Quais consequências o produtor pode sofrer pelos erros na declaração do ITR?

19 novembro 2019
itr-2019-reproducao-faeg

“O imposto territorial rural teve seu prazo de declaração encerrado em setembro, mas isso não significa que a gente precisa parar de falar do tema, já que os problemas começam depois do prazo de declaração”, alertou nesta terça, 19, o advogado, professor de pós-graduação de direito agrário e ambiental, consultor jurídico e sócio-diretor da P&M Consultoria Jurídica, Pedro Puttini Mendes, no quadro Direito Agrário.

Puttini mostrou o exemplo de um produtor que cometeu equívocos nos preenchimento da declaração do imposto e ficou com um passivo de mais de R$ 415 mil, entre o ITR propriamente devido, juros e multa de 75%.

Boa parte dos produtores com problemas na declaração do ITR ficaram confusos com uma mudança ocorrida em 2008, isto porque o tributo federal passou a ser de responsabilidade das prefeituras municipais nos casos em que há estrutura adequada para o cumprimento da tarefa. Relembre a informação pelo link abaixo:

+ Produtores sofrem multas após mudanças na fiscalização do ITR; saiba como evitar

“As prefeituras estão fiscalizando, avaliando e cobrando o imposto. Como elas estão fazendo isto? Através do lançamento do imposto. Então em uma primeira oportunidade você pode receber uma notificação falando do valor que foi declarado errado, quando você vai ter oportunidade de apresentar um laudo. E se ele não for aceito vai ser lançado o imposto e você vai ter uma segunda oportunidade de apresentar a impugnação. E o que as prefeituras estão fazendo? Notificando o produtor rural […] a primeira etapa está sendo feita com a notificação deste crédito suplementar de ITR que tenha sido recolhido. […] E o que a Receita Federal está fazendo? Recebendo esta segunda etapa quando o imposto é impugnado pelo contribuinte e, infelizmente, em alguns casos, está causando um transtorno gigantesco pois acaba inscrevendo o nome do produtor numa dívida ativa”, explicou.

“Então como resolver aquilo que ainda não foi declarado? Este é o nosso alerta hoje. Aquilo que não foi declarado, já faça conforme as normas da ABNT, procure os laudos agronômicos, procure um especialista na parte agronômica e na parte jurídica para ele orientar melhor como fazer a sua declaração para evitar que daqui a dois três anos”, aconselhou.

Veja o quadro Direito Agrário desta terça, 19, na íntegra:

Mais dúvidas sobre este e outros temas do Direito Agrário podem ser encaminhadas ao e-mail do consultor pelo endereço contato@pmadvocacia.com.

Imagem ilustrativa: Reprodução / Faeg

VEJA TAMBÉM

Fazenda desenvolve modelo inovador para gestão de risco em pecuária

Reportagem mostra em detalhes o sistema de gestão de riscos da Agropastoril Paschoal Campanelli, localizada no interior paulista

Cigarrinhas, cupins, lagartas… como combater as principais pragas das pastagens?

Quem nunca teve praga na fazenda? “Truco, peão!”, brincou o consultor Wagner Pires; veja dicas de como e quando combater estes inimigos da produtividade

“Precisa de paixão”, diz produtor da Bahia sobre sucesso na pecuária

“Nós nos sentimos vocacionados para produzir alimento para todo o mundo”, diretor da Agropecuária EAO, de Itagibá, no sul do estado

Confira as fazendas em destaque do dia 12 de dezembro de 2019

Fazendas localizadas na Bahia, Minas Gerais e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Quais consequências o produtor pode sofrer pelos erros na declaração do ITR?

19 novembro 2019
itr-2019-reproducao-faeg

“O imposto territorial rural teve seu prazo de declaração encerrado em setembro, mas isso não significa que a gente precisa parar de falar do tema, já que os problemas começam depois do prazo de declaração”, alertou nesta terça, 19, o advogado, professor de pós-graduação de direito agrário e ambiental, consultor jurídico e sócio-diretor da P&M Consultoria Jurídica, Pedro Puttini Mendes, no quadro Direito Agrário.

Puttini mostrou o exemplo de um produtor que cometeu equívocos nos preenchimento da declaração do imposto e ficou com um passivo de mais de R$ 415 mil, entre o ITR propriamente devido, juros e multa de 75%.

Boa parte dos produtores com problemas na declaração do ITR ficaram confusos com uma mudança ocorrida em 2008, isto porque o tributo federal passou a ser de responsabilidade das prefeituras municipais nos casos em que há estrutura adequada para o cumprimento da tarefa. Relembre a informação pelo link abaixo:

+ Produtores sofrem multas após mudanças na fiscalização do ITR; saiba como evitar

“As prefeituras estão fiscalizando, avaliando e cobrando o imposto. Como elas estão fazendo isto? Através do lançamento do imposto. Então em uma primeira oportunidade você pode receber uma notificação falando do valor que foi declarado errado, quando você vai ter oportunidade de apresentar um laudo. E se ele não for aceito vai ser lançado o imposto e você vai ter uma segunda oportunidade de apresentar a impugnação. E o que as prefeituras estão fazendo? Notificando o produtor rural […] a primeira etapa está sendo feita com a notificação deste crédito suplementar de ITR que tenha sido recolhido. […] E o que a Receita Federal está fazendo? Recebendo esta segunda etapa quando o imposto é impugnado pelo contribuinte e, infelizmente, em alguns casos, está causando um transtorno gigantesco pois acaba inscrevendo o nome do produtor numa dívida ativa”, explicou.

“Então como resolver aquilo que ainda não foi declarado? Este é o nosso alerta hoje. Aquilo que não foi declarado, já faça conforme as normas da ABNT, procure os laudos agronômicos, procure um especialista na parte agronômica e na parte jurídica para ele orientar melhor como fazer a sua declaração para evitar que daqui a dois três anos”, aconselhou.

Veja o quadro Direito Agrário desta terça, 19, na íntegra:

Mais dúvidas sobre este e outros temas do Direito Agrário podem ser encaminhadas ao e-mail do consultor pelo endereço contato@pmadvocacia.com.

Imagem ilustrativa: Reprodução / Faeg

VEJA TAMBÉM

Reportagem mostra em detalhes o sistema de gestão de riscos da Agropastoril Paschoal Campanelli, localizada no interior paulista

Quem nunca teve praga na fazenda? “Truco, peão!”, brincou o consultor Wagner Pires; veja dicas de como e quando combater estes inimigos da produtividade

“Nós nos sentimos vocacionados para produzir alimento para todo o mundo”, diretor da Agropecuária EAO, de Itagibá, no sul do estado

Fazendas localizadas na Bahia, Minas Gerais e Mato Grosso foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Além de aumentar a própria produtividade e oferecer proteína a preços competitivos, pecuária impulsiona economia ao liberar áreas para outras atividades

Telespectador de Teixeira de Freitas-BA enviou dúvida sobre a escolha do melhor tipo do aditivo para gado que está estritamente em dieta de pasto

“Nós nos sentimos vocacionados para produzir alimento para todo o mundo”, diretor da Agropecuária EAO, de Itagibá, no sul do estado

Raça é uma grande máquina de fazer carne com base no capim e no sal mineral, reforçou executivo da ACNB em balanço do Circuito Nelore 2019

Com transformação de MP em lei federal, produtor tem novo prazo e novas normas para informar intenção de aderir ao PRA

Melhoramento genético do Nelore começa a colocar a raça em evidência no mercado da carne de qualidade e pode impulsionar pecuária brasileira

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE