Cinco dicas para não errar no transporte do gado magro nesta entressafra

15 junho 2018
dicas-transporte-gado-magro

Nesta sexta, 15, foi apresentada mais uma edição do quadro Giro na Estrada. Desta vez, o foco foi o transporte de gado magro, de olho no período de reposição com a chegada da estação seca, quando os confinamentos são mais acionados. Seja para enviar a boiada para o boitel ou para comprar animais aproveitando a folga da pastagens, por exemplo, o pecuarista deve prestar atenção no transporte da categoria para não prejudicar seu desempenho.

“O pecuarista coloca toda essa produção (ou reposição) dele em risco em um curto período”, alertou Vieira, referindo-se ao transporte, muitas vezes entre grandes distâncias. Para auxiliar o produtor a tomar todas as providências necessárias para não sofrer prejuízos nesta etapa do ciclo produtivo, ele listou cinco pontos de atenção:

1 – Saber a quantidade específica a ser transportada para definir o número de veículos destacados para a operação e, se possível, dar preferência para veículos de grande porte para diluir o custo do transporte por cabeça;
2 – Avaliar as áreas de embarque e desembarque para se certificar que não existem pontos em que os animais podem se contundir e onde o veículo possa estacionar sem problemas;
3 – Verificar a distância e as condições da estrada, pois quanto mais curta for a distância ao destino final e menos acidentado for o relevo da estrada, melhor será a viagem;
4 – Programar o embarque e o desembarque para que as equipes de logística e da fazenda trabalhem de maneira calma, sem atropelo e sem estressar o gado;
5 – Dar preferência a empresas especializadas no transporte de bovinos e buscar informações sobre o seguro da carga.

Veja as informações completas clicando no play do vídeo:

VEJA TAMBÉM

Trabalho integrado ameniza dificuldades com embarque do gado gordo entre Juara e Juína

Embora as chuvas prejudiquem as condições das estradas de terra, união de esforços entres unidades da indústria diminui problemas com o transporte

Áreas de instabilidade levam chuva para fronteira do RS com SC no fim de semana

Previsão é que precipitações se desloquem nos próximos dias para o Norte de SP e MG, chegando ao Semiárido e Centro-Oeste

Seis cadastros obrigatórios para o produtor rural garantir sua segurança jurídica

Gestão de cadastros de propriedades rurais evita problemas em situações como transações imobiliárias, bancárias, ambientais e também possíveis sanções de órgãos do governo

Já saiu o resultado da votação para o melhor lote de janeiro; conheça o vencedor

Lote de novilhas meio-sangue para o Protocolo 1953 pesou 18,4@ por animal em média e marcou 100% Verde no Farol da Qualidade

Cinco dicas para não errar no transporte do gado magro nesta entressafra

15 junho 2018
dicas-transporte-gado-magro

Nesta sexta, 15, foi apresentada mais uma edição do quadro Giro na Estrada. Desta vez, o foco foi o transporte de gado magro, de olho no período de reposição com a chegada da estação seca, quando os confinamentos são mais acionados. Seja para enviar a boiada para o boitel ou para comprar animais aproveitando a folga da pastagens, por exemplo, o pecuarista deve prestar atenção no transporte da categoria para não prejudicar seu desempenho.

“O pecuarista coloca toda essa produção (ou reposição) dele em risco em um curto período”, alertou Vieira, referindo-se ao transporte, muitas vezes entre grandes distâncias. Para auxiliar o produtor a tomar todas as providências necessárias para não sofrer prejuízos nesta etapa do ciclo produtivo, ele listou cinco pontos de atenção:

1 – Saber a quantidade específica a ser transportada para definir o número de veículos destacados para a operação e, se possível, dar preferência para veículos de grande porte para diluir o custo do transporte por cabeça;
2 – Avaliar as áreas de embarque e desembarque para se certificar que não existem pontos em que os animais podem se contundir e onde o veículo possa estacionar sem problemas;
3 – Verificar a distância e as condições da estrada, pois quanto mais curta for a distância ao destino final e menos acidentado for o relevo da estrada, melhor será a viagem;
4 – Programar o embarque e o desembarque para que as equipes de logística e da fazenda trabalhem de maneira calma, sem atropelo e sem estressar o gado;
5 – Dar preferência a empresas especializadas no transporte de bovinos e buscar informações sobre o seguro da carga.

Veja as informações completas clicando no play do vídeo:

VEJA TAMBÉM

Embora as chuvas prejudiquem as condições das estradas de terra, união de esforços entres unidades da indústria diminui problemas com o transporte

Previsão é que precipitações se desloquem nos próximos dias para o Norte de SP e MG, chegando ao Semiárido e Centro-Oeste

Gestão de cadastros de propriedades rurais evita problemas em situações como transações imobiliárias, bancárias, ambientais e também possíveis sanções de órgãos do governo

Lote de novilhas meio-sangue para o Protocolo 1953 pesou 18,4@ por animal em média e marcou 100% Verde no Farol da Qualidade

Fazendas nos estados de Rondônia e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Teste foi feito em área com lotação média de 10 UA/ha ao longo de dois anos; conclusão é de que não há interferência na fertilidade do solo que prejudique a produção de grãos

Previsão é que precipitações se desloquem nos próximos dias para o Norte de SP e MG, chegando ao Semiárido e Centro-Oeste

Embora as chuvas prejudiquem as condições das estradas de terra, união de esforços entres unidades da indústria diminui problemas com o transporte

Lote de novilhas meio-sangue para o Protocolo 1953 pesou 18,4@ por animal em média e marcou 100% Verde no Farol da Qualidade

Pecuarista deve fazer download do Termo de Adesão e entregar assinado aos compradores de gado das unidades da indústria; veja como tirar suas dúvidas sobre o processo

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE