Pecuarista não pode “tapar o buraco da ineficiência” com dinheiro, diz consultor

22 outubro 2019
gestao-agropecuaria-delegar-ou-delargar-chaker

No terceiro bloco do Giro do Boi especial de lançamento do Benchmarking 2018-19 exibido na noite desta segunda, dia 21, o consultor Antônio Chaker, diretor do instituto Inttegra, que levanta números e compara desempenhos de fazendas no Brasil, Paraguai e Bolívia (foram 378 propriedades em 2019), deu seu recado para os pecuaristas de ciclo completo. “Ciclo completo realmente é uma atividade que tem oportunidade avanço incrível”, disse o zootecnista. Afinal, as melhorias podem ser feitas em cada uma das três fases – cria, recria e engorda do boi crioulo.

Chaker afirmou que nas análises do benchmarking ficou constatado que as fazendas de prejuízo no ciclo completo tiveram GMD global de 0,359 kg, enquanto as top rentáveis chegaram a 0,418. O consultor lembrou que GMD global é o ganho de todos os animais dentro da propriedade, medindo peso ao final do ano sobre o peso no início ano, ponderando tudo o que entrou e saiu, lembrando também que vaca ganha peso através do bezerro.

Mas um bom GMD não basta para colocar as fazendas de ciclo completo no time das top rentáveis. É necessário combinar com o ajuste de lotação. Enquanto as piores fazendas tiveram lotação média de 1,3 UA/ha com uma produção de 8,9 @/ha/ano, as top rentáveis tiveram 1,5 UA/ha com uma produção de 10,9 @/ha/ano. A diferença parece não tão grande?

“O processo é sempre de muitos detalhes, de muito capricho. A gente está a cada dia mais acostumado a dizer que pecuária rentável é muito mais jeito do que força. E que a gente nunca pode tapar o buraco da ineficiência com dinheiro. Então temos uso de tecnologias que não usam recursos e conhecimentos que ajudam muito a gente a produzir numa fazenda de ciclo completo”, esclareceu.

Para exemplificar sua colocação, Chaker afirmou que as piores fazendas de ciclo completo tiveram custo de produção de R$ 206 por arroba, ou seja, não teriam lucro nem se fossem remuneradas as R$ 200/@. O segredo para equilibrar este indicador está no custo de produção por cabeça ao mês, que gira em torno de R$ 79 para a turma do prejuízo e R$ 52 para as top rentáveis. “Resultado nunca se compra, resultado se conquista. E resultado se conquista com capricho, com trabalho, com foco e fazendo de tudo para bater metas”, encorajou.

+ Lançamento Benchmarking 2018-19 / 1º bloco: Quais são as duas realidades da pecuária brasileira?

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 2º bloco: Como transformar sua fazenda em uma máquina de colher bezerro – e dinheiro?

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 4º bloco: Por que o pecuarista de recria e engorda deve estar atento à “torneira do desembolso”?

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 5º bloco: Fazendas mais lucrativas do Brasil pagam mais a funcionários

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 6º bloco: Aprenda a regra de ouro para lucrar com pecuária de corte

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 7º bloco: Seis fatores que sustentam a margem das fazendas de pecuária mais lucrativas

O gestor Clovenílson Cano, da Agropecuária Santa Mariana, grupo com propriedades em MS e TO e um dos destaques na atividade de ciclo completo, afirmou em depoimento que clareza na apuração dos números, o planejamento de estratégias para o sistema de produção de cada categoria, execução deste plano e o acompanhamento do que está sendo realizado são fatores determinantes para o sucesso.

Veja o terceiro bloco do Giro do Boi especial na íntegra pelo vídeo abaixo:

Benchmarking Inttegra 2018-2019: veja apresentação completa dos números

VEJA TAMBÉM

Como fazer divisão de pasto na fazenda?

Agrônomo destaca que sem a divisão não é possível fazer manejo de pastagem; confira recomendações para intensificar o sistema desde o pastejo alternado até o rotacionado

Confira as fazendas em destaque do dia 21 de novembro de 2019

Fazendas localizadas em São Paulo, Rondônia e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Etapa de Campo Grande-MS encerra Circuito Nelore de Qualidade 2019

Abate técnico ocorreu na quarta, 20, e avaliou as carcaças de mais de 1.500 animais; etapa definirá a classificação do ranking nacional

“Sinergia entre indústria, pecuarista e consumidor é positiva e necessária”

Em entrevista ao Giro do Boi, Bruno Brainer, gerente de originação da Friboi para Rondônia e Acre, falou sobre parceria com produtor em 2019 e evolução da pecuária na região

Pecuarista não pode “tapar o buraco da ineficiência” com dinheiro, diz consultor

22 outubro 2019
gestao-agropecuaria-delegar-ou-delargar-chaker

No terceiro bloco do Giro do Boi especial de lançamento do Benchmarking 2018-19 exibido na noite desta segunda, dia 21, o consultor Antônio Chaker, diretor do instituto Inttegra, que levanta números e compara desempenhos de fazendas no Brasil, Paraguai e Bolívia (foram 378 propriedades em 2019), deu seu recado para os pecuaristas de ciclo completo. “Ciclo completo realmente é uma atividade que tem oportunidade avanço incrível”, disse o zootecnista. Afinal, as melhorias podem ser feitas em cada uma das três fases – cria, recria e engorda do boi crioulo.

Chaker afirmou que nas análises do benchmarking ficou constatado que as fazendas de prejuízo no ciclo completo tiveram GMD global de 0,359 kg, enquanto as top rentáveis chegaram a 0,418. O consultor lembrou que GMD global é o ganho de todos os animais dentro da propriedade, medindo peso ao final do ano sobre o peso no início ano, ponderando tudo o que entrou e saiu, lembrando também que vaca ganha peso através do bezerro.

Mas um bom GMD não basta para colocar as fazendas de ciclo completo no time das top rentáveis. É necessário combinar com o ajuste de lotação. Enquanto as piores fazendas tiveram lotação média de 1,3 UA/ha com uma produção de 8,9 @/ha/ano, as top rentáveis tiveram 1,5 UA/ha com uma produção de 10,9 @/ha/ano. A diferença parece não tão grande?

“O processo é sempre de muitos detalhes, de muito capricho. A gente está a cada dia mais acostumado a dizer que pecuária rentável é muito mais jeito do que força. E que a gente nunca pode tapar o buraco da ineficiência com dinheiro. Então temos uso de tecnologias que não usam recursos e conhecimentos que ajudam muito a gente a produzir numa fazenda de ciclo completo”, esclareceu.

Para exemplificar sua colocação, Chaker afirmou que as piores fazendas de ciclo completo tiveram custo de produção de R$ 206 por arroba, ou seja, não teriam lucro nem se fossem remuneradas as R$ 200/@. O segredo para equilibrar este indicador está no custo de produção por cabeça ao mês, que gira em torno de R$ 79 para a turma do prejuízo e R$ 52 para as top rentáveis. “Resultado nunca se compra, resultado se conquista. E resultado se conquista com capricho, com trabalho, com foco e fazendo de tudo para bater metas”, encorajou.

+ Lançamento Benchmarking 2018-19 / 1º bloco: Quais são as duas realidades da pecuária brasileira?

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 2º bloco: Como transformar sua fazenda em uma máquina de colher bezerro – e dinheiro?

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 4º bloco: Por que o pecuarista de recria e engorda deve estar atento à “torneira do desembolso”?

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 5º bloco: Fazendas mais lucrativas do Brasil pagam mais a funcionários

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 6º bloco: Aprenda a regra de ouro para lucrar com pecuária de corte

Lançamento Benchmarking 2018-19 / 7º bloco: Seis fatores que sustentam a margem das fazendas de pecuária mais lucrativas

O gestor Clovenílson Cano, da Agropecuária Santa Mariana, grupo com propriedades em MS e TO e um dos destaques na atividade de ciclo completo, afirmou em depoimento que clareza na apuração dos números, o planejamento de estratégias para o sistema de produção de cada categoria, execução deste plano e o acompanhamento do que está sendo realizado são fatores determinantes para o sucesso.

Veja o terceiro bloco do Giro do Boi especial na íntegra pelo vídeo abaixo:

Benchmarking Inttegra 2018-2019: veja apresentação completa dos números

VEJA TAMBÉM

Agrônomo destaca que sem a divisão não é possível fazer manejo de pastagem; confira recomendações para intensificar o sistema desde o pastejo alternado até o rotacionado

Fazendas localizadas em São Paulo, Rondônia e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Abate técnico ocorreu na quarta, 20, e avaliou as carcaças de mais de 1.500 animais; etapa definirá a classificação do ranking nacional

Em entrevista ao Giro do Boi, Bruno Brainer, gerente de originação da Friboi para Rondônia e Acre, falou sobre parceria com produtor em 2019 e evolução da pecuária na região

Fazendas localizadas no Mato Grosso do Sul e Minas Gerais foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Veja imagens do lote de novilhas meio-sangue Angus da Fazenda São Luiz, em Santa Tereza-GO, que marcou 98% Verde no Farol da Qualidade

Cuidar das forrageiras é essencial para fazendas de pecuária a pasto, mas existe um fator limitante para o sucesso do produtor; saiba qual é

Abate técnico ocorreu na quarta, 20, e avaliou as carcaças de mais de 1.500 animais; etapa definirá a classificação do ranking nacional

Agrônomo Maurício Nogueira falou em entrevista sobre como investir da maneira certa no momento de alta e os impactos das mentiras sobre a sustentabilidade do setor

Declaração para o imposto venceu em setembro, mas os problemas começam depois do fim do prazo; confira as dicas do consultor jurídico

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE