IATF pode aumentar em mais de 50% o retorno sobre investimento do criador

24 outubro 2018
iatf-escore-corporal

O Giro do Boi desta quarta, 24, tratou do potencial de retorno financeiro da IATF, técnica utilizada atualmente em 13%, ou 10,4 milhões, das cerca de 80 milhões de matrizes em idade reprodutiva que integram o rebanho bovino brasileiro.

Para repercutir o tema, o convidado foi o economista agroindustrial, mestre em economia aplicada e doutor em administração de empresas, Thiago Bernardino de Carvalho, pesquisador do Cepea, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Esalq-USP.

Segundo o pesquisador, o produtor pode aumentar o retorno sobre investimento em mais de 50% saindo de uma média de prenhez de 50% para até 80%, um resultado possível utilizando a inseminação artificial. “Você sai de uma (taxa de) prenhez de 49% a 50%, chegando a 60%, 70% ou 80%, e seu retorno por capital investido vai aumentando. Eu saio de 1,1, ou seja, cada um real que eu invisto, eu recebo R$ 1,10 centavos, para atingir 1,5 a 1,7 quanto alcanço níveis de prenhez muito altos. E isso parte da tecnificação, da tecnologia da IATF, de estudos que a gente vem acompanhando”, calculou Bernardino.

O especialista destacou que pelo potencial de retorno em produtividade e, consequentemente, financeiro, a técnica pode ser aplicada em até 25% das matrizes brasileiras, o que representaria aproximadamente 20 milhões de fêmeas.

Uma das principais vantagens da IATF, que viabiliza a melhoria do desfrute do pecuarista, está na gestão do rebanho. O pesquisador do Cepea afirmou que com uma estação de monta mais curta na comparação com a monta natural, o criador consegue controlar melhor suas atividade, padronizar o rebanho e fazer um planejamento mais adequado, o que acaba sendo determinante para a tomada de decisão. “Quando você faz IATF o controle se torna mais efetivo, você tem uma padronização do rebanho, da idade e peso dos bezerros ao nascimento”, exemplificou Thiago Bernardino.

No entanto, um dos fatores que limitam a popularização da técnica é a falta de acesso ao conhecimento necessário para aplicá-la no rebanho, sobretudo para pequenos produtores. Para solucionar isto, o pesquisador sugeriu investimentos nas transferência de tecnologia, seja por entidade públicas, como universidades e federações de agricultura e pecuária, ou por empresas do setor privado, que podem alcançar este pequeno produtor.

O trabalho, reforçou Thiago, poderia ser decisivo para melhorar alguns dos índices que prejudicam a competitividade da pecuária brasileira, como o intervalo entre partos médio entre 36 e 42 meses – contra uma média mundial de 25 meses – e uma taxa de prenhez média entre 55% a 60% – contra 90% da média mundial.

Para o produtor que está tomando a decisão de substituir parte da monta natural pela IATF, Bernardino afirmou que o primeiro ponto é conhecer sua fazenda do ponto de vista estrutural e também seus números, como as condições de pasto, de genética e planejamento nutricional, pois estes fatores influenciarão no retorno financeiro da inseminação artificial. “Não adianta colocar o melhor sêmen e contratar o melhor veterinário se não vai ter pasto ou o manejo ideal dos animais”, pontuou.

Veja a entrevista completa pelo vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Confira as fazendas em destaque desta quinta-feira, 19 de setembro

São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia foram os estados que apresentaram os bois de qualidade na manhã desta quinta-feira, 19.

Pecuarista mineiro produz 28 @/ha/ano e quer dobrar produtividade

Um exemplo vindo de uma família de pecuaristas de Minas Gerais, região do pontal do triângulo mineiro, prova que a produção de carne pode ser até mais rentável e segura que a agricultura. Enquanto que a média brasileira de produtividade na pecuária gira em torno de 4@/ha/ano, o jovem engenheiro agrônomo, quinta geração de pecuaristas,...

MS continua sendo destaque no Programa Nelore Natural

A ACNB comemora o melhor ano do programa em mais de 20 de existência. Foi o que destacou no Giro do Boi desta quarta-feira, 19, o gerente regional de Originação – Leste MS, Sérgio Gonçalves. Segundo ele, o estado continua se mantendo na liderança do Circuito Nelore de Qualidade e no Protocolo Nelore Natural, por...

Confinamento de Lucas do Rio Verde, MT, fomenta o “boi das águas”

No Giro pelos Confinamentos desta quarta-feira, 19, o gerente do Confinamento JBS de Lucas do Rio Verde, MT, Helder Pureza, trouxe uma excelente notícia para os confinadores do estado que firmaram parceria no último giro de cocho de 2019.

IATF pode aumentar em mais de 50% o retorno sobre investimento do criador

24 outubro 2018
iatf-escore-corporal

O Giro do Boi desta quarta, 24, tratou do potencial de retorno financeiro da IATF, técnica utilizada atualmente em 13%, ou 10,4 milhões, das cerca de 80 milhões de matrizes em idade reprodutiva que integram o rebanho bovino brasileiro.

Para repercutir o tema, o convidado foi o economista agroindustrial, mestre em economia aplicada e doutor em administração de empresas, Thiago Bernardino de Carvalho, pesquisador do Cepea, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Esalq-USP.

Segundo o pesquisador, o produtor pode aumentar o retorno sobre investimento em mais de 50% saindo de uma média de prenhez de 50% para até 80%, um resultado possível utilizando a inseminação artificial. “Você sai de uma (taxa de) prenhez de 49% a 50%, chegando a 60%, 70% ou 80%, e seu retorno por capital investido vai aumentando. Eu saio de 1,1, ou seja, cada um real que eu invisto, eu recebo R$ 1,10 centavos, para atingir 1,5 a 1,7 quanto alcanço níveis de prenhez muito altos. E isso parte da tecnificação, da tecnologia da IATF, de estudos que a gente vem acompanhando”, calculou Bernardino.

O especialista destacou que pelo potencial de retorno em produtividade e, consequentemente, financeiro, a técnica pode ser aplicada em até 25% das matrizes brasileiras, o que representaria aproximadamente 20 milhões de fêmeas.

Uma das principais vantagens da IATF, que viabiliza a melhoria do desfrute do pecuarista, está na gestão do rebanho. O pesquisador do Cepea afirmou que com uma estação de monta mais curta na comparação com a monta natural, o criador consegue controlar melhor suas atividade, padronizar o rebanho e fazer um planejamento mais adequado, o que acaba sendo determinante para a tomada de decisão. “Quando você faz IATF o controle se torna mais efetivo, você tem uma padronização do rebanho, da idade e peso dos bezerros ao nascimento”, exemplificou Thiago Bernardino.

No entanto, um dos fatores que limitam a popularização da técnica é a falta de acesso ao conhecimento necessário para aplicá-la no rebanho, sobretudo para pequenos produtores. Para solucionar isto, o pesquisador sugeriu investimentos nas transferência de tecnologia, seja por entidade públicas, como universidades e federações de agricultura e pecuária, ou por empresas do setor privado, que podem alcançar este pequeno produtor.

O trabalho, reforçou Thiago, poderia ser decisivo para melhorar alguns dos índices que prejudicam a competitividade da pecuária brasileira, como o intervalo entre partos médio entre 36 e 42 meses – contra uma média mundial de 25 meses – e uma taxa de prenhez média entre 55% a 60% – contra 90% da média mundial.

Para o produtor que está tomando a decisão de substituir parte da monta natural pela IATF, Bernardino afirmou que o primeiro ponto é conhecer sua fazenda do ponto de vista estrutural e também seus números, como as condições de pasto, de genética e planejamento nutricional, pois estes fatores influenciarão no retorno financeiro da inseminação artificial. “Não adianta colocar o melhor sêmen e contratar o melhor veterinário se não vai ter pasto ou o manejo ideal dos animais”, pontuou.

Veja a entrevista completa pelo vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia foram os estados que apresentaram os bois de qualidade na manhã desta quinta-feira, 19.

Um exemplo vindo de uma família de pecuaristas de Minas Gerais, região do pontal do triângulo mineiro, prova que a produção de carne pode ser até mais rentável e segura que a agricultura. Enquanto que a média brasileira de produtividade na pecuária gira em torno de 4@/ha/ano, o jovem engenheiro agrônomo, quinta geração de pecuaristas,...

A ACNB comemora o melhor ano do programa em mais de 20 de existência. Foi o que destacou no Giro do Boi desta quarta-feira, 19, o gerente regional de Originação – Leste MS, Sérgio Gonçalves. Segundo ele, o estado continua se mantendo na liderança do Circuito Nelore de Qualidade e no Protocolo Nelore Natural, por...

No Giro pelos Confinamentos desta quarta-feira, 19, o gerente do Confinamento JBS de Lucas do Rio Verde, MT, Helder Pureza, trouxe uma excelente notícia para os confinadores do estado que firmaram parceria no último giro de cocho de 2019.

O 3º Congresso Nacional de Direito Agrário, que aconteceu recentemente em São Paulo, foi o tema principal do Programa Giro do Boi desta quarta-feira, 18. O evento, que reuniu juristas e profissionais do agro brasileiro, debateu vários assuntos relacionados ao agronegócio entre eles os desafios do setor, a agenda ambiental e as transformações pelas quais...

Na manhã desta quarta-feira, os lotes do Acre e Mato Grosso foram os destaques no Giro do Boi.

No Giro pelos Confinamentos desta quarta-feira, 19, o gerente do Confinamento JBS de Lucas do Rio Verde, MT, Helder Pureza, trouxe uma excelente notícia para os confinadores do estado que firmaram parceria no último giro de cocho de 2019.

GIRO INSPIRAÇÃO

Que jogue a primeira pedra aquele que nunca reclamou de seus problemas. No Giro Inspiração desta quinta-feira, 19, a palestrante motivacional Helda Elaine trouxe mais detalhes dessas barreiras indesejadas que a vida pessoal e profissional podem oferecer

Fazenda Figueira, do município de Paranapanema, interior do estado de São Paulo, foi um dos destaques desta sexta-feira, no Giro do Boi, onde os originadores apresentam os bons modelos de produção e os valores da @ em cada unidade que participa do quadro Giro pelo Brasil.

São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia foram os estados que apresentaram os bois de qualidade na manhã desta quinta-feira, 19.

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE