O que são micotoxinas e como podem comprometer o desempenho do gado em confinamento

08 janeiro 2019
FOTO REDIMENSIONADA 03

O Giro do Boi desta terça, 08, fez um alerta aos pecuaristas que terminam gado em confinamento e que podem ter um inimigo oculto nas dietas intensivas: as micotoxinas. São substâncias potencialmente tóxicas produzidas por fungos e que estão presentes em 100% das amostras de ração de confinamento do Brasil, conforme atestou uma coleta de um estudo desenvolvido pela zootecnista Letícia Custódio, mestre em ciência animal e pastagens e conservação de forragens pela Esalq-USP e doutoranda em zootecnia pela FCAV-Unesp e pela Apta.

Dependendo da concentração das toxinas na ração, a micotoxina pode levar até à morte, ainda que casos extremos em bovinos sejam raros. O que é realmente comum é a perda de desempenho em ganho de peso, que pode ser até 200 g por dia menor do que em animais que consomem alimentos com concentração baixa da substância. De acordo com a pesquisa, animais que receberam rações com contaminação baixa ganharam por dia 1,770 kg, enquanto animais que consumiram rações com contaminações mais altas ganharam 1,510 kg.

“Esse impacto vai ser muito dependente da contaminação. […] Se for uma contaminação alta, o impacto é agressivo, porque pode ocasionar até morte dos animais. Se for uma contaminação mais baixa, ocasiona a perda de desempenho, então uma perda de 200 gramas por dia em confinamento no ganho médio diário”, quantificou a pesquisadora.

Veja a entrevista completa de Letícia Custódio ao Giro do Boi:

VEJA TAMBÉM

Pecuária colombiana é exemplo para o Brasil no combate às plantas daninhas

No país sul-americano, é comum a prática de limpeza das áreas de pastagens através da aplicação de herbicidas. Isso faz com que os “ganadeiros” colombianos consigam uma produtividade média de 7/UA/HA, enquanto que no Brasil não atingimos nem a metade desse número, no Mato Grosso, por exemplo, a Embrapa Agrossilvipastoril, sediada em Sinop, estima uma...

Confira as fazendas em destaque desta terça-feira, 19 de março de 2019

Nesta terça-feira o programa Giro do Boi exibiu para todo o Brasil os lotes que mais se destacaram nas unidades de abate dos estados de SP, MT e MS.

Confira as fazendas em destaque desta segunda-feira, 18 de março de 2019

A semana começou com lotes em destaque oriundos dos estados de MS, MT e SP.

Presidente da Angus alerta para “sazonalidade” na oferta de carne no Brasil

Duas alternativas podem ajudar o fazendeiro a ter um equilíbrio na oferta de seu produto o ano todo: o uso da tecnologia da inseminação artificial (IATF) e o confinamento, inclusive no período das águas.

O que são micotoxinas e como podem comprometer o desempenho do gado em confinamento

08 janeiro 2019
FOTO REDIMENSIONADA 03

O Giro do Boi desta terça, 08, fez um alerta aos pecuaristas que terminam gado em confinamento e que podem ter um inimigo oculto nas dietas intensivas: as micotoxinas. São substâncias potencialmente tóxicas produzidas por fungos e que estão presentes em 100% das amostras de ração de confinamento do Brasil, conforme atestou uma coleta de um estudo desenvolvido pela zootecnista Letícia Custódio, mestre em ciência animal e pastagens e conservação de forragens pela Esalq-USP e doutoranda em zootecnia pela FCAV-Unesp e pela Apta.

Dependendo da concentração das toxinas na ração, a micotoxina pode levar até à morte, ainda que casos extremos em bovinos sejam raros. O que é realmente comum é a perda de desempenho em ganho de peso, que pode ser até 200 g por dia menor do que em animais que consomem alimentos com concentração baixa da substância. De acordo com a pesquisa, animais que receberam rações com contaminação baixa ganharam por dia 1,770 kg, enquanto animais que consumiram rações com contaminações mais altas ganharam 1,510 kg.

“Esse impacto vai ser muito dependente da contaminação. […] Se for uma contaminação alta, o impacto é agressivo, porque pode ocasionar até morte dos animais. Se for uma contaminação mais baixa, ocasiona a perda de desempenho, então uma perda de 200 gramas por dia em confinamento no ganho médio diário”, quantificou a pesquisadora.

Veja a entrevista completa de Letícia Custódio ao Giro do Boi:

VEJA TAMBÉM

No país sul-americano, é comum a prática de limpeza das áreas de pastagens através da aplicação de herbicidas. Isso faz com que os “ganadeiros” colombianos consigam uma produtividade média de 7/UA/HA, enquanto que no Brasil não atingimos nem a metade desse número, no Mato Grosso, por exemplo, a Embrapa Agrossilvipastoril, sediada em Sinop, estima uma...

Nesta terça-feira o programa Giro do Boi exibiu para todo o Brasil os lotes que mais se destacaram nas unidades de abate dos estados de SP, MT e MS.

A semana começou com lotes em destaque oriundos dos estados de MS, MT e SP.

Duas alternativas podem ajudar o fazendeiro a ter um equilíbrio na oferta de seu produto o ano todo: o uso da tecnologia da inseminação artificial (IATF) e o confinamento, inclusive no período das águas.

Confira a fazenda em destaque desta sexta, localizada na região de MT

“A última chuva que caiu por aqui foi antes do Natal”, disse o entrevistado, acrescentando que os problemas também atingem as cidades que dependem do Rio Pardo, principal da região e que abastece dezenas de cidades ao longo da margem.

No primeiro episódio da série, que estará sendo apresentada no Giro do Boi todas as sextas-feiras, Chaker nos explicou a “ter a fazenda nas mãos”. Foram três dicas importantes sobre pessoas, processos e finanças.

“Caruru gigante” é uma planta invasora muito agressiva, de rápido crescimento, tolerante ao herbicida glifosato e que tem se alastrado no Mato Grosso, principalmente na região de Lucas do Rio Verde, região central do Estado.

Confira a fazenda em destaque desta sexta, localizada na região de MT

Entre as facilidades para efetivar doações particulares está modalidade via imposto de renda; entenda como realizar o processo

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE