Adubação e adequação de carga: veja dicas do especialista para aumentar a lotação das pastagens na entressafra

06 junho 2019
pastagem-para-gado-de-corte-manejo-dicas

Nesta quinta, dia 06, o engenheiro agrônomo, pós-graduado em pastagens pela Esalq-USP e consultor do Circuito da Pecuária, Wagner Pires, autor do recém-lançado livro “Pastagem Sustentável de A a Z”, participou do Giro do Boi para responder a uma dúvida de um telespectador.

A pergunta veio do pecuarista Toninho, de Itaúna, em Minas Gerais, proprietário de uma pequena fazenda a cerca de 70 km da capital Belo Horizonte. O produtor vai fazer a engorda de garrotes com peso na faixa de 13@, mas sua lotação, de 0,58 UA/ha, é baixa em comparação com a média nacional, de 0,7 a 0,8 UA/ha. Seu desejo é saber que tipo de manejo de pastagem ele deve utilizar para aumentar a capacidade de suporte em sua área em meio a esta entressafra.

“Você deve fazer uma análise de solo, deve fazer as correções no seu rotacionado porque você quer ganhar dinheiro. E a gente só ganha dinheiro se a gente tiver fertilidade maior para ter um sistema radicular maior. Lembrando que você vai ter no período das águas 70% da produção de massa da sua propriedade e, no período da seca, 30%. Você tem que fazer uma adequação de carga. É você vender o gado mais pesado e ficar com o gado mais leve no período da seca porque o rotacionado não faz milagre”, indicou Pires.

A nutrição das pastagens pode ser feita com adubação nitrogenada, mas caso não haja tempo hábil para o desenvolvimento da forrageira antes do fim das chuvas, a solução será fornecer suplementação proteinada ao gado para que ele consiga sustança por meio do consumo da palhada.

Confira as recomendações completas do especialista no vídeo que segue:

VEJA TAMBÉM

ILPF reduz temperatura em até 12º C e consumo de água em 20%

Pesquisadora da Embrapa ressaltou que conforto térmico eleva níveis de produtividade do rebanho, acelerando ganho de peso e aumentando da taxa de prenhez

Tempo seco chega para valer na região central do Brasil e pode causar queimadas

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Definido o melhor lote do mês de maio

Fazenda vencedora vem do estado de Rondônia e levou a disputa com mais de 67% dos votos pelo site do Giro do Boi

2º Roda Sertaneja reúne produtores do norte mato-grossense em Alta Floresta-MT

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Adubação e adequação de carga: veja dicas do especialista para aumentar a lotação das pastagens na entressafra

06 junho 2019
pastagem-para-gado-de-corte-manejo-dicas

Nesta quinta, dia 06, o engenheiro agrônomo, pós-graduado em pastagens pela Esalq-USP e consultor do Circuito da Pecuária, Wagner Pires, autor do recém-lançado livro “Pastagem Sustentável de A a Z”, participou do Giro do Boi para responder a uma dúvida de um telespectador.

A pergunta veio do pecuarista Toninho, de Itaúna, em Minas Gerais, proprietário de uma pequena fazenda a cerca de 70 km da capital Belo Horizonte. O produtor vai fazer a engorda de garrotes com peso na faixa de 13@, mas sua lotação, de 0,58 UA/ha, é baixa em comparação com a média nacional, de 0,7 a 0,8 UA/ha. Seu desejo é saber que tipo de manejo de pastagem ele deve utilizar para aumentar a capacidade de suporte em sua área em meio a esta entressafra.

“Você deve fazer uma análise de solo, deve fazer as correções no seu rotacionado porque você quer ganhar dinheiro. E a gente só ganha dinheiro se a gente tiver fertilidade maior para ter um sistema radicular maior. Lembrando que você vai ter no período das águas 70% da produção de massa da sua propriedade e, no período da seca, 30%. Você tem que fazer uma adequação de carga. É você vender o gado mais pesado e ficar com o gado mais leve no período da seca porque o rotacionado não faz milagre”, indicou Pires.

A nutrição das pastagens pode ser feita com adubação nitrogenada, mas caso não haja tempo hábil para o desenvolvimento da forrageira antes do fim das chuvas, a solução será fornecer suplementação proteinada ao gado para que ele consiga sustança por meio do consumo da palhada.

Confira as recomendações completas do especialista no vídeo que segue:

VEJA TAMBÉM

Pesquisadora da Embrapa ressaltou que conforto térmico eleva níveis de produtividade do rebanho, acelerando ganho de peso e aumentando da taxa de prenhez

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Fazenda vencedora vem do estado de Rondônia e levou a disputa com mais de 67% dos votos pelo site do Giro do Boi

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Fazenda localizada em Ribeirão Cascalheira, estado do Mato Grosso, foi destaque do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Cerimônia foi marcada por assinatura de protocolo de intenções de colaboração entre ministérios da Agricultura, Meio Ambiente, Defesa e Relações Exteriores

Produtores das regiões centro-norte de SP, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Piauí e Mato Grosso devem estar atentos por conta do calor e baixa umidade do ar; veja mapas completos

Advogado recomenda que produtor não assine notificações caso o fiscal não esclareça de forma satisfatória os motivos da penalização

Pecuaristas participaram de debates sobre manejo de pastagens, rodas de negócios e confraternização com churrasco e música sertaneja

Quadro Giro na Estrada trouxe dicas de embarque aos invernistas ativos no mercado da reposição nesta entressafra

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE