Que tipo de pecuarista você é: trabalhador, artesão ou artista?

16 janeiro 2020
pecuarista-trabalhador-artesao-artista

Chegou ao fim nesta quinta, dia 16, a série Pastagem de A a Z, quadro conduzido pelo engenheiro agrônomo, pós-graduado em pastagens pela Esalq-USP e consultor do Circuito da Pecuária, Wagner Pires. O especialista explicou que, em certo contexto, existem três tipos de pecuaristas e que os perfis variam conforme a capacidade de planejamento e pela atitude de cada um.

“De tudo que eu conversei com vocês, nada vai dar certo se vocês não tiverem em suas mãos o controle, a realidade da sua fazenda”, alertou. O consultor destacou que entre as principais informações para o pecuarista ter o controle de sua fazenda estão volume do rebanho em número de cabeças, volume do rebanho em unidade animal, ganho de peso médio diário tanto na época das águas quanto na seca, quais as despesas e, resumo de tudo e uma das mais importantes: custo de produção.

“Pecuarista costuma reclamar do preço da arroba. Que a arroba está barata, que ele não está ganhando, não está tendo lucratividade. Mas e se eu perguntar ao pecuarista ‘qual é o seu custo de produção?’ Ele não sabe! Ora, amigo, se você não sabe o seu custo de produção, como você pode falar que está caro ou está barato? É fundamental, é essencial que nós tenhamos controle na nossa fazenda”, advertiu o agrônomo.

Pires apontou outro erro comum do produtor, que é travar todos os investimentos em produtividade ao perceber o início de um ciclo de baixa da atividade. “Se você interrompe o processo de intensificação, volta tudo. Você pode até se dar ao luxo de desacelerar um pouco, retardar um pouco, dilatar o período que você projetou, mas não pode parar porque senão a degradação volta”, avisou. “E o que o pecuarista esquece é que a pecuária é cíclica no Brasil. Nós temos o período de alta e temos também a baixa. Isso é normal acontecer. O que ele não enxerga é que se está no período ruim hoje, o período ruim vai passar e vai vir uma fase boa. E na fase boa ele tem que ganhar dinheiro, ele tem que estar preparado para a fase de alta”, completou, recomendando que a fase do planejamento deve ser feita sem imediatismo.

Três passos para você ser um pecuarista ‘extraordinário’ em 2020

4 atitudes para você ser um líder exemplar para a equipe de sua fazenda

E qual a importância da atitude neste cenário? O consultor comentou que ela define os três tipos de pecuaristas neste contexto:

Trabalhador: aquele que trabalha com as mãos, usa sua força física e pratica a atividade pelo dinheiro, sem sentir, por exemplo, alegria ao presenciar o nascimento de um bezerro ou a vacada gorda andando pelo pasto. Como é muito pragmático, no momento de crise é comum sair da atividade e abandonar a pecuária;

Artesão: Pires explicou que, metaforicamente, é alguém muito empolgado, demonstra entusiasmo com a atividade. Mas falha na questão do planejamento, do controle, pois não tem costume de fazer anotações, questionar, levantar números;

Artista da pecuária: para o agrônomo, este é o perfil do pecuarista de sucesso, que para e escuta as recomendações, vai aos eventos e por onde passa é lembrado e celebrado. “Esse cara tem a pecuária no sangue, ele está fazendo história”, detalhou. É o produtor que transparece sua paixão pela atividade e não deverá ter problemas com a produtividade de sua fazenda nem com a sucessão.

Veja mais detalhes no vídeo abaixo:

 

VEJA TAMBÉM

Lavouras de soja vão receber chuvas neste domingo

Veja previsão do tempo para todo o país, com destaque para precipitações no sul de MG e o Triângulo Mineiro, RJ, ES, norte de SP, MT, MS, GO e Matopiba

Confira os lotes em destaque do dia 17 de janeiro de 2020

Lotes de propriedades em Rondônia e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Capim pode ser a diferença entre quebrar e colher bem

Após consolidação de benefícios da cobertura do solo, produtores conseguem colher até quatro safras por ano em sistemas integrados

12 etapas para você se tornar um craque do manejo de pastagens

Giro do Boi reúne todos os vídeos da série especial Pastagem de A a Z, conduzida pelo consultor Wagner Pires

Que tipo de pecuarista você é: trabalhador, artesão ou artista?

16 janeiro 2020
pecuarista-trabalhador-artesao-artista

Chegou ao fim nesta quinta, dia 16, a série Pastagem de A a Z, quadro conduzido pelo engenheiro agrônomo, pós-graduado em pastagens pela Esalq-USP e consultor do Circuito da Pecuária, Wagner Pires. O especialista explicou que, em certo contexto, existem três tipos de pecuaristas e que os perfis variam conforme a capacidade de planejamento e pela atitude de cada um.

“De tudo que eu conversei com vocês, nada vai dar certo se vocês não tiverem em suas mãos o controle, a realidade da sua fazenda”, alertou. O consultor destacou que entre as principais informações para o pecuarista ter o controle de sua fazenda estão volume do rebanho em número de cabeças, volume do rebanho em unidade animal, ganho de peso médio diário tanto na época das águas quanto na seca, quais as despesas e, resumo de tudo e uma das mais importantes: custo de produção.

“Pecuarista costuma reclamar do preço da arroba. Que a arroba está barata, que ele não está ganhando, não está tendo lucratividade. Mas e se eu perguntar ao pecuarista ‘qual é o seu custo de produção?’ Ele não sabe! Ora, amigo, se você não sabe o seu custo de produção, como você pode falar que está caro ou está barato? É fundamental, é essencial que nós tenhamos controle na nossa fazenda”, advertiu o agrônomo.

Pires apontou outro erro comum do produtor, que é travar todos os investimentos em produtividade ao perceber o início de um ciclo de baixa da atividade. “Se você interrompe o processo de intensificação, volta tudo. Você pode até se dar ao luxo de desacelerar um pouco, retardar um pouco, dilatar o período que você projetou, mas não pode parar porque senão a degradação volta”, avisou. “E o que o pecuarista esquece é que a pecuária é cíclica no Brasil. Nós temos o período de alta e temos também a baixa. Isso é normal acontecer. O que ele não enxerga é que se está no período ruim hoje, o período ruim vai passar e vai vir uma fase boa. E na fase boa ele tem que ganhar dinheiro, ele tem que estar preparado para a fase de alta”, completou, recomendando que a fase do planejamento deve ser feita sem imediatismo.

Três passos para você ser um pecuarista ‘extraordinário’ em 2020

4 atitudes para você ser um líder exemplar para a equipe de sua fazenda

E qual a importância da atitude neste cenário? O consultor comentou que ela define os três tipos de pecuaristas neste contexto:

Trabalhador: aquele que trabalha com as mãos, usa sua força física e pratica a atividade pelo dinheiro, sem sentir, por exemplo, alegria ao presenciar o nascimento de um bezerro ou a vacada gorda andando pelo pasto. Como é muito pragmático, no momento de crise é comum sair da atividade e abandonar a pecuária;

Artesão: Pires explicou que, metaforicamente, é alguém muito empolgado, demonstra entusiasmo com a atividade. Mas falha na questão do planejamento, do controle, pois não tem costume de fazer anotações, questionar, levantar números;

Artista da pecuária: para o agrônomo, este é o perfil do pecuarista de sucesso, que para e escuta as recomendações, vai aos eventos e por onde passa é lembrado e celebrado. “Esse cara tem a pecuária no sangue, ele está fazendo história”, detalhou. É o produtor que transparece sua paixão pela atividade e não deverá ter problemas com a produtividade de sua fazenda nem com a sucessão.

Veja mais detalhes no vídeo abaixo:

 

VEJA TAMBÉM

Veja previsão do tempo para todo o país, com destaque para precipitações no sul de MG e o Triângulo Mineiro, RJ, ES, norte de SP, MT, MS, GO e Matopiba

Lotes de propriedades em Rondônia e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Após consolidação de benefícios da cobertura do solo, produtores conseguem colher até quatro safras por ano em sistemas integrados

Giro do Boi reúne todos os vídeos da série especial Pastagem de A a Z, conduzida pelo consultor Wagner Pires

Programa de acasalamentos vai avaliar bateria de touros selecionada pelo criador e apontar melhor combinação para corrigir necessidades de cada plantel

O que você precisa saber sobre planejamento e atitude para ter uma fazenda produtiva? Veja resposta no último episódio da série Pastagem de A a Z

Após consolidação de benefícios da cobertura do solo, produtores conseguem colher até quatro safras por ano em sistemas integrados

Conforme o sistema de produção escolhido, atividade tem potencial para geração de créditos de carbono

Veja previsão do tempo para todo o país, com destaque para precipitações no sul de MG e o Triângulo Mineiro, RJ, ES, norte de SP, MT, MS, GO e Matopiba

O que você precisa saber sobre planejamento e atitude para ter uma fazenda produtiva? Veja resposta no último episódio da série Pastagem de A a Z

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE