Rentabilidade do criador pode aumentar com programação fetal e bezerros do cedo

09 janeiro 2019
mortalidade-de-bezerros-como-evitar

Em entrevista exibida pelo Giro do Boi nesta quarta, 09, o pesquisador da Apta – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – de Colina-SP, Flávio Dutra de Resende, mestre e doutor em zootecnia, destacou pontos de atenção na fase da cria que possibilitam a criação de um boi com potencial para desenvolver uma carcaça no padrão desejável.

Para Resende, o pecuarista começa a tratar disto enquanto o bezerro ainda está no ventre da vaca, valendo-se de manejo nutricional apostando na chamada programação fetal. Resende lembrou que estudos indicaram que no terço médio da gestação, entre o terceiro e o sétimo mês, são formadas as fibras musculares nos fetos. Depois de seu nascimento, o que ocorre é apenas hipertrofia, o que não influencia na quantidade de fibras. E a forma de assegurar que o feto forme todas estas fibras musculares, ou seja, desenvolva seu potencial genético, é via nutrição – e nesse caso específico, no terço médio da gestação.

Além disto, é essencial a realização de uma estação de monta que concentre os nascimentos de bezerros do cedo, que desmamam mais rápido, ficam menos tempo na fazenda e dão mais rentabilidade para o pecuarista. “Aquele bezerro que nasce no tarde às vezes ele tem que dobrar mais um ano na fazenda e muitas vezes você não consegue chegar com esse bezerro no peso de abate. Então isso já está, na prática, consolidado”, reforçou.

O bezerro do cedo, explicou Flávio, é aquele cujo terço médio de sua gestação vai ocorrer em pleno outono, entre os meses de março e abril, quando os pastos ainda estão em fase de transição e há disponibilidade de forrageiras, pois ainda há chuvas em parte das regiões de pecuária no Brasil. Então a condição nutricional da fêmea nesta parte da gestação é adequada para garantir o número máximo de fibras musculares no bezerro.

“Nós queremos mais de 80%, 85% de vacas que fiquem prenhes, mas não é só a prenhez que eu quero. Quero que elas fiquem prenhes mais cedo, no início da estação de monta. Isso acontece se eu cuidar da condição corporal antes de entrar na monta”, simplificou.

Veja a entrevista completa:

VEJA TAMBÉM

Pecuária colombiana é exemplo para o Brasil no combate às plantas daninhas

No país sul-americano, é comum a prática de limpeza das áreas de pastagens através da aplicação de herbicidas. Isso faz com que os “ganadeiros” colombianos consigam uma produtividade média de 7/UA/HA, enquanto que no Brasil não atingimos nem a metade desse número, no Mato Grosso, por exemplo, a Embrapa Agrossilvipastoril, sediada em Sinop, estima uma...

Confira as fazendas em destaque desta terça-feira, 19 de março de 2019

Nesta terça-feira o programa Giro do Boi exibiu para todo o Brasil os lotes que mais se destacaram nas unidades de abate dos estados de SP, MT e MS.

Confira as fazendas em destaque desta segunda-feira, 18 de março de 2019

A semana começou com lotes em destaque oriundos dos estados de MS, MT e SP.

Presidente da Angus alerta para “sazonalidade” na oferta de carne no Brasil

Duas alternativas podem ajudar o fazendeiro a ter um equilíbrio na oferta de seu produto o ano todo: o uso da tecnologia da inseminação artificial (IATF) e o confinamento, inclusive no período das águas.

Rentabilidade do criador pode aumentar com programação fetal e bezerros do cedo

09 janeiro 2019
mortalidade-de-bezerros-como-evitar

Em entrevista exibida pelo Giro do Boi nesta quarta, 09, o pesquisador da Apta – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – de Colina-SP, Flávio Dutra de Resende, mestre e doutor em zootecnia, destacou pontos de atenção na fase da cria que possibilitam a criação de um boi com potencial para desenvolver uma carcaça no padrão desejável.

Para Resende, o pecuarista começa a tratar disto enquanto o bezerro ainda está no ventre da vaca, valendo-se de manejo nutricional apostando na chamada programação fetal. Resende lembrou que estudos indicaram que no terço médio da gestação, entre o terceiro e o sétimo mês, são formadas as fibras musculares nos fetos. Depois de seu nascimento, o que ocorre é apenas hipertrofia, o que não influencia na quantidade de fibras. E a forma de assegurar que o feto forme todas estas fibras musculares, ou seja, desenvolva seu potencial genético, é via nutrição – e nesse caso específico, no terço médio da gestação.

Além disto, é essencial a realização de uma estação de monta que concentre os nascimentos de bezerros do cedo, que desmamam mais rápido, ficam menos tempo na fazenda e dão mais rentabilidade para o pecuarista. “Aquele bezerro que nasce no tarde às vezes ele tem que dobrar mais um ano na fazenda e muitas vezes você não consegue chegar com esse bezerro no peso de abate. Então isso já está, na prática, consolidado”, reforçou.

O bezerro do cedo, explicou Flávio, é aquele cujo terço médio de sua gestação vai ocorrer em pleno outono, entre os meses de março e abril, quando os pastos ainda estão em fase de transição e há disponibilidade de forrageiras, pois ainda há chuvas em parte das regiões de pecuária no Brasil. Então a condição nutricional da fêmea nesta parte da gestação é adequada para garantir o número máximo de fibras musculares no bezerro.

“Nós queremos mais de 80%, 85% de vacas que fiquem prenhes, mas não é só a prenhez que eu quero. Quero que elas fiquem prenhes mais cedo, no início da estação de monta. Isso acontece se eu cuidar da condição corporal antes de entrar na monta”, simplificou.

Veja a entrevista completa:

VEJA TAMBÉM

No país sul-americano, é comum a prática de limpeza das áreas de pastagens através da aplicação de herbicidas. Isso faz com que os “ganadeiros” colombianos consigam uma produtividade média de 7/UA/HA, enquanto que no Brasil não atingimos nem a metade desse número, no Mato Grosso, por exemplo, a Embrapa Agrossilvipastoril, sediada em Sinop, estima uma...

Nesta terça-feira o programa Giro do Boi exibiu para todo o Brasil os lotes que mais se destacaram nas unidades de abate dos estados de SP, MT e MS.

A semana começou com lotes em destaque oriundos dos estados de MS, MT e SP.

Duas alternativas podem ajudar o fazendeiro a ter um equilíbrio na oferta de seu produto o ano todo: o uso da tecnologia da inseminação artificial (IATF) e o confinamento, inclusive no período das águas.

Confira a fazenda em destaque desta sexta, localizada na região de MT

“A última chuva que caiu por aqui foi antes do Natal”, disse o entrevistado, acrescentando que os problemas também atingem as cidades que dependem do Rio Pardo, principal da região e que abastece dezenas de cidades ao longo da margem.

No primeiro episódio da série, que estará sendo apresentada no Giro do Boi todas as sextas-feiras, Chaker nos explicou a “ter a fazenda nas mãos”. Foram três dicas importantes sobre pessoas, processos e finanças.

“Caruru gigante” é uma planta invasora muito agressiva, de rápido crescimento, tolerante ao herbicida glifosato e que tem se alastrado no Mato Grosso, principalmente na região de Lucas do Rio Verde, região central do Estado.

Confira a fazenda em destaque desta sexta, localizada na região de MT

Entre as facilidades para efetivar doações particulares está modalidade via imposto de renda; entenda como realizar o processo

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE