Nas mãos de pecuaristas, novo PAINT lança programa que avalia rebanhos comerciais

08 janeiro 2020
ir-paint-programa-avaliacao-rebanho-comercial

Reunindo 66 associados com um rebanho de 60 mil matrizes, o PAINT, Programa de Avaliação e Identificação de Novos Touros, que até 2019 era gerenciado pela CRV Lagoa, está sob nova direção. Uma associação dos pecuaristas afiliados é agora a responsável pelas diretrizes do programa que tem mais de 25 anos de história.

“A CRV Lagoa administrou e comandou o PAINT durante 25 anos, período em que evoluiu absurdamente, identificou muitos animais melhoradores. E aí, como toda empresa, ela passa por reformulações e a CRV Lagoa não foi diferente, ela buscava um novo meio de trabalho, um novo modo de administrar a empresa e surgiu a ideia o PAINT ser comandado por pecuaristas, ou uma associação ou algo neste sentido. A CRV Lagoa nos procurou com este intuito, procurou o comitê técnico que, de certa forma, respondia pelo grupo todo, e com isto trouxe esta ideia. A gente levou para todas as regionais, foi muito bem aceito, todo mundo gostou da ideia”, resumiu o presidente da Associação PAINT, Wellington Bino, em entrevista concedida ao Giro do Boi desta terça, 08. “Até então todo mundo enxergava o PAINT como sendo da CRV Lagoa. Hoje, nós, pecuaristas, enxergamos como o nosso programa, hoje ele é da pecuária brasileira”, acrescentou.

A relação com a central continua expressiva. Ao passo que a CRV Lagoa sendo sendo filiada à Associação PAINT, está previsto em contrato ao menos pelos próximos dez anos que a empresa tem preferência na contratação de touros jovens de cada safra, enquanto os pecuaristas têm condições especiais para a compra de sêmen. Entretanto, Bino informou que o PAINT segue aberto para que outras empresas que tenham relação com o setor sejam associadas.

“2020 tem muita coisa nova chegando. O sistema de avaliação do PAINT é o mesmo, não muda nada, vamos intensificar, verificar uma ou outra falha que possa estar acontecendo ou que tenha ocorrido neste período e corrigir, mas o modo de avaliação mesmo não muda nada. E o que a gente traz de novo? A associação está aberta para qualquer empresa do meio da pecuária ser uma associada, qualquer empresa, seja de nutrição, de saúde animal, de gestão, se ela quer participar deste grupo, ela pode ser uma associada”, revelou.

“O que o PAINT mostra? O PAINT chega na fazenda e cutuca a ferida, vamos dizer desta forma. Ele mostra de fato a realidade da sua fazenda e te coloca dentro dum patamar que você consegue ter uma dimensão de como você está dentro do programa PAINT, se você está produzindo bem, se está produzindo mal, se você, de repente, está no topo da lista dos melhores dentro do programa de melhoramento ou não. Ele te mostra se você precisa melhorar sua precocidade, se precisa melhorar musculatura, ele identifica suas deficiências e apresenta ferramentas que podem corrigir”, explicou.

Segundo Bino, que é pecuarista na cidade de Pedra Bela, interior paulista, a Associação PAINT também vai disponibilizar também uma nova ferramenta para atender não somente seus associados diretos, como também rebanhos parceiros que utilizam material genético (touros ou sêmen) produzidos a partir do programa – o que alcança um volume de cerca de 500 mil matrizes em todo o país.

“A gente precisa se aproximar mais destes nossos parceiros de compra de genética. De que forma? O PAINT lança agora o IR PAINT, que é um sistema de avaliação de gado comercial em que a gente vai avaliar as vacas destes nossos parceiros. […] A gente está lançando agora, em primeira mão, um programa de avaliação de matrizes destas fazendas que compram os nossos touros, ou que não compram, mas que inseminam, para identificar as vacas destas fazendas, sendo elas superiores ou vacas inferiores”, informou.

“É o que eu sempre digo a alguém que vai comprar um touro pra fazenda: compre números, os números mostram a qualidade desse animais, os animais economicamente viáveis, os animais que vão ser abatidos mais cedo, as fêmeas que vão entrar mais cedo em reprodução. A gente tem que trabalhar neste sentido”, recomendou.

Mais informações sobre o o programa podem ser solicitadas pelo e-mail contatopaint@paintmga.com.br.

Veja pelo vídeo abaixo a entrevista completa com Wellington Bino, presidente da Associação PAINT.

 

VEJA TAMBÉM

Casquinha “estralando” e muita suculência: veja resultado da costela 1953 na brasa

Médico veterinário e churrasqueiro Fernando Dambrós, da costelaria Quintal do Primo, em Cuiabá-MT, ressalta importância da qualidade da carne para o resultado da receita

Por que a época das águas é a ideal para controlar as plantas daninhas?

Especialista alerta que produtor precisa aproveitar janela de aplicação de defensivos para evitar o custo elevado com a reforma completa do pasto

Área de baixa pressão forma canal de umidade que vai do Sudeste até a Amazônia

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

Tem dúvidas sobre bem-estar no transporte boiadeiro? Pergunte ao motorista

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Nas mãos de pecuaristas, novo PAINT lança programa que avalia rebanhos comerciais

08 janeiro 2020
ir-paint-programa-avaliacao-rebanho-comercial

Reunindo 66 associados com um rebanho de 60 mil matrizes, o PAINT, Programa de Avaliação e Identificação de Novos Touros, que até 2019 era gerenciado pela CRV Lagoa, está sob nova direção. Uma associação dos pecuaristas afiliados é agora a responsável pelas diretrizes do programa que tem mais de 25 anos de história.

“A CRV Lagoa administrou e comandou o PAINT durante 25 anos, período em que evoluiu absurdamente, identificou muitos animais melhoradores. E aí, como toda empresa, ela passa por reformulações e a CRV Lagoa não foi diferente, ela buscava um novo meio de trabalho, um novo modo de administrar a empresa e surgiu a ideia o PAINT ser comandado por pecuaristas, ou uma associação ou algo neste sentido. A CRV Lagoa nos procurou com este intuito, procurou o comitê técnico que, de certa forma, respondia pelo grupo todo, e com isto trouxe esta ideia. A gente levou para todas as regionais, foi muito bem aceito, todo mundo gostou da ideia”, resumiu o presidente da Associação PAINT, Wellington Bino, em entrevista concedida ao Giro do Boi desta terça, 08. “Até então todo mundo enxergava o PAINT como sendo da CRV Lagoa. Hoje, nós, pecuaristas, enxergamos como o nosso programa, hoje ele é da pecuária brasileira”, acrescentou.

A relação com a central continua expressiva. Ao passo que a CRV Lagoa sendo sendo filiada à Associação PAINT, está previsto em contrato ao menos pelos próximos dez anos que a empresa tem preferência na contratação de touros jovens de cada safra, enquanto os pecuaristas têm condições especiais para a compra de sêmen. Entretanto, Bino informou que o PAINT segue aberto para que outras empresas que tenham relação com o setor sejam associadas.

“2020 tem muita coisa nova chegando. O sistema de avaliação do PAINT é o mesmo, não muda nada, vamos intensificar, verificar uma ou outra falha que possa estar acontecendo ou que tenha ocorrido neste período e corrigir, mas o modo de avaliação mesmo não muda nada. E o que a gente traz de novo? A associação está aberta para qualquer empresa do meio da pecuária ser uma associada, qualquer empresa, seja de nutrição, de saúde animal, de gestão, se ela quer participar deste grupo, ela pode ser uma associada”, revelou.

“O que o PAINT mostra? O PAINT chega na fazenda e cutuca a ferida, vamos dizer desta forma. Ele mostra de fato a realidade da sua fazenda e te coloca dentro dum patamar que você consegue ter uma dimensão de como você está dentro do programa PAINT, se você está produzindo bem, se está produzindo mal, se você, de repente, está no topo da lista dos melhores dentro do programa de melhoramento ou não. Ele te mostra se você precisa melhorar sua precocidade, se precisa melhorar musculatura, ele identifica suas deficiências e apresenta ferramentas que podem corrigir”, explicou.

Segundo Bino, que é pecuarista na cidade de Pedra Bela, interior paulista, a Associação PAINT também vai disponibilizar também uma nova ferramenta para atender não somente seus associados diretos, como também rebanhos parceiros que utilizam material genético (touros ou sêmen) produzidos a partir do programa – o que alcança um volume de cerca de 500 mil matrizes em todo o país.

“A gente precisa se aproximar mais destes nossos parceiros de compra de genética. De que forma? O PAINT lança agora o IR PAINT, que é um sistema de avaliação de gado comercial em que a gente vai avaliar as vacas destes nossos parceiros. […] A gente está lançando agora, em primeira mão, um programa de avaliação de matrizes destas fazendas que compram os nossos touros, ou que não compram, mas que inseminam, para identificar as vacas destas fazendas, sendo elas superiores ou vacas inferiores”, informou.

“É o que eu sempre digo a alguém que vai comprar um touro pra fazenda: compre números, os números mostram a qualidade desse animais, os animais economicamente viáveis, os animais que vão ser abatidos mais cedo, as fêmeas que vão entrar mais cedo em reprodução. A gente tem que trabalhar neste sentido”, recomendou.

Mais informações sobre o o programa podem ser solicitadas pelo e-mail contatopaint@paintmga.com.br.

Veja pelo vídeo abaixo a entrevista completa com Wellington Bino, presidente da Associação PAINT.

 

VEJA TAMBÉM

Médico veterinário e churrasqueiro Fernando Dambrós, da costelaria Quintal do Primo, em Cuiabá-MT, ressalta importância da qualidade da carne para o resultado da receita

Especialista alerta que produtor precisa aproveitar janela de aplicação de defensivos para evitar o custo elevado com a reforma completa do pasto

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Friboi será parceira do evento que começa às 7h da manhã na sede do sindicato, localizado dentro do Parque de Exposições do município do Vale do Rio Doce

Lotes de propriedade em Minas Gerais e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Agrônomo explica quais as alturas ideais de entrada e saída do pastejo, taxa de lotação nas águas e na seca, efeitos da adubação e potencial de produção de matéria seca

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Segundo Nabih El-Aouar, produtor é incentivado a melhorar manejo, nutrição e inserção de tecnologias no rebanho, levando ganhos para toda a cadeia produtiva

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE