Confinamento se transforma em “canivete suíço” do pecuarista

26 julho 2019
margem-pecuaria-de-corte-2019

O confinamento de gado de corte ultrapassou as porteiras da entressafra e, de uma ferramenta da qual o pecuarista lançava mão uma vez ao ano, está se tornando aos poucos uma espécie de ‘canivete suíço’, útil em toda empreitada. A modalidade de engorda intensiva, mais comum na época da seca, está cumprindo o papel de planejar o fluxo de caixa do produtor durante os 12 meses por facilitar a programação das datas de abate.

“O pecuarista vem aprendendo que a ferramenta é boa. Ele já está confinando boi durante o ano todo e a gente está rodando sem parar. O confinamento não para depois das águas, ele segue o ano todo, é uma ferramenta boa, o pecuarista planeja o fluxo de caixa dele. […] Confinar boi nas águas dá resultado”, disse hoje, 26, ao Giro do Boi o gerente do Confinamento JBS para as unidade de Terenos, no MS, e Guaiçara, em SP, Mário Yoneda.

Yoneda revelou que há pecuaristas fazendo reservas de baias para o início de 2020 para engordar em cocho o chamado “boi das águas”. “A gente já está reservando vagas para os meses para frente, inclusive para começar o ano já”, confirmou.

Nos boiteis da companhia, com unidades também em Castilho-SP e Lucas do Rio Verde e Nova Canaã do Norte-MT, são quatro modelos de negócios distintos em que não há desembolso do produtor, com o valor dos serviços prestados na engorda sendo descontados no momento do abate.

Mais informações sobre escalas e modelos de negócios podem ser obtidas pelo e-mail confinamento@jbs.com.br.

Veja a participação completa de Mário Yoneda no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

SP e MG devem ter chuvas acima dos 100 mm nos próximos dias

Precipitações podem passar dos 200 mm em pontos localizados de Minas; pancadas devem se estender também para GO, TO, Matopiba, oeste da BA e leste do MT

Treinamentos de motoristas garantem bem-estar no transporte de gado

Além do conforto dos animais, capacitações mensais abordam também medidas de segurança na condução dos veículos ao longo do trajeto

Confira os lotes em destaque do dia 24 de janeiro de 2020

Lotes de propriedades em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Qual é o grande desafio estrutural da pecuária nos próximos anos?

Consultor destaca que para ganhar competitividade frente às proteínas concorrentes, pecuária de corte precisa de integração e salto da eficiência

Confinamento se transforma em “canivete suíço” do pecuarista

26 julho 2019
margem-pecuaria-de-corte-2019

O confinamento de gado de corte ultrapassou as porteiras da entressafra e, de uma ferramenta da qual o pecuarista lançava mão uma vez ao ano, está se tornando aos poucos uma espécie de ‘canivete suíço’, útil em toda empreitada. A modalidade de engorda intensiva, mais comum na época da seca, está cumprindo o papel de planejar o fluxo de caixa do produtor durante os 12 meses por facilitar a programação das datas de abate.

“O pecuarista vem aprendendo que a ferramenta é boa. Ele já está confinando boi durante o ano todo e a gente está rodando sem parar. O confinamento não para depois das águas, ele segue o ano todo, é uma ferramenta boa, o pecuarista planeja o fluxo de caixa dele. […] Confinar boi nas águas dá resultado”, disse hoje, 26, ao Giro do Boi o gerente do Confinamento JBS para as unidade de Terenos, no MS, e Guaiçara, em SP, Mário Yoneda.

Yoneda revelou que há pecuaristas fazendo reservas de baias para o início de 2020 para engordar em cocho o chamado “boi das águas”. “A gente já está reservando vagas para os meses para frente, inclusive para começar o ano já”, confirmou.

Nos boiteis da companhia, com unidades também em Castilho-SP e Lucas do Rio Verde e Nova Canaã do Norte-MT, são quatro modelos de negócios distintos em que não há desembolso do produtor, com o valor dos serviços prestados na engorda sendo descontados no momento do abate.

Mais informações sobre escalas e modelos de negócios podem ser obtidas pelo e-mail confinamento@jbs.com.br.

Veja a participação completa de Mário Yoneda no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Precipitações podem passar dos 200 mm em pontos localizados de Minas; pancadas devem se estender também para GO, TO, Matopiba, oeste da BA e leste do MT

Além do conforto dos animais, capacitações mensais abordam também medidas de segurança na condução dos veículos ao longo do trajeto

Lotes de propriedades em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Consultor destaca que para ganhar competitividade frente às proteínas concorrentes, pecuária de corte precisa de integração e salto da eficiência

Sujeira e até pH inadequado interferem na eficácia do defensivo usado no controle de plantas daninhas nas pastagens

Lotes de propriedades em Minas Gerais, Pará, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Precipitações podem passar dos 200 mm em pontos localizados de Minas; pancadas devem se estender também para GO, TO, Matopiba, oeste da BA e leste do MT

Sujeira e até pH inadequado interferem na eficácia do defensivo usado no controle de plantas daninhas nas pastagens

5ª geração em uma família de produtores rurais, Mateus Arantes desenvolveu sistema de integração com plantio direto para solos arenosos

Envie sua pergunta sobre cruzamento industrial de gado de corte para receber as dicas no novo quadro ‘Zadra Responde’

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE