Plantas invasoras podem reduzir lotação de pastagens em cerca de 70%

13 julho 2017
13-07 plantas daninhas

Além de afetar a capacidade de suporte, ervas daninhas prejudicam em até 30% o ganho de peso por cabeça, afirma consultor e professor da Fazu, Adílson Aguiar

Não é de hoje que o assunto plantas daninhas, ou as populares “juquiras”, é destaque no Giro do Boi. Pela preocupação que desperta nos pecuaristas de todo o Brasil, o tema voltou a ser discutido nesta quinta, 13, quando foi ao ar entrevista de Mauro Sérgio Ortega com Adílson Aguiar, consultor e professor da  Faculdade de Agronomia e Zootecnia de Uberaba (Fazu), e destacou os principais problemas com a falta de controle das invasoras.

De acordo com o professor, a competição por luz solar, espaço e nutrientes com as demais plantas pode levar a problemas no desenvolvimento das pastagens, de forma que seu potencial de lotação seja reduzido substancialmente. “Tem trabalhos mostrando que a redução na capacidade de suporte é de 68% e, no ganho individual, tem resultados de 20% a 30%”, afirmou Aguiar, referindo-se também à influência negativa no desempenho do ganho de peso de cada cabeça.

Além da competição por nutrientes com as pastagens, as plantas invasoras significam perigo para sanidade animal. Em 2014 o Brasil perdeu quase 1 milhão e 500 mil cabeças de gado por conta de intoxicação por plantas invasoras. Um número alarmante que representa cerca de 15% de mortalidade total do ano em referência. O prejuízo superou o montante de dois bilhões de reais.

Outro ponto abordado na entrevista foi a necessidade de adquirir sementes certificadas e de alto valor cultural,  que seria o primeiro passo na prevenção do surgimento das plantas daninhas.

Aguiar apresentou ainda novas ferramentas oferecidas pelo mercado capazes de controlar as infestações e destacou a importância de um bom planejamento de manejo de pastagens.

Confira a entrevista nos vídeos abaixo:

 

VEJA TAMBÉM

O que é compliance, palavra estrangeira cada vez mais presente no dia a dia do produtor?

Para o português usado no Brasil, palavra pode ser traduzida como “conformidade”, e seu conceito ganhou relevância por aqui a partir de 2013; entenda

BA recebe 1ª etapa nordestina do Circuito Nelore em 2019; conheça os vencedores

Avaliação de quase 500 carcaças aconteceu na unidade de Itapetinga-BA no último dia 06/11 e foi a primeira etapa de 2019 realizada na Região Nordeste

Confira as fazendas em destaque do dia 12 de novembro de 2019

Fazendas localizadas em São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Fazenda de SP cria “linha de montagem do boi” combinando gestão e tecnologia

Com sistema exclusivo de recria, propriedade reduz pela metade o período de adaptação dos animais destinados à engorda em confinamento

Plantas invasoras podem reduzir lotação de pastagens em cerca de 70%

13 julho 2017
13-07 plantas daninhas

Além de afetar a capacidade de suporte, ervas daninhas prejudicam em até 30% o ganho de peso por cabeça, afirma consultor e professor da Fazu, Adílson Aguiar

Não é de hoje que o assunto plantas daninhas, ou as populares “juquiras”, é destaque no Giro do Boi. Pela preocupação que desperta nos pecuaristas de todo o Brasil, o tema voltou a ser discutido nesta quinta, 13, quando foi ao ar entrevista de Mauro Sérgio Ortega com Adílson Aguiar, consultor e professor da  Faculdade de Agronomia e Zootecnia de Uberaba (Fazu), e destacou os principais problemas com a falta de controle das invasoras.

De acordo com o professor, a competição por luz solar, espaço e nutrientes com as demais plantas pode levar a problemas no desenvolvimento das pastagens, de forma que seu potencial de lotação seja reduzido substancialmente. “Tem trabalhos mostrando que a redução na capacidade de suporte é de 68% e, no ganho individual, tem resultados de 20% a 30%”, afirmou Aguiar, referindo-se também à influência negativa no desempenho do ganho de peso de cada cabeça.

Além da competição por nutrientes com as pastagens, as plantas invasoras significam perigo para sanidade animal. Em 2014 o Brasil perdeu quase 1 milhão e 500 mil cabeças de gado por conta de intoxicação por plantas invasoras. Um número alarmante que representa cerca de 15% de mortalidade total do ano em referência. O prejuízo superou o montante de dois bilhões de reais.

Outro ponto abordado na entrevista foi a necessidade de adquirir sementes certificadas e de alto valor cultural,  que seria o primeiro passo na prevenção do surgimento das plantas daninhas.

Aguiar apresentou ainda novas ferramentas oferecidas pelo mercado capazes de controlar as infestações e destacou a importância de um bom planejamento de manejo de pastagens.

Confira a entrevista nos vídeos abaixo:

 

VEJA TAMBÉM

Para o português usado no Brasil, palavra pode ser traduzida como “conformidade”, e seu conceito ganhou relevância por aqui a partir de 2013; entenda

Avaliação de quase 500 carcaças aconteceu na unidade de Itapetinga-BA no último dia 06/11 e foi a primeira etapa de 2019 realizada na Região Nordeste

Fazendas localizadas em São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Com sistema exclusivo de recria, propriedade reduz pela metade o período de adaptação dos animais destinados à engorda em confinamento

Após 23 dias de queimadas que destruíram mais de 170 mil hectares, a chuva voltou a incidir sobre a região e alegrou os animais; pantaneiro registrou sons em vídeo

Fazendas localizadas em Minas Gerais, Rondônia e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Com sistema exclusivo de recria, propriedade reduz pela metade o período de adaptação dos animais destinados à engorda em confinamento

Produtor obtém benefício ao sincronizar transporte do gado magro e do gado gordo entre propriedades distintas. “Pecuária tem que ser tocada como uma empresa”, destacou

Avaliação de quase 500 carcaças aconteceu na unidade de Itapetinga-BA no último dia 06/11 e foi a primeira etapa de 2019 realizada na Região Nordeste

Veterinário lista tudo o que o pecuarista precisa saber sobre maquinário utilizado, montagem de galpões, divisões de piquetes e fatores limitantes para a produtividade do sistema

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE