Pré-abate: currais adaptados e manejo garantem bem-estar animal na indústria

10 janeiro 2019
09-03 - PEDRA PRETA - fazenda Recanto Itiquira MT 100 Novilhas

Controle térmico, critérios na formação da equipe que recepciona os animais, o trabalho da garantia da qualidade e o tratamento de dejetos. Você conhece o caminho que os bois percorrem no curral da indústria até a sala de abates e qual a importância dos cuidados nesta etapa da fase de produção?

Curta a página do Giro do Boi no Facebook

O Giro do Boi desta quinta, 10, tratou do assunto em entrevista com Guilherme Ribeiro, supervisor de produção da unidade da indústria em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. O profissional revelou que, ao chegar à unidade de abates, os animais são recebidos por uma equipe de cerca de dez pessoas responsáveis pela acomodação nas baias do curral e posterior locomoção até a sala de abates.

O curral, em formato “espinha de peixe”, foi construído seguindo o modelo desenvolvido pela Dra. Temple Grandin, uma das maiores especialistas em bem-estar animal do mundo. A estrutura previne quedas, escorregões e pausas no fluxo de locomoção. Ao final do corredor até a sala de abates está a chamada entrada em “S”, seguindo o movimento natural dos bovinos em semi-círculo, facilitando o trabalho dos colaboradores, evitando prejuízos ao pecuarista e o estresse, que pode impactar na qualidade da carne.

+ Confira a entrevista exclusiva da Dra. Temple Grandin ao Giro do Boi

De acordo com Guilherme Ribeiro, as baias do curral devem ser grandes o suficiente para que os animais consigam se locomover e deitar sem prejuízo ao conforto, com cerca de 2,5 metros quadrados por cabeça. Em dias de calor, aspersores de água são ligados para manter a temperatura agradável. A água também é fornecida à vontade para os lotes até o momento do abate. Depois da saída dos animais, a limpeza é feita nas baias e os dejetos seguem para uma estação de tratamento, evitando com que o próximo lote chegue em um local sujo e também a dispersão de agentes de contaminação na natureza.

Veja as informações completas pelo vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Exigência aumenta e indústria da carne reforça ações dedicadas ao bem-estar

Além do ponto de vista ético, tratamento adequado aos animais melhora a qualidade do produto; veja as principais ações dedicadas ao bem-estar e faça download de publicações atualizadas sobre o tema

Confira as fazendas em destaque do dia 16 de janeiro de 2019

Fazendas nos estados do Acre, São Paulo e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Manual de Boas Práticas de Manejo – Bovinos de Corte

Publicação está em consonância com os manuais de boas práticas de manejo lançados e atualizados pelo Grupo Etco e reúnes as informações mais importantes de cada um dos livretos; faça o download

Oxigênio da pecuária é margem, não o preço da arroba, destaca analista

Intensificando a gestão, pecuarista pode ganhar dinheiro em ciclos de alta e de baixa, afirmou consultor Rodrigo Albuquerque, editor do Notícias do Front

Pré-abate: currais adaptados e manejo garantem bem-estar animal na indústria

10 janeiro 2019
09-03 - PEDRA PRETA - fazenda Recanto Itiquira MT 100 Novilhas

Controle térmico, critérios na formação da equipe que recepciona os animais, o trabalho da garantia da qualidade e o tratamento de dejetos. Você conhece o caminho que os bois percorrem no curral da indústria até a sala de abates e qual a importância dos cuidados nesta etapa da fase de produção?

Curta a página do Giro do Boi no Facebook

O Giro do Boi desta quinta, 10, tratou do assunto em entrevista com Guilherme Ribeiro, supervisor de produção da unidade da indústria em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. O profissional revelou que, ao chegar à unidade de abates, os animais são recebidos por uma equipe de cerca de dez pessoas responsáveis pela acomodação nas baias do curral e posterior locomoção até a sala de abates.

O curral, em formato “espinha de peixe”, foi construído seguindo o modelo desenvolvido pela Dra. Temple Grandin, uma das maiores especialistas em bem-estar animal do mundo. A estrutura previne quedas, escorregões e pausas no fluxo de locomoção. Ao final do corredor até a sala de abates está a chamada entrada em “S”, seguindo o movimento natural dos bovinos em semi-círculo, facilitando o trabalho dos colaboradores, evitando prejuízos ao pecuarista e o estresse, que pode impactar na qualidade da carne.

+ Confira a entrevista exclusiva da Dra. Temple Grandin ao Giro do Boi

De acordo com Guilherme Ribeiro, as baias do curral devem ser grandes o suficiente para que os animais consigam se locomover e deitar sem prejuízo ao conforto, com cerca de 2,5 metros quadrados por cabeça. Em dias de calor, aspersores de água são ligados para manter a temperatura agradável. A água também é fornecida à vontade para os lotes até o momento do abate. Depois da saída dos animais, a limpeza é feita nas baias e os dejetos seguem para uma estação de tratamento, evitando com que o próximo lote chegue em um local sujo e também a dispersão de agentes de contaminação na natureza.

Veja as informações completas pelo vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Além do ponto de vista ético, tratamento adequado aos animais melhora a qualidade do produto; veja as principais ações dedicadas ao bem-estar e faça download de publicações atualizadas sobre o tema

Fazendas nos estados do Acre, São Paulo e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Publicação está em consonância com os manuais de boas práticas de manejo lançados e atualizados pelo Grupo Etco e reúnes as informações mais importantes de cada um dos livretos; faça o download

Intensificando a gestão, pecuarista pode ganhar dinheiro em ciclos de alta e de baixa, afirmou consultor Rodrigo Albuquerque, editor do Notícias do Front

Fazendas nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Diretor do Qualitas Melhoramento Genético afirma que ganho de peso deve ser de ao menos 675 g por dia para alcançar o resultado

Fazendas nos estados do Acre, São Paulo e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Publicação está em consonância com os manuais de boas práticas de manejo lançados e atualizados pelo Grupo Etco e reúnes as informações mais importantes de cada um dos livretos; faça o download

Pecuarista deve fazer download do Termo de Adesão e entregar assinado aos compradores de gado das unidades da indústria; veja como tirar suas dúvidas sobre o processo

Diretor do Qualitas Melhoramento Genético afirma que ganho de peso deve ser de ao menos 675 g por dia para alcançar o resultado

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE