a planilhas paralelas;
– O trabalho não acontece se o dono não estiver presente, pois somente ele toma decisões;
– Sensação de correria e que se está sempre “apagando incêndios”;
– Os filhos reclamam, pois não conseguem se inserir direito na atividade;
– Decisões de investimento são tomadas por intuição.

O abandono destes hábitos está ligado ao aumento de pressões que o próprio pecuarista sofre dentro de sua porteira. A escalada do valor da terra e o aumento da competitividade, entre outros fatores, reforçam a necessidade da eficiência, de investimentos maiores em tecnologia e gestão. A boa notícia é que o agro brasileiro tem a resposta para este desafio. “Por outro lado a gente tem o agro que deu certo. Um agro que cresceu e isso tem atraído também as próximas gerações para trabalhar junto com o produtor”, acrescentou a gerente.

“Se você se identificou com um pouco do que a gente falou, ficou preocupado, pense que esta é uma preocupação boa, que gera melhoria, uma preocupação que gera desenvolvimento”, tranquilizou Daniela Sampaio. Ela listou duas medidas a serem tomadas para quem quer se transformar de “tocador de fazenda” em empresário rural de olho nas tendências que o agro no Brasil e no mundo têm incorporado.

A primeira delas é conversar com a família, tendo em vista que boa parte das fazendas são empresas familiares. A partir desta interação, abordar o que espera do futuro, que direções o negócios deve tomar e traçar planos para alcançar os objetivos. A segunda medida é trazer para a sua fazenda ferramentas de gestão e controle de indicadores. “Comece colocando controles e alinhando a visão de futuro com sua família”, resumiu a gerente do Rabobank.

Veja a entrevista completa com Daniela Sampaio no vídeo que segue:

VEJA TAMBÉM

No quadro Direito Agrário desta terça-feira, 17, o advogado Pedro Puttini Mendes, especialista em direito ambiental, falou sobre uma dúvida frequente e recorrente do produtor

Com a chegada da temporada de leilões de touros no Brasil, as ofertas e opções são inúmeras. Mas será que tudo que se diz é verdade? Será que o reprodutor que cobrir a vacada vai resultar em bons bezerros para o criador?

Originadores apresentaram lotes dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Confira as participações.

O abate técnico reuniu cerca de 946 cabeças de 16 pecuaristas do estado. Os produtores irão concorrer para melhores lotes nas categorias machos e fêmeas,o resultado será divulgado ainda nesta semana.

Ao completar 35 anos de existência, o Programa de Melhoramento Genético, começa a ganhar as regiões de pecuária do Brasil. Dessa vez, a capital do Acre, Rio Branco, vai receber nesta semana (18 e 19/09) uma “bateria” de palestras e dinâmicas sobre a importância da genética de ponta para o aumento de produtividade das fazendas.

A maior expedição técnica privada sobre a pecuária de corte no Brasil, apontou ainda crescimento de 25% na produtividade dos amostrados, totalizando 310 propriedades visitadas de 10 estados e 128 municípios. As sete equipes que saíram a campo percorreram 50 mil quilômetros nesta edição do Rally.

No quadro Direito Agrário desta terça-feira, 17, o advogado Pedro Puttini Mendes, especialista em direito ambiental, falou sobre uma dúvida frequente e recorrente do produtor

O Instituto Nacional de Meteorologia, INMET, trouxe uma boa notícia para a agropecuária das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Norte do país. Embora não seja de forte intensidade, a partir do dia 20 de setembro, estados como São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia receberão...

Fazenda Figueira, do município de Paranapanema, interior do estado de São Paulo, foi um dos destaques desta sexta-feira, no Giro do Boi, onde os originadores apresentam os bons modelos de produção e os valores da @ em cada unidade que participa do quadro Giro pelo Brasil.

Originadores apresentaram lotes dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Confira as participações.

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE