Abate de animais jovens sobe 6,2% no leste do MT

27 outubro 2017
qualidade-abate-leste-mato-grosso-setembro-2017

Nesta sexta, 27, no quadro Palavra do Gerente, o Giro do Boi comparou a qualidade dos animais abatidos em setembro nas unidades de Pedra Preta, Colíder, Confresa, Barra do Garças, Água Boa, Alta Floresta, todas no leste do Mato Grosso, com os abates do mês de agosto. Quem comentou os números foi o gerente regional de originação da JBS para o leste do MT, Vilmar Cardoso.

Em setembro houve queda no padrão de animais: carcaças no farol vermelho, ou padrão indesejável, subiram de 9,89% para 12,04% do total processado. Já os animais no padrão desejável, farol verde, sofreram leve queda de 18,54% para 17,62%.

Parte da justificativa para o movimento de queda é a pior cobertura de gordura. O volume de abate de animais com gordura entre 3 e 4, níveis considerados ideais para a qualidade de carne, marcou 39,17% em agosto e 38,1% em setembro. O peso das carcaças também diminuiu: os machos passaram de 21,06@ de peso médio em agosto para 21,03@ em setembro e as fêmeas de 14,16@ para 14,11@.

O lado positivo foi a queda na idade média das reses. Animais de 0 a 4 dentes, considerados jovens o bastante para ter carne superior, representavam 61,99% dos abates em agosto e 68,2% em setembro, ou seja, crescimento de 6,21% no abate de animais jovens.

“A gente precisa ponderar que nem sempre o aumento do farol vermelho significa animal mais erado e ruim. É que o parâmetro do Farol da Qualidade tem limitação de peso. Às vezes tem animal jovem, 2 dentes, com peso acima em função de genética e nutrição e ele, um animal mais pesado, sai do quadrante. Mas a gente tem percebido evolução grande na genética como na nutrição, manejo, vem crescendo muito. O pecuarista do Vale do Araguaia está de parabéns”, explicou Vilmar Cardoso.

Veja a participação completa do gerente regional no Giro do Boi: 

VEJA TAMBÉM

Aprendendo a ensinar: veja resultados do Bifequali, programa de capacitação da Embrapa

Benefício econômico acumulado pelo programa entre os anos de 2013 e 2018 já ultrapassou marca dos R$ 23 milhões

Confira o último classificado para votação do melhor lote de novembro

Grupo de novilhas Caracu que marcou 88% Verde no Farol da Qualidade fechou o páreo para a eleição do melhor lote do mês

Canal de umidade leva chuvas desde o Brasil Central até litoral do Sudeste

Em comportamento típico do clima de verão, pancadas de chuva começam a partir do fim de tarde e atingem MT, MS, GO, TO, MG, BA e litoral no RJ e ES

Carretas adaptadas a condições locais melhoram transporte boiadeiro

Veículos que se ajustam aos tipos de estradas e demandas de cada região, além de capacitação dos motoristas, reforçam segurança das viagens

Abate de animais jovens sobe 6,2% no leste do MT

27 outubro 2017
qualidade-abate-leste-mato-grosso-setembro-2017

Nesta sexta, 27, no quadro Palavra do Gerente, o Giro do Boi comparou a qualidade dos animais abatidos em setembro nas unidades de Pedra Preta, Colíder, Confresa, Barra do Garças, Água Boa, Alta Floresta, todas no leste do Mato Grosso, com os abates do mês de agosto. Quem comentou os números foi o gerente regional de originação da JBS para o leste do MT, Vilmar Cardoso.

Em setembro houve queda no padrão de animais: carcaças no farol vermelho, ou padrão indesejável, subiram de 9,89% para 12,04% do total processado. Já os animais no padrão desejável, farol verde, sofreram leve queda de 18,54% para 17,62%.

Parte da justificativa para o movimento de queda é a pior cobertura de gordura. O volume de abate de animais com gordura entre 3 e 4, níveis considerados ideais para a qualidade de carne, marcou 39,17% em agosto e 38,1% em setembro. O peso das carcaças também diminuiu: os machos passaram de 21,06@ de peso médio em agosto para 21,03@ em setembro e as fêmeas de 14,16@ para 14,11@.

O lado positivo foi a queda na idade média das reses. Animais de 0 a 4 dentes, considerados jovens o bastante para ter carne superior, representavam 61,99% dos abates em agosto e 68,2% em setembro, ou seja, crescimento de 6,21% no abate de animais jovens.

“A gente precisa ponderar que nem sempre o aumento do farol vermelho significa animal mais erado e ruim. É que o parâmetro do Farol da Qualidade tem limitação de peso. Às vezes tem animal jovem, 2 dentes, com peso acima em função de genética e nutrição e ele, um animal mais pesado, sai do quadrante. Mas a gente tem percebido evolução grande na genética como na nutrição, manejo, vem crescendo muito. O pecuarista do Vale do Araguaia está de parabéns”, explicou Vilmar Cardoso.

Veja a participação completa do gerente regional no Giro do Boi: 

VEJA TAMBÉM

Benefício econômico acumulado pelo programa entre os anos de 2013 e 2018 já ultrapassou marca dos R$ 23 milhões

Grupo de novilhas Caracu que marcou 88% Verde no Farol da Qualidade fechou o páreo para a eleição do melhor lote do mês

Em comportamento típico do clima de verão, pancadas de chuva começam a partir do fim de tarde e atingem MT, MS, GO, TO, MG, BA e litoral no RJ e ES

Veículos que se ajustam aos tipos de estradas e demandas de cada região, além de capacitação dos motoristas, reforçam segurança das viagens

Fazenda localizada em Nova Lacerda, no Mato Grosso, foi destaque do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade

Consultor responde qual a maior “planta daninha” do mundo e compara eficácia das roçadas com herbicidas

Em comportamento típico do clima de verão, pancadas de chuva começam a partir do fim de tarde e atingem MT, MS, GO, TO, MG, BA e litoral no RJ e ES

Benefício econômico acumulado pelo programa entre os anos de 2013 e 2018 já ultrapassou marca dos R$ 23 milhões

Com o desafio de otimizar o uso da terra, propriedade em Serra Nova Dourada-MT saiu da cria para a recria-engorda utilizando confinamento com grão inteiro

Veículos que se ajustam aos tipos de estradas e demandas de cada região, além de capacitação dos motoristas, reforçam segurança das viagens

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE