Pré-abate: currais adaptados e manejo garantem bem-estar animal na indústria

10 janeiro 2019
09-03 - PEDRA PRETA - fazenda Recanto Itiquira MT 100 Novilhas

Controle térmico, critérios na formação da equipe que recepciona os animais, o trabalho da garantia da qualidade e o tratamento de dejetos. Você conhece o caminho que os bois percorrem no curral da indústria até a sala de abates e qual a importância dos cuidados nesta etapa da fase de produção?

Curta a página do Giro do Boi no Facebook

O Giro do Boi desta quinta, 10, tratou do assunto em entrevista com Guilherme Ribeiro, supervisor de produção da unidade da indústria em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. O profissional revelou que, ao chegar à unidade de abates, os animais são recebidos por uma equipe de cerca de dez pessoas responsáveis pela acomodação nas baias do curral e posterior locomoção até a sala de abates.

O curral, em formato “espinha de peixe”, foi construído seguindo o modelo desenvolvido pela Dra. Temple Grandin, uma das maiores especialistas em bem-estar animal do mundo. A estrutura previne quedas, escorregões e pausas no fluxo de locomoção. Ao final do corredor até a sala de abates está a chamada entrada em “S”, seguindo o movimento natural dos bovinos em semi-círculo, facilitando o trabalho dos colaboradores, evitando prejuízos ao pecuarista e o estresse, que pode impactar na qualidade da carne.

+ Confira a entrevista exclusiva da Dra. Temple Grandin ao Giro do Boi

De acordo com Guilherme Ribeiro, as baias do curral devem ser grandes o suficiente para que os animais consigam se locomover e deitar sem prejuízo ao conforto, com cerca de 2,5 metros quadrados por cabeça. Em dias de calor, aspersores de água são ligados para manter a temperatura agradável. A água também é fornecida à vontade para os lotes até o momento do abate. Depois da saída dos animais, a limpeza é feita nas baias e os dejetos seguem para uma estação de tratamento, evitando com que o próximo lote chegue em um local sujo e também a dispersão de agentes de contaminação na natureza.

Veja as informações completas pelo vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

ILPF reduz temperatura em até 12º C e consumo de água em 20%

Pesquisadora da Embrapa ressaltou que conforto térmico eleva níveis de produtividade do rebanho, acelerando ganho de peso e aumentando da taxa de prenhez

Tempo seco chega para valer na região central do Brasil e pode causar queimadas

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Definido o melhor lote do mês de maio

Fazenda vencedora vem do estado de Rondônia e levou a disputa com mais de 67% dos votos pelo site do Giro do Boi

2º Roda Sertaneja reúne produtores do norte mato-grossense em Alta Floresta-MT

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Pré-abate: currais adaptados e manejo garantem bem-estar animal na indústria

10 janeiro 2019
09-03 - PEDRA PRETA - fazenda Recanto Itiquira MT 100 Novilhas

Controle térmico, critérios na formação da equipe que recepciona os animais, o trabalho da garantia da qualidade e o tratamento de dejetos. Você conhece o caminho que os bois percorrem no curral da indústria até a sala de abates e qual a importância dos cuidados nesta etapa da fase de produção?

Curta a página do Giro do Boi no Facebook

O Giro do Boi desta quinta, 10, tratou do assunto em entrevista com Guilherme Ribeiro, supervisor de produção da unidade da indústria em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. O profissional revelou que, ao chegar à unidade de abates, os animais são recebidos por uma equipe de cerca de dez pessoas responsáveis pela acomodação nas baias do curral e posterior locomoção até a sala de abates.

O curral, em formato “espinha de peixe”, foi construído seguindo o modelo desenvolvido pela Dra. Temple Grandin, uma das maiores especialistas em bem-estar animal do mundo. A estrutura previne quedas, escorregões e pausas no fluxo de locomoção. Ao final do corredor até a sala de abates está a chamada entrada em “S”, seguindo o movimento natural dos bovinos em semi-círculo, facilitando o trabalho dos colaboradores, evitando prejuízos ao pecuarista e o estresse, que pode impactar na qualidade da carne.

+ Confira a entrevista exclusiva da Dra. Temple Grandin ao Giro do Boi

De acordo com Guilherme Ribeiro, as baias do curral devem ser grandes o suficiente para que os animais consigam se locomover e deitar sem prejuízo ao conforto, com cerca de 2,5 metros quadrados por cabeça. Em dias de calor, aspersores de água são ligados para manter a temperatura agradável. A água também é fornecida à vontade para os lotes até o momento do abate. Depois da saída dos animais, a limpeza é feita nas baias e os dejetos seguem para uma estação de tratamento, evitando com que o próximo lote chegue em um local sujo e também a dispersão de agentes de contaminação na natureza.

Veja as informações completas pelo vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Pesquisadora da Embrapa ressaltou que conforto térmico eleva níveis de produtividade do rebanho, acelerando ganho de peso e aumentando da taxa de prenhez

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Fazenda vencedora vem do estado de Rondônia e levou a disputa com mais de 67% dos votos pelo site do Giro do Boi

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Fazenda localizada em Ribeirão Cascalheira, estado do Mato Grosso, foi destaque do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Cerimônia foi marcada por assinatura de protocolo de intenções de colaboração entre ministérios da Agricultura, Meio Ambiente, Defesa e Relações Exteriores

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Advogado recomenda que produtor não assine notificações caso o fiscal não esclareça de forma satisfatória os motivos da penalização

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Quadro Giro na Estrada trouxe dicas de embarque aos invernistas ativos no mercado da reposição nesta entressafra

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE