Mulheres do agro ainda são discriminadas, indica pesquisa feita em 17 países

18 dezembro 2018
mulheres-do-agro-pesquisa-corteva-brasil-mundo

Nesta terça, dia 18, o Giro do Boi recebeu como convidada em seu estúdio a diretora de comunicação da Corteva Agriscience – a divisão agrícola DowDuPont – para a América Latina, Vivian Bialski. Ela apresentou com detalhes os resultados de uma pesquisa encomendada pela companhia e feita entre agosto e setembro e lançada como parte da celebração do Dia Internacional das Mulheres Rurais, estabelecido pela ONU como 15 de outubro.

O levantamento contou com entrevistas de 4.157 produtoras de 17 países, entre elas quase 500 mulheres do agro do Brasil. “O nosso objetivo era tirar um raio-x, ter uma visão 360º de como é que está a mulher no agronegócio e inclusive poder comparar a situação da mulher brasileira com outros 16 países que estão em condição sócio econômica bem diferente do Brasil”, resumiu a diretora.

+ 80% das mulheres rurais do Brasil têm ‘muito orgulho’ de pertencerem ao agro, aponta pesquisa

“A gente constata que cada vez mais a mulher no agronegócio vem desempenhando um papel de protagonismo. Antes a mulher no agro atuava em uma posição de liderança por uma questão circunstancial, porque o marido havia falecido ou porque ela herdou alguma coisa da família. O que a gente notou por meio da pesquisa é que cada vez mais a mulher já vem no papel de protagonismo naturalmente. Isso realmente tem muita relação com a forma com a qual ela lidera, como está no campo, como faz as coisas acontecerem”, complementou.

No entanto, ao passo que exerce papeis de liderança no agro por todo o mundo, a discriminação de gênero é uma percepção generalizada pelas entrevistadas. Em média, 66% das mulheres disseram sofrer discriminação. Nos extremos estão as mulheres da Índia, em que 78% disseram passar por tal situação, e nos EUA, a porcentagem cai para 52%. Neste quesito, o Brasil está próximo do extremo negativo: 77% das mulheres entrevistadas pela pesquisa disseram sofrer discriminação de gênero no agro.

Mas há também uma percepção de que o cenário está melhorando. No Brasil, 62% das mulheres acreditam que hoje há menos discriminação em relação 10 anos. Para vencer estas barreiras, as mulheres sugeriram mudanças como treinamento (80%), algum nível de educação acadêmica (79%), apoio jurídico para mulheres que passam por discriminação de gênero (76%), aumento da conscientização do público sobre as contribuições das mulheres para a indústria do agro (75%) e aumento da conscientização do público sobre a discriminação de gênero (74%).

Mesmo com o cenário adverso, 80% das mulheres do Brasil afirmaram que estão muito orgulhosas de pertencerem ao agro, contra 70% da média global.

Veja os principais números da pesquisa na entrevista completa com Vivian Bialski no vídeo abaixo:

Foto: Divulgação / CNMA

VEJA TAMBÉM

Confira as fazendas em destaque desta quinta-feira, 19 de setembro

São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia foram os estados que apresentaram os bois de qualidade na manhã desta quinta-feira, 19.

Pecuarista mineiro produz 28 @/ha/ano e quer dobrar produtividade

Um exemplo vindo de uma família de pecuaristas de Minas Gerais, região do pontal do triângulo mineiro, prova que a produção de carne pode ser até mais rentável e segura que a agricultura. Enquanto que a média brasileira de produtividade na pecuária gira em torno de 4@/ha/ano, o jovem engenheiro agrônomo, quinta geração de pecuaristas,...

MS continua sendo destaque no Programa Nelore Natural

A ACNB comemora o melhor ano do programa em mais de 20 de existência. Foi o que destacou no Giro do Boi desta quarta-feira, 19, o gerente regional de Originação – Leste MS, Sérgio Gonçalves. Segundo ele, o estado continua se mantendo na liderança do Circuito Nelore de Qualidade e no Protocolo Nelore Natural, por...

Confinamento de Lucas do Rio Verde, MT, fomenta o “boi das águas”

No Giro pelos Confinamentos desta quarta-feira, 19, o gerente do Confinamento JBS de Lucas do Rio Verde, MT, Helder Pureza, trouxe uma excelente notícia para os confinadores do estado que firmaram parceria no último giro de cocho de 2019.

Mulheres do agro ainda são discriminadas, indica pesquisa feita em 17 países

18 dezembro 2018
mulheres-do-agro-pesquisa-corteva-brasil-mundo

Nesta terça, dia 18, o Giro do Boi recebeu como convidada em seu estúdio a diretora de comunicação da Corteva Agriscience – a divisão agrícola DowDuPont – para a América Latina, Vivian Bialski. Ela apresentou com detalhes os resultados de uma pesquisa encomendada pela companhia e feita entre agosto e setembro e lançada como parte da celebração do Dia Internacional das Mulheres Rurais, estabelecido pela ONU como 15 de outubro.

O levantamento contou com entrevistas de 4.157 produtoras de 17 países, entre elas quase 500 mulheres do agro do Brasil. “O nosso objetivo era tirar um raio-x, ter uma visão 360º de como é que está a mulher no agronegócio e inclusive poder comparar a situação da mulher brasileira com outros 16 países que estão em condição sócio econômica bem diferente do Brasil”, resumiu a diretora.

+ 80% das mulheres rurais do Brasil têm ‘muito orgulho’ de pertencerem ao agro, aponta pesquisa

“A gente constata que cada vez mais a mulher no agronegócio vem desempenhando um papel de protagonismo. Antes a mulher no agro atuava em uma posição de liderança por uma questão circunstancial, porque o marido havia falecido ou porque ela herdou alguma coisa da família. O que a gente notou por meio da pesquisa é que cada vez mais a mulher já vem no papel de protagonismo naturalmente. Isso realmente tem muita relação com a forma com a qual ela lidera, como está no campo, como faz as coisas acontecerem”, complementou.

No entanto, ao passo que exerce papeis de liderança no agro por todo o mundo, a discriminação de gênero é uma percepção generalizada pelas entrevistadas. Em média, 66% das mulheres disseram sofrer discriminação. Nos extremos estão as mulheres da Índia, em que 78% disseram passar por tal situação, e nos EUA, a porcentagem cai para 52%. Neste quesito, o Brasil está próximo do extremo negativo: 77% das mulheres entrevistadas pela pesquisa disseram sofrer discriminação de gênero no agro.

Mas há também uma percepção de que o cenário está melhorando. No Brasil, 62% das mulheres acreditam que hoje há menos discriminação em relação 10 anos. Para vencer estas barreiras, as mulheres sugeriram mudanças como treinamento (80%), algum nível de educação acadêmica (79%), apoio jurídico para mulheres que passam por discriminação de gênero (76%), aumento da conscientização do público sobre as contribuições das mulheres para a indústria do agro (75%) e aumento da conscientização do público sobre a discriminação de gênero (74%).

Mesmo com o cenário adverso, 80% das mulheres do Brasil afirmaram que estão muito orgulhosas de pertencerem ao agro, contra 70% da média global.

Veja os principais números da pesquisa na entrevista completa com Vivian Bialski no vídeo abaixo:

Foto: Divulgação / CNMA

VEJA TAMBÉM

São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia foram os estados que apresentaram os bois de qualidade na manhã desta quinta-feira, 19.

Um exemplo vindo de uma família de pecuaristas de Minas Gerais, região do pontal do triângulo mineiro, prova que a produção de carne pode ser até mais rentável e segura que a agricultura. Enquanto que a média brasileira de produtividade na pecuária gira em torno de 4@/ha/ano, o jovem engenheiro agrônomo, quinta geração de pecuaristas,...

A ACNB comemora o melhor ano do programa em mais de 20 de existência. Foi o que destacou no Giro do Boi desta quarta-feira, 19, o gerente regional de Originação – Leste MS, Sérgio Gonçalves. Segundo ele, o estado continua se mantendo na liderança do Circuito Nelore de Qualidade e no Protocolo Nelore Natural, por...

No Giro pelos Confinamentos desta quarta-feira, 19, o gerente do Confinamento JBS de Lucas do Rio Verde, MT, Helder Pureza, trouxe uma excelente notícia para os confinadores do estado que firmaram parceria no último giro de cocho de 2019.

O 3º Congresso Nacional de Direito Agrário, que aconteceu recentemente em São Paulo, foi o tema principal do Programa Giro do Boi desta quarta-feira, 18. O evento, que reuniu juristas e profissionais do agro brasileiro, debateu vários assuntos relacionados ao agronegócio entre eles os desafios do setor, a agenda ambiental e as transformações pelas quais...

Na manhã desta quarta-feira, os lotes do Acre e Mato Grosso foram os destaques no Giro do Boi.

No Giro pelos Confinamentos desta quarta-feira, 19, o gerente do Confinamento JBS de Lucas do Rio Verde, MT, Helder Pureza, trouxe uma excelente notícia para os confinadores do estado que firmaram parceria no último giro de cocho de 2019.

GIRO INSPIRAÇÃO

Que jogue a primeira pedra aquele que nunca reclamou de seus problemas. No Giro Inspiração desta quinta-feira, 19, a palestrante motivacional Helda Elaine trouxe mais detalhes dessas barreiras indesejadas que a vida pessoal e profissional podem oferecer

Fazenda Figueira, do município de Paranapanema, interior do estado de São Paulo, foi um dos destaques desta sexta-feira, no Giro do Boi, onde os originadores apresentam os bons modelos de produção e os valores da @ em cada unidade que participa do quadro Giro pelo Brasil.

São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rondônia foram os estados que apresentaram os bois de qualidade na manhã desta quinta-feira, 19.

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE