Agro é responsável por 70% das doações ao Hospital de Amor

04 dezembro 2018
agro-70-porcento-doacoes-hospital-de-amor

A cadeia produtiva do agronegócio é responsável por 70% das doações que atualmente recebe o Hospital do Amor, antigo Hospital do Câncer de Barretos-SP. O número foi confirmado pelo diretor voluntário da instituição, Rubikinho Carvalho, que é pecuarista e coordenador da campanha O Agro Contra o Câncer.

A entidade lida atualmente com um déficit mensal de aproximadamente R$ 22 milhões, que é a diferença entre o custo de R$ 37 milhões e o repasse de R$ 15 milhões do SUS. O hospital tratou em 2017 170 mil pacientes de todo o Brasil, ou pouco mais de 14 mil por mês em média.

Ele concedeu entrevista ao Giro do Boi durante a 4ª Prova de Team Penning do Bem, que ocorreu nos dias 1º e 02 de dezembro na Fazenda Barrinha, em Espírito Santo do Pinhal-SP. O evento contou com uma novidade para 2018, a primeira edição do Costelão do Bem, que preparou no local 1,5 tonelada de carnes da marca 1953, doada pela JBS, uma das empresas integrantes do movimento O Agro Contra o Câncer. Além da doação das carnes, a arrecadação com ingressos para a experiência gastronômica foram revertidas ao Hospital de Amor.

“Nós temos vários desses evento, agora um costelão deste tamanho eu não havia visto ainda. Pelo Brasil inteiro, eu costumo dizer que o maior patrimônio que o Hospital de Amor tem são os voluntários e os doadores, porque sem eles teríamos que diminuir muito a assistência que nós fazemos e também que fechar as portas para várias pessoas no tratamento de câncer. Então eles que nós mantém com as portas abertas. […] O agro representa hoje cerca de 70% das doações que nós temos e agora com esse programa do Agro Contra o Câncer, elas têm crescido mais”, afirmou Rubikinho Carvalho.

4º Team Penning do Bem mostra a força do campo em prol do Hospital de Amor

Na ocasião, a equipe de reportagem do Giro do Boi também conversou com alguns dos vencedores da prova de team penning. “A sensação é muito boa. É sinal de dever cumprido, de que a gente está trabalhando, lutando para conseguir chegar ao pódio como foi hoje”, revelou Rogério Toledo, integrante de uma das equipes vencedoras. “É dever cumprido e o bom é correr com dois bons amigos. E ainda poder ajudar uma entidade tão boa, que é o Hospital de Amor”, complementou Gervásio Baptista, competidor da mesma equipe. “Já é o segundo ano que eu ganho e é a segunda vez que dou minha premiação ao Hospital de Amor”, emendou o cavaleiro Mateus Secco.

Confira as entrevistas completas abaixo:

VEJA TAMBÉM

Trabalho integrado ameniza dificuldades com embarque do gado gordo entre Juara e Juína

Embora as chuvas prejudiquem as condições das estradas de terra, união de esforços entres unidades da indústria diminui problemas com o transporte

Áreas de instabilidade levam chuva para fronteira do RS com SC no fim de semana

Previsão é que precipitações se desloquem nos próximos dias para o Norte de SP e MG, chegando ao Semiárido e Centro-Oeste

Seis cadastros obrigatórios para o produtor rural garantir sua segurança jurídica

Gestão de cadastros de propriedades rurais evita problemas em situações como transações imobiliárias, bancárias, ambientais e também possíveis sanções de órgãos do governo

Já saiu o resultado da votação para o melhor lote de janeiro; conheça o vencedor

Lote de novilhas meio-sangue para o Protocolo 1953 pesou 18,4@ por animal em média e marcou 100% Verde no Farol da Qualidade

Agro é responsável por 70% das doações ao Hospital de Amor

04 dezembro 2018
agro-70-porcento-doacoes-hospital-de-amor

A cadeia produtiva do agronegócio é responsável por 70% das doações que atualmente recebe o Hospital do Amor, antigo Hospital do Câncer de Barretos-SP. O número foi confirmado pelo diretor voluntário da instituição, Rubikinho Carvalho, que é pecuarista e coordenador da campanha O Agro Contra o Câncer.

A entidade lida atualmente com um déficit mensal de aproximadamente R$ 22 milhões, que é a diferença entre o custo de R$ 37 milhões e o repasse de R$ 15 milhões do SUS. O hospital tratou em 2017 170 mil pacientes de todo o Brasil, ou pouco mais de 14 mil por mês em média.

Ele concedeu entrevista ao Giro do Boi durante a 4ª Prova de Team Penning do Bem, que ocorreu nos dias 1º e 02 de dezembro na Fazenda Barrinha, em Espírito Santo do Pinhal-SP. O evento contou com uma novidade para 2018, a primeira edição do Costelão do Bem, que preparou no local 1,5 tonelada de carnes da marca 1953, doada pela JBS, uma das empresas integrantes do movimento O Agro Contra o Câncer. Além da doação das carnes, a arrecadação com ingressos para a experiência gastronômica foram revertidas ao Hospital de Amor.

“Nós temos vários desses evento, agora um costelão deste tamanho eu não havia visto ainda. Pelo Brasil inteiro, eu costumo dizer que o maior patrimônio que o Hospital de Amor tem são os voluntários e os doadores, porque sem eles teríamos que diminuir muito a assistência que nós fazemos e também que fechar as portas para várias pessoas no tratamento de câncer. Então eles que nós mantém com as portas abertas. […] O agro representa hoje cerca de 70% das doações que nós temos e agora com esse programa do Agro Contra o Câncer, elas têm crescido mais”, afirmou Rubikinho Carvalho.

4º Team Penning do Bem mostra a força do campo em prol do Hospital de Amor

Na ocasião, a equipe de reportagem do Giro do Boi também conversou com alguns dos vencedores da prova de team penning. “A sensação é muito boa. É sinal de dever cumprido, de que a gente está trabalhando, lutando para conseguir chegar ao pódio como foi hoje”, revelou Rogério Toledo, integrante de uma das equipes vencedoras. “É dever cumprido e o bom é correr com dois bons amigos. E ainda poder ajudar uma entidade tão boa, que é o Hospital de Amor”, complementou Gervásio Baptista, competidor da mesma equipe. “Já é o segundo ano que eu ganho e é a segunda vez que dou minha premiação ao Hospital de Amor”, emendou o cavaleiro Mateus Secco.

Confira as entrevistas completas abaixo:

VEJA TAMBÉM

Embora as chuvas prejudiquem as condições das estradas de terra, união de esforços entres unidades da indústria diminui problemas com o transporte

Previsão é que precipitações se desloquem nos próximos dias para o Norte de SP e MG, chegando ao Semiárido e Centro-Oeste

Gestão de cadastros de propriedades rurais evita problemas em situações como transações imobiliárias, bancárias, ambientais e também possíveis sanções de órgãos do governo

Lote de novilhas meio-sangue para o Protocolo 1953 pesou 18,4@ por animal em média e marcou 100% Verde no Farol da Qualidade

Fazendas nos estados de Rondônia e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Teste foi feito em área com lotação média de 10 UA/ha ao longo de dois anos; conclusão é de que não há interferência na fertilidade do solo que prejudique a produção de grãos

Previsão é que precipitações se desloquem nos próximos dias para o Norte de SP e MG, chegando ao Semiárido e Centro-Oeste

Embora as chuvas prejudiquem as condições das estradas de terra, união de esforços entres unidades da indústria diminui problemas com o transporte

Lote de novilhas meio-sangue para o Protocolo 1953 pesou 18,4@ por animal em média e marcou 100% Verde no Farol da Qualidade

Pecuarista deve fazer download do Termo de Adesão e entregar assinado aos compradores de gado das unidades da indústria; veja como tirar suas dúvidas sobre o processo

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE