IZ aponta que consumo de matéria seca por matrizes mais eficientes é até 12% menor

07 janeiro 2019
Bezerro

O principal objetivo das tradicionais provas de ganho de peso do Instituto de Zootecnia de São Paulo, localizado em Sertãozinho-SP, é descobrir indivíduos e linhagens mais eficientes, ou seja, aqueles que consomem menos alimentos para produzir mais em carcaça do que a média do lote analisado.

E em uma bateria destes testes, iniciada em 2016, a zootecnista, mestre em ciências biológicas e doutora em ciência animal e pastagens, Maria Eugênia Mercadante, pesquisadora do IZ, descobriu matrizes mais eficientes que consumiram 12% menos matéria seca por dia em relação às fêmeas menos produtivas.

Nesta segunda, dia 07, o Giro do Boi levou ao ar entrevista com Maria Eugênia, que explicou quais foram as etapas da avaliação e as ponderações sobre as descobertas.

“O que nós concluímos no primeiro ano? As vacas mais eficientes ingeriram 12% a menos de matéria seca por dia do que as menos eficientes, mas o desempenho delas foi muito similar, tanto na produção de leite quanto na condição corporal, o perfil metabólico e o crescimento, o ganho de peso dos bezerros. Os resultados foram muito encorajadores porque eles mostra que a gente pode continuar buscando para selecionar animais mais eficientes sem efeitos na habilidade materna destas matrizes. Embora estes resultados sejam preliminares, eles são encorajadores”, comemorou a zootecnista e pesquisadora.

Veja  os detalhes do estudo desenvolvido pelo Instituto de Zootecnia de São Paulo:

VEJA TAMBÉM

Pecuária colombiana é exemplo para o Brasil no combate às plantas daninhas

No país sul-americano, é comum a prática de limpeza das áreas de pastagens através da aplicação de herbicidas. Isso faz com que os “ganadeiros” colombianos consigam uma produtividade média de 7/UA/HA, enquanto que no Brasil não atingimos nem a metade desse número, no Mato Grosso, por exemplo, a Embrapa Agrossilvipastoril, sediada em Sinop, estima uma...

Confira as fazendas em destaque desta terça-feira, 19 de março de 2019

Nesta terça-feira o programa Giro do Boi exibiu para todo o Brasil os lotes que mais se destacaram nas unidades de abate dos estados de SP, MT e MS.

Confira as fazendas em destaque desta segunda-feira, 18 de março de 2019

A semana começou com lotes em destaque oriundos dos estados de MS, MT e SP.

Presidente da Angus alerta para “sazonalidade” na oferta de carne no Brasil

Duas alternativas podem ajudar o fazendeiro a ter um equilíbrio na oferta de seu produto o ano todo: o uso da tecnologia da inseminação artificial (IATF) e o confinamento, inclusive no período das águas.

IZ aponta que consumo de matéria seca por matrizes mais eficientes é até 12% menor

07 janeiro 2019
Bezerro

O principal objetivo das tradicionais provas de ganho de peso do Instituto de Zootecnia de São Paulo, localizado em Sertãozinho-SP, é descobrir indivíduos e linhagens mais eficientes, ou seja, aqueles que consomem menos alimentos para produzir mais em carcaça do que a média do lote analisado.

E em uma bateria destes testes, iniciada em 2016, a zootecnista, mestre em ciências biológicas e doutora em ciência animal e pastagens, Maria Eugênia Mercadante, pesquisadora do IZ, descobriu matrizes mais eficientes que consumiram 12% menos matéria seca por dia em relação às fêmeas menos produtivas.

Nesta segunda, dia 07, o Giro do Boi levou ao ar entrevista com Maria Eugênia, que explicou quais foram as etapas da avaliação e as ponderações sobre as descobertas.

“O que nós concluímos no primeiro ano? As vacas mais eficientes ingeriram 12% a menos de matéria seca por dia do que as menos eficientes, mas o desempenho delas foi muito similar, tanto na produção de leite quanto na condição corporal, o perfil metabólico e o crescimento, o ganho de peso dos bezerros. Os resultados foram muito encorajadores porque eles mostra que a gente pode continuar buscando para selecionar animais mais eficientes sem efeitos na habilidade materna destas matrizes. Embora estes resultados sejam preliminares, eles são encorajadores”, comemorou a zootecnista e pesquisadora.

Veja  os detalhes do estudo desenvolvido pelo Instituto de Zootecnia de São Paulo:

VEJA TAMBÉM

No país sul-americano, é comum a prática de limpeza das áreas de pastagens através da aplicação de herbicidas. Isso faz com que os “ganadeiros” colombianos consigam uma produtividade média de 7/UA/HA, enquanto que no Brasil não atingimos nem a metade desse número, no Mato Grosso, por exemplo, a Embrapa Agrossilvipastoril, sediada em Sinop, estima uma...

Nesta terça-feira o programa Giro do Boi exibiu para todo o Brasil os lotes que mais se destacaram nas unidades de abate dos estados de SP, MT e MS.

A semana começou com lotes em destaque oriundos dos estados de MS, MT e SP.

Duas alternativas podem ajudar o fazendeiro a ter um equilíbrio na oferta de seu produto o ano todo: o uso da tecnologia da inseminação artificial (IATF) e o confinamento, inclusive no período das águas.

Confira a fazenda em destaque desta sexta, localizada na região de MT

“A última chuva que caiu por aqui foi antes do Natal”, disse o entrevistado, acrescentando que os problemas também atingem as cidades que dependem do Rio Pardo, principal da região e que abastece dezenas de cidades ao longo da margem.

No primeiro episódio da série, que estará sendo apresentada no Giro do Boi todas as sextas-feiras, Chaker nos explicou a “ter a fazenda nas mãos”. Foram três dicas importantes sobre pessoas, processos e finanças.

“Caruru gigante” é uma planta invasora muito agressiva, de rápido crescimento, tolerante ao herbicida glifosato e que tem se alastrado no Mato Grosso, principalmente na região de Lucas do Rio Verde, região central do Estado.

Confira a fazenda em destaque desta sexta, localizada na região de MT

Entre as facilidades para efetivar doações particulares está modalidade via imposto de renda; entenda como realizar o processo

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE