Friboi celebra com pecuaristas primeiro ano de sucesso do Protocolo 1953

19 abril 2019
1953

Ao completar o primeiro ano de lançamento do protocolo multiraças, que prestigia e valoriza a produção de carne de qualidade, a Friboi reuniu na cidade de São Paulo 25 dos mais renomados pecuaristas do Brasil para apresentar os números e celebrar o sucesso do Protocolo 1953, que homenageia o ano de fundação da companhia no país. Durante uma confraria, os fazendeiros puderam entender melhor a importância dos cruzamentos e do capricho no uso de tecnologias de produção, além de saborear a carne que está caindo no gosto do consumidor.

O diretor executivo de Originação da Friboi, o zootecnista Eduardo Pedroso, explicou, durante o evento, que os números consolidados não deixam dúvidas da importância da união do elo da cadeia produtiva da carne bovina de qualidade no país. “Planejamento é uma palavra fundamental para o sucesso dos pecuaristas, indústria, varejo e consumidor. Tudo é garantido através de contrato de venda da matéria prima por parte do fazendeiro e, também por contrato, a entrega para os pontos de comercialização onde não pode haver rupturas no fornecimento”, disse, lembrando que “uma vez a dona de casa experimentando e gostando da grife de carne premium, ela não pode ficar sem o produto”.

O presidente da Friboi no Brasil, Renato Costa, também disse que esta celebração do primeiro ano da marca de carnes 1953 vai de encontro às necessidades do consumidor que está cada vez mais exigente e esclarecido. “Ele sabe o que está levando para sua casa”, salientou, relembrando a importância do planejamento prévio pelos clientes/fornecedores, principalmente através de Boi a Termo (mercado futuro) para que não ocorra a falta do produto nas gôndolas do varejo.

Numa reportagem, o programa Giro do Boi, explicou os conceitos do Protocolo 1953 (ano de fundação da Friboi no Brasil), que é uma semelhança a um outro protocolo que também homenageia uma marca de carne, essa famosa mundialmente: a 1855, uma menção ao ano de fundação da Swift. Nesta mesma reportagem, apresentamos alguns dos clientes/fornecedores em suas propriedades; a alegria deles em serem remunerados pela qualidade de seus produtos e pelo reconhecimento de suas respectivas raças bovinas; ouvimos os pecuaristas que participaram da confraria; e as pretensões da indústria em fortalecer os clientes em ampliar o fornecimento do Protocolo 1953 tanto no Brasil, quanto no mercado mundial.

Números do 1º ano do Protocolo 1953:

  • 550 pecuaristas fornecedores;
  • 100 mil animais abatidos, sendo 60% certificados no protocolo;
  • 5 mil toneladas de carne entregues no mercado;
  • 8 mil pontos de venda no Brasil, sendo 3,5 mil efetivas.        

Confira, abaixo, uma reportagem que apresenta o conceito do Protocolo 1953 e como foi o encontro dos produtores:

VEJA TAMBÉM

Todo imóvel rural precisa ter uma área de reserva legal?

No quadro Direito Agrário desta terça-feira, 17, o advogado Pedro Puttini Mendes, especialista em direito ambiental, falou sobre uma dúvida frequente e recorrente do produtor

O que é verdadeiro e o que é fake news na hora de escolher um touro?

Com a chegada da temporada de leilões de touros no Brasil, as ofertas e opções são inúmeras. Mas será que tudo que se diz é verdade? Será que o reprodutor que cobrir a vacada vai resultar em bons bezerros para o criador?

Confira as fazendas em destaque do dia 17 de setembro de 2019

Originadores apresentaram lotes dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Confira as participações.

Unidade de Marabá-PA recebe mais uma etapa do Circuito Nelore de Qualidade 2019

O abate técnico reuniu cerca de 946 cabeças de 16 pecuaristas do estado. Os produtores irão concorrer para melhores lotes nas categorias machos e fêmeas,o resultado será divulgado ainda nesta semana.

Friboi celebra com pecuaristas primeiro ano de sucesso do Protocolo 1953

19 abril 2019
1953

Ao completar o primeiro ano de lançamento do protocolo multiraças, que prestigia e valoriza a produção de carne de qualidade, a Friboi reuniu na cidade de São Paulo 25 dos mais renomados pecuaristas do Brasil para apresentar os números e celebrar o sucesso do Protocolo 1953, que homenageia o ano de fundação da companhia no país. Durante uma confraria, os fazendeiros puderam entender melhor a importância dos cruzamentos e do capricho no uso de tecnologias de produção, além de saborear a carne que está caindo no gosto do consumidor.

O diretor executivo de Originação da Friboi, o zootecnista Eduardo Pedroso, explicou, durante o evento, que os números consolidados não deixam dúvidas da importância da união do elo da cadeia produtiva da carne bovina de qualidade no país. “Planejamento é uma palavra fundamental para o sucesso dos pecuaristas, indústria, varejo e consumidor. Tudo é garantido através de contrato de venda da matéria prima por parte do fazendeiro e, também por contrato, a entrega para os pontos de comercialização onde não pode haver rupturas no fornecimento”, disse, lembrando que “uma vez a dona de casa experimentando e gostando da grife de carne premium, ela não pode ficar sem o produto”.

O presidente da Friboi no Brasil, Renato Costa, também disse que esta celebração do primeiro ano da marca de carnes 1953 vai de encontro às necessidades do consumidor que está cada vez mais exigente e esclarecido. “Ele sabe o que está levando para sua casa”, salientou, relembrando a importância do planejamento prévio pelos clientes/fornecedores, principalmente através de Boi a Termo (mercado futuro) para que não ocorra a falta do produto nas gôndolas do varejo.

Numa reportagem, o programa Giro do Boi, explicou os conceitos do Protocolo 1953 (ano de fundação da Friboi no Brasil), que é uma semelhança a um outro protocolo que também homenageia uma marca de carne, essa famosa mundialmente: a 1855, uma menção ao ano de fundação da Swift. Nesta mesma reportagem, apresentamos alguns dos clientes/fornecedores em suas propriedades; a alegria deles em serem remunerados pela qualidade de seus produtos e pelo reconhecimento de suas respectivas raças bovinas; ouvimos os pecuaristas que participaram da confraria; e as pretensões da indústria em fortalecer os clientes em ampliar o fornecimento do Protocolo 1953 tanto no Brasil, quanto no mercado mundial.

Números do 1º ano do Protocolo 1953:

  • 550 pecuaristas fornecedores;
  • 100 mil animais abatidos, sendo 60% certificados no protocolo;
  • 5 mil toneladas de carne entregues no mercado;
  • 8 mil pontos de venda no Brasil, sendo 3,5 mil efetivas.        

Confira, abaixo, uma reportagem que apresenta o conceito do Protocolo 1953 e como foi o encontro dos produtores:

VEJA TAMBÉM

No quadro Direito Agrário desta terça-feira, 17, o advogado Pedro Puttini Mendes, especialista em direito ambiental, falou sobre uma dúvida frequente e recorrente do produtor

Com a chegada da temporada de leilões de touros no Brasil, as ofertas e opções são inúmeras. Mas será que tudo que se diz é verdade? Será que o reprodutor que cobrir a vacada vai resultar em bons bezerros para o criador?

Originadores apresentaram lotes dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Confira as participações.

O abate técnico reuniu cerca de 946 cabeças de 16 pecuaristas do estado. Os produtores irão concorrer para melhores lotes nas categorias machos e fêmeas,o resultado será divulgado ainda nesta semana.

Ao completar 35 anos de existência, o Programa de Melhoramento Genético, começa a ganhar as regiões de pecuária do Brasil. Dessa vez, a capital do Acre, Rio Branco, vai receber nesta semana (18 e 19/09) uma “bateria” de palestras e dinâmicas sobre a importância da genética de ponta para o aumento de produtividade das fazendas.

A maior expedição técnica privada sobre a pecuária de corte no Brasil, apontou ainda crescimento de 25% na produtividade dos amostrados, totalizando 310 propriedades visitadas de 10 estados e 128 municípios. As sete equipes que saíram a campo percorreram 50 mil quilômetros nesta edição do Rally.

No quadro Direito Agrário desta terça-feira, 17, o advogado Pedro Puttini Mendes, especialista em direito ambiental, falou sobre uma dúvida frequente e recorrente do produtor

O Instituto Nacional de Meteorologia, INMET, trouxe uma boa notícia para a agropecuária das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Norte do país. Embora não seja de forte intensidade, a partir do dia 20 de setembro, estados como São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia receberão...

Fazenda Figueira, do município de Paranapanema, interior do estado de São Paulo, foi um dos destaques desta sexta-feira, no Giro do Boi, onde os originadores apresentam os bons modelos de produção e os valores da @ em cada unidade que participa do quadro Giro pelo Brasil.

Originadores apresentaram lotes dos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Confira as participações.

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE