Em ano de insumos mais caros, boitel pode ser a solução para o pecuarista

12 fevereiro 2020
boitel-lucas-do-rio-verde-promocao-boi-das-aguas-2018

Com um cenário de insumos mais caros para as dietas intensivas para gado de corte, a terceirização da engorda pode ser uma solução viável ao pecuarista em 2020. Quem apontou a alternativa ao Giro do Boi desta quarta, 12, foi o gerente de unidades dos Confinamentos JBS, Mário Yoneda.

“Esse ano é um ano de energia muito cara, o milho está muito caro (relação de troca nesta quarta, 12, aponta 3,8 sacas de milho por arroba de boi gordo, veja abaixo), então a questão do confinamento vai ajudar muito o pecuarista neste sentido. […] Proteinado, energético e insumos como esses, para se usar na fazenda, vão acabar sendo caros e o pecuarista não vai conseguir terminar adequadamente os animais”, explicou Yoneda.

+ Baixe o Informe Pecuário com indicadores atualizados para o setor

Nesta situação, caso opte pela engorda nas unidades do boitel da companhia, o produtor não tem necessidade de desembolsar pelo serviço até que os animais sejam abatidos, ou seja, não precisa se descapitalizar. Com isso, os investimentos podem ser voltados para a intensificação da fazenda, seja na compra de reposição ou nas pastagens. “O pecuarista manda o boi para a gente e, desde o transporte, a gente já fica responsável. Todas as despesas de confinamento são descontadas no acerto do abate, o pecuarista realmente não põe a mão no bolso, o dinheiro que ele estaria pagando a ração, ele pode investir no gado (de reposição)”, frisou.

Transporte do gado magro para o confinamento requer cuidados específicos; veja quais são

As pastagens também podem precisar de reforço em 2020, conformou apontou o gerente. “A ferramenta do confinamento vai funcionar muito bem esse ano também porque, apesar de estar chovendo agora, não choveu quando precisou. Então muita gente está com pasto verdinho, mas não tem volume, não tem massa para passar a seca. Então o confinamento vai ajudar muito este ano”, estimou.

Yoneda reforçou também que a modalidade de terminação está quebrando paradigmas ao deixar de ser útil somente na entressafra, quando faltam pastagens para a engorda. “Os confinamentos estão trabalhando cheios, estão lotados e a gente vem reservando as vagas. Estamos passando um período de chuvas e isso foi muito legal esse ano para mostrar para o pessoal que está se quebrando aquele paradigma de que o boi das águas é mais complicado, não desempenha. A gente está mostrando que isso não tem muita influência desde que a gente trabalhe com o confinamento bem alinhado, com as baias limpas, a nutrição bem adequada”, destacou.

O profissional comentou ainda quais as vantagens do uso do confinamento como sistema de engorda para a ponta final da cadeia produtiva da pecuária de corte. “No animal confinado, a qualidade é muito superior. O acabamento dos animais, são animais jovens, então isso impacta bastante para o pessoal que consome essa carne, realmente tem muita qualidade”, reforçou Yoneda.

O contato para pecuaristas interessados nos modelos de negócios dos Confinamentos JBS (diária, parceria, arrobas engordadas e ração por kg) pode ser feito pelo e-mail confinamento@jbs.com.br. A companhia tem unidades em plena atividade em Mato Grosso do Sul (Terenos); São Paulo (Guaiçara e Castilho) e Mato Grosso (Lucas do Rio Verde e Nova Canaã do Norte). Em breve, outras três unidades entrarão na lista de opções ao produtor: Rio Brilhante-MS, Campo Florido-MG e Confresa-MT.

Veja a entrevista com Mário Yoneda da íntegra pelo vídeo abaixo:

 

VEJA TAMBÉM

Casquinha “estralando” e muita suculência: veja resultado da costela 1953 na brasa

Médico veterinário e churrasqueiro Fernando Dambrós, da costelaria Quintal do Primo, em Cuiabá-MT, ressalta importância da qualidade da carne para o resultado da receita

Por que a época das águas é a ideal para controlar as plantas daninhas?

Especialista alerta que produtor precisa aproveitar janela de aplicação de defensivos para evitar o custo elevado com a reforma completa do pasto

Área de baixa pressão forma canal de umidade que vai do Sudeste até a Amazônia

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

Tem dúvidas sobre bem-estar no transporte boiadeiro? Pergunte ao motorista

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Em ano de insumos mais caros, boitel pode ser a solução para o pecuarista

12 fevereiro 2020
boitel-lucas-do-rio-verde-promocao-boi-das-aguas-2018

Com um cenário de insumos mais caros para as dietas intensivas para gado de corte, a terceirização da engorda pode ser uma solução viável ao pecuarista em 2020. Quem apontou a alternativa ao Giro do Boi desta quarta, 12, foi o gerente de unidades dos Confinamentos JBS, Mário Yoneda.

“Esse ano é um ano de energia muito cara, o milho está muito caro (relação de troca nesta quarta, 12, aponta 3,8 sacas de milho por arroba de boi gordo, veja abaixo), então a questão do confinamento vai ajudar muito o pecuarista neste sentido. […] Proteinado, energético e insumos como esses, para se usar na fazenda, vão acabar sendo caros e o pecuarista não vai conseguir terminar adequadamente os animais”, explicou Yoneda.

+ Baixe o Informe Pecuário com indicadores atualizados para o setor

Nesta situação, caso opte pela engorda nas unidades do boitel da companhia, o produtor não tem necessidade de desembolsar pelo serviço até que os animais sejam abatidos, ou seja, não precisa se descapitalizar. Com isso, os investimentos podem ser voltados para a intensificação da fazenda, seja na compra de reposição ou nas pastagens. “O pecuarista manda o boi para a gente e, desde o transporte, a gente já fica responsável. Todas as despesas de confinamento são descontadas no acerto do abate, o pecuarista realmente não põe a mão no bolso, o dinheiro que ele estaria pagando a ração, ele pode investir no gado (de reposição)”, frisou.

Transporte do gado magro para o confinamento requer cuidados específicos; veja quais são

As pastagens também podem precisar de reforço em 2020, conformou apontou o gerente. “A ferramenta do confinamento vai funcionar muito bem esse ano também porque, apesar de estar chovendo agora, não choveu quando precisou. Então muita gente está com pasto verdinho, mas não tem volume, não tem massa para passar a seca. Então o confinamento vai ajudar muito este ano”, estimou.

Yoneda reforçou também que a modalidade de terminação está quebrando paradigmas ao deixar de ser útil somente na entressafra, quando faltam pastagens para a engorda. “Os confinamentos estão trabalhando cheios, estão lotados e a gente vem reservando as vagas. Estamos passando um período de chuvas e isso foi muito legal esse ano para mostrar para o pessoal que está se quebrando aquele paradigma de que o boi das águas é mais complicado, não desempenha. A gente está mostrando que isso não tem muita influência desde que a gente trabalhe com o confinamento bem alinhado, com as baias limpas, a nutrição bem adequada”, destacou.

O profissional comentou ainda quais as vantagens do uso do confinamento como sistema de engorda para a ponta final da cadeia produtiva da pecuária de corte. “No animal confinado, a qualidade é muito superior. O acabamento dos animais, são animais jovens, então isso impacta bastante para o pessoal que consome essa carne, realmente tem muita qualidade”, reforçou Yoneda.

O contato para pecuaristas interessados nos modelos de negócios dos Confinamentos JBS (diária, parceria, arrobas engordadas e ração por kg) pode ser feito pelo e-mail confinamento@jbs.com.br. A companhia tem unidades em plena atividade em Mato Grosso do Sul (Terenos); São Paulo (Guaiçara e Castilho) e Mato Grosso (Lucas do Rio Verde e Nova Canaã do Norte). Em breve, outras três unidades entrarão na lista de opções ao produtor: Rio Brilhante-MS, Campo Florido-MG e Confresa-MT.

Veja a entrevista com Mário Yoneda da íntegra pelo vídeo abaixo:

 

VEJA TAMBÉM

Médico veterinário e churrasqueiro Fernando Dambrós, da costelaria Quintal do Primo, em Cuiabá-MT, ressalta importância da qualidade da carne para o resultado da receita

Especialista alerta que produtor precisa aproveitar janela de aplicação de defensivos para evitar o custo elevado com a reforma completa do pasto

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Friboi será parceira do evento que começa às 7h da manhã na sede do sindicato, localizado dentro do Parque de Exposições do município do Vale do Rio Doce

Lotes de propriedade em Minas Gerais e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Agrônomo explica quais as alturas ideais de entrada e saída do pastejo, taxa de lotação nas águas e na seca, efeitos da adubação e potencial de produção de matéria seca

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Segundo Nabih El-Aouar, produtor é incentivado a melhorar manejo, nutrição e inserção de tecnologias no rebanho, levando ganhos para toda a cadeia produtiva

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE