Quais são e como prevenir os principais tipos de clostridioses em bovinos?

19 abril 2018
tipos-de-clostridioses-em-bovinos

Embora seja uma estimativa, o impacto das clostridioses no rebanho brasileiro é significativo: ao menos 400 mil animais morrem por ano por conta das doenças causadas pelas toxinas produzidas pelas bactérias do gênero Clostridium. “Mas eu acredito que seja até mais”, afirmou nesta quinta, 19, o médico veterinário Roulber Silva, gerente técnico da Boehringer Saúde Animal, em entrevista ao Giro do Boi.

Segundo Roulber, tais bactérias têm características diferentes das demais. Sua grande capacidade de resistência ao meio ambiente dificulta seu controle e proliferação no tubo digestivo e no trato intestinal dos bovinos, causando doenças como o famoso botulismo, tétano, carbúnculo sintomático, manqueira, gangrenas gasosas e enterotoxemia.

Botulismo em gado de corte: o que é e como fazer a prevenção?

Quando um animal apresenta sintomas, a reversão do caso torna-se muito difícil. A morte é praticamente certa e raramente é um caso isolado, pois as clostridioses costumam se apresentar através de surtos em rebanhos inteiros. “Você vai ter sérios problemas no seu rebanho se não fizer a prevenção. […] Quando a gente fala de animais de produção, a gente fala de prevenção, não de tratamento”, recomendou o veterinário.

A boa notícia é que a prevenção das clostridioses pode ocorrer junto ao calendário nacional de vacinação contra a febre aftosa. Na primeira etapa da campanha, que ocorre em maio, por exemplo, o pecuarista pode aproveitar para vacinar o rebanho contra as principais tipos das doenças causadas pelas bactérias.

“É muito simples fazer a prevenção. Hoje nós temos duas campanhas no Brasil de vacinação contra a febre aftosa e o uso de vacinas para clostridioses consegue se adaptar a esses momentos, aproveitar esse manejo. O único cuidado específico a se tomar é com os bezerros. Nós podemos vaciná-los a partir dos quatro meses de idade com uma dose e entre 30 a 90 dias depois, repetir a dose. Como ela é uma vacina com toxina inativada, são duas doses iniciais. Depois o pecuarista pode fazer o reforço anual. É claro que este processo vai depender muito do tamanho do desafio da fazenda, mas de forma geral no Brasil a gente vacina o bezerro duas vezes e depois faz reforços anuais, que podem se adaptar à campanha de febre aftosa”, resumiu Roulber.

Febre aftosa: faça o download do PDF e treine sua equipe para a vacinação

Veja a entrevista completa no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Calor e tempo seco predominam sobre o Brasil Central nos próximos dias

Região já está há praticamente três meses sem chuvas; no Sul, chegada de frente fria traz geadas para o RS, SC e divisa do PR com SP

Vencedores da maior etapa do Circuito Nelore de Qualidade em 2019 são revelados

Etapa de Barra do Garças-MT, a 11ª do ano da série de abates da ACNB, reuniu 1.380 cabeças no feito no último dia 16

Três dicas para ganhar dinheiro com confinamento de gado de corte

Pesquisador da Embrapa afirma que pecuarista deve fugir das “receitas de bolo” para não perder oportunidades de buscar ingredientes alternativos no mercado

Novilhas recebem bônus superior a R$ 20 por arroba pela qualidade

Fêmeas cruzadas foram abatidas no Protocolo 1953 com peso médio de 15,8@ e marcaram 100% Verde no Farol da Qualidade

Quais são e como prevenir os principais tipos de clostridioses em bovinos?

19 abril 2018
tipos-de-clostridioses-em-bovinos

Embora seja uma estimativa, o impacto das clostridioses no rebanho brasileiro é significativo: ao menos 400 mil animais morrem por ano por conta das doenças causadas pelas toxinas produzidas pelas bactérias do gênero Clostridium. “Mas eu acredito que seja até mais”, afirmou nesta quinta, 19, o médico veterinário Roulber Silva, gerente técnico da Boehringer Saúde Animal, em entrevista ao Giro do Boi.

Segundo Roulber, tais bactérias têm características diferentes das demais. Sua grande capacidade de resistência ao meio ambiente dificulta seu controle e proliferação no tubo digestivo e no trato intestinal dos bovinos, causando doenças como o famoso botulismo, tétano, carbúnculo sintomático, manqueira, gangrenas gasosas e enterotoxemia.

Botulismo em gado de corte: o que é e como fazer a prevenção?

Quando um animal apresenta sintomas, a reversão do caso torna-se muito difícil. A morte é praticamente certa e raramente é um caso isolado, pois as clostridioses costumam se apresentar através de surtos em rebanhos inteiros. “Você vai ter sérios problemas no seu rebanho se não fizer a prevenção. […] Quando a gente fala de animais de produção, a gente fala de prevenção, não de tratamento”, recomendou o veterinário.

A boa notícia é que a prevenção das clostridioses pode ocorrer junto ao calendário nacional de vacinação contra a febre aftosa. Na primeira etapa da campanha, que ocorre em maio, por exemplo, o pecuarista pode aproveitar para vacinar o rebanho contra as principais tipos das doenças causadas pelas bactérias.

“É muito simples fazer a prevenção. Hoje nós temos duas campanhas no Brasil de vacinação contra a febre aftosa e o uso de vacinas para clostridioses consegue se adaptar a esses momentos, aproveitar esse manejo. O único cuidado específico a se tomar é com os bezerros. Nós podemos vaciná-los a partir dos quatro meses de idade com uma dose e entre 30 a 90 dias depois, repetir a dose. Como ela é uma vacina com toxina inativada, são duas doses iniciais. Depois o pecuarista pode fazer o reforço anual. É claro que este processo vai depender muito do tamanho do desafio da fazenda, mas de forma geral no Brasil a gente vacina o bezerro duas vezes e depois faz reforços anuais, que podem se adaptar à campanha de febre aftosa”, resumiu Roulber.

Febre aftosa: faça o download do PDF e treine sua equipe para a vacinação

Veja a entrevista completa no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Região já está há praticamente três meses sem chuvas; no Sul, chegada de frente fria traz geadas para o RS, SC e divisa do PR com SP

Etapa de Barra do Garças-MT, a 11ª do ano da série de abates da ACNB, reuniu 1.380 cabeças no feito no último dia 16

Pesquisador da Embrapa afirma que pecuarista deve fugir das “receitas de bolo” para não perder oportunidades de buscar ingredientes alternativos no mercado

Fêmeas cruzadas foram abatidas no Protocolo 1953 com peso médio de 15,8@ e marcaram 100% Verde no Farol da Qualidade

Segundo zootecnista Antônio Chaker, o potencial de retorno financeiro da cria é de 35%; veja passo a passo para reverter o quadro

Fazendas localizadas em Tocantins, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Etapa de Barra do Garças-MT, a 11ª do ano da série de abates da ACNB, reuniu 1.380 cabeças no feito no último dia 16

Segundo zootecnista Antônio Chaker, o potencial de retorno financeiro da cria é de 35%; veja passo a passo para reverter o quadro

Fêmeas cruzadas foram abatidas no Protocolo 1953 com peso médio de 15,8@ e marcaram 100% Verde no Farol da Qualidade

Grupo de novilhas meio-sangue Angus de propriedade em Botucatu-SP marcou 100% Verde no Farol da Qualidade e segue para disputa de melhor do mês

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE