Reformar ou recuperar as pastagens? Qual opção escolher?

18 setembro 2017
SONY DSC

No programa desta segunda-feira, 18, o professor Claudio Haddad,  engenheiro agrônomo e professor da ESALQ/USP, concedeu entrevista a equipe Giro do Boi, durante mais uma edição do Fórum da Pecuária Lucrativa que aconteceu em Ribeirão Preto, interior paulista. Na ocasião ele comenta sobre a necessidade de manejar as pastagens e a diferença entre reformar ou recuperar o pasto.Reforma ou recuperação, a gente só faz quando não está agradando ou quando não está produzindo, então qualquer nível de degradação é para se pensar em reforma ou recuperação ”, explica Haddad.

A recuperação de pastagens é aproveitar  a estrutura existente na área. O valor de recuperação também é mais vantajoso, sendo apenas 60% do valor de uma reforma. O tempo para recuperação também é menor com apenas 60 dias.

Já a reforma de pastagens, tem custo de investimento mais elevado e período mais longo do que a recuperação. A reforma é destruir o que foi feito. Quando as plantas não conseguem fazer o fechamento da área, é necessário uma reforma. O tempo de recuperação será em torno de 100 a 120 dias.

Haddad, cita outros pontos para analisar na hora de planejar a reforma ou recuperação de pastagens:

  • Fertilidade do solo;
  • Degradação de solo;
  • Biologia de pasto;
  • Erros de manejo;
  • Erros de planejamento estrutural.

A degradação do solo, pode ser anunciada com o aumento de invasoras e plantas daninhas. Por conta disso a perda de nutrientes se torna mais rápida.

Agricultura X Pecuária

Claudio Haddad, comenta sobre a diferença do tratamento de pastagens entre o agricultor e pecuarista. “O agricultor não tolera invasoras na sua propriedade ou sua cultura. Enquanto que na pecuária tolera-se bastante as invasoras, sem atinar para que esse aviso agronômico,  normalmente o pecuarista ignora ou não atina para importância”.  Na ocasião o repórter Marco Ribeiro comentou sobre os casos de sucessos na série Rota do Boi, onde diversas fazendas comprovaram eficiência ao investir em forragens para obter um pasto diferenciado.

Veja mais dicas na íntegra.

 

Veja mais dicas sobre recuperação de pastagens:

Confira dicas para manter o pasto limpo e produzir mais arroba por hectare

Por que o pecuarista não aduba pastagens? Confira os 5 motivos mais comuns

 

 

VEJA TAMBÉM

Confira os lotes em destaque do dia 22 de janeiro de 2020

Lotes de propriedades no Tocantins, Goiás, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Vaca que sofreu estresse não transmite suas qualidades para a cria

Pecuarista deve entender os detalhes do desempenho da “melhor máquina de colheita de capim que existe”, que muitas vezes ainda sofre com estresse nutricional e térmico

Qual o “pulo do gato” para recuperar a produtividade em solos fracos?

5ª geração em uma família de produtores rurais, Mateus Arantes desenvolveu sistema de integração com plantio direto para solos arenosos

Que documentos devo ter para minha fazenda estar dentro da lei?

Papéis estão distribuídos entre as esferas possessória, fundiária, ambiental, trabalhista, empresarial e tributária

Reformar ou recuperar as pastagens? Qual opção escolher?

18 setembro 2017
SONY DSC

No programa desta segunda-feira, 18, o professor Claudio Haddad,  engenheiro agrônomo e professor da ESALQ/USP, concedeu entrevista a equipe Giro do Boi, durante mais uma edição do Fórum da Pecuária Lucrativa que aconteceu em Ribeirão Preto, interior paulista. Na ocasião ele comenta sobre a necessidade de manejar as pastagens e a diferença entre reformar ou recuperar o pasto.Reforma ou recuperação, a gente só faz quando não está agradando ou quando não está produzindo, então qualquer nível de degradação é para se pensar em reforma ou recuperação ”, explica Haddad.

A recuperação de pastagens é aproveitar  a estrutura existente na área. O valor de recuperação também é mais vantajoso, sendo apenas 60% do valor de uma reforma. O tempo para recuperação também é menor com apenas 60 dias.

Já a reforma de pastagens, tem custo de investimento mais elevado e período mais longo do que a recuperação. A reforma é destruir o que foi feito. Quando as plantas não conseguem fazer o fechamento da área, é necessário uma reforma. O tempo de recuperação será em torno de 100 a 120 dias.

Haddad, cita outros pontos para analisar na hora de planejar a reforma ou recuperação de pastagens:

  • Fertilidade do solo;
  • Degradação de solo;
  • Biologia de pasto;
  • Erros de manejo;
  • Erros de planejamento estrutural.

A degradação do solo, pode ser anunciada com o aumento de invasoras e plantas daninhas. Por conta disso a perda de nutrientes se torna mais rápida.

Agricultura X Pecuária

Claudio Haddad, comenta sobre a diferença do tratamento de pastagens entre o agricultor e pecuarista. “O agricultor não tolera invasoras na sua propriedade ou sua cultura. Enquanto que na pecuária tolera-se bastante as invasoras, sem atinar para que esse aviso agronômico,  normalmente o pecuarista ignora ou não atina para importância”.  Na ocasião o repórter Marco Ribeiro comentou sobre os casos de sucessos na série Rota do Boi, onde diversas fazendas comprovaram eficiência ao investir em forragens para obter um pasto diferenciado.

Veja mais dicas na íntegra.

 

Veja mais dicas sobre recuperação de pastagens:

Confira dicas para manter o pasto limpo e produzir mais arroba por hectare

Por que o pecuarista não aduba pastagens? Confira os 5 motivos mais comuns

 

 

VEJA TAMBÉM

Lotes de propriedades no Tocantins, Goiás, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Pecuarista deve entender os detalhes do desempenho da “melhor máquina de colheita de capim que existe”, que muitas vezes ainda sofre com estresse nutricional e térmico

5ª geração em uma família de produtores rurais, Mateus Arantes desenvolveu sistema de integração com plantio direto para solos arenosos

Papéis estão distribuídos entre as esferas possessória, fundiária, ambiental, trabalhista, empresarial e tributária

Animais foram terminados a pasto com média de peso maior que 20@ e 93% no Farol da Qualidade

Lotes de propriedades em São Paulo, Pará e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

5ª geração em uma família de produtores rurais, Mateus Arantes desenvolveu sistema de integração com plantio direto para solos arenosos

Programa de acasalamentos vai avaliar bateria de touros selecionada pelo criador e apontar melhor combinação para corrigir necessidades de cada plantel

Giro do Boi reúne todos os vídeos da série especial Pastagem de A a Z, conduzida pelo consultor Wagner Pires

Envie sua pergunta sobre cruzamento industrial de gado de corte para receber as dicas no novo quadro ‘Zadra Responde’

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE