Capim mal manejado pode favorecer infestação de cigarrinha-das-pastagens; veja dicas de controle da praga

18 outubro 2018
manejo-de-pasto-controle-cigarrinhas-das-pastagens

Nesta quinta, 18, o Giro do Boi exibiu entrevista feita ao vivo com a pesquisadora da Embrapa Roraima Elisângela Gomes Fidélis, doutora em entomologia pela Universidade Federal de Viçosa.

A especialista trouxe dicas de controle de uma das principais pragas das áreas de pasto, as cigarrinhas-das-pastagens, que ocorrem geralmente neste período chuvoso por serem favorecidas pela umidade. A pesquisadora destacou que capim mal manejado é um prato cheio para o crescimento da população de insetos. “Aí é principalmente a questão da altura do capim. No período chuvoso, se você não faz uma boa rotação do gado no capim, ele fica muito alto e favorece a praga”, explicou Elisângela.

Dependendo do nível da infestação, as touceiras de capim podem secar e morrer. Um dos métodos de controle rudimentares utilizados é a queimada, prática rejeitada pelos pesquisadores e pela Embrapa. “A Embrapa não recomenda nenhuma tecnologia que envolvem queimada em nenhum tipo de cultivo. Além do impacto ambiental muito alto, o risco de incêndio ambiental, ela pode diminuir a densidade (da população de insetos) a níveis naturais e o que acontece normalmente é que quando nasce aquela brotação nova da pastagem, o que é muito comum na nossa região são as lagartas. Porque você tem uma folha muito jovem, a lagarta chega e começa a se alimentar daquela planta muito nova e todo ano a gente tem no início do período da chuva o problema de lagartas. E quanto a gente tem uma pastagem queimada, esse problema é agravado”, alertou.

+ Queimadas podem agravar infestação de cigarrinhas das pastagens

“O que o produtor tem que fazer? No período chuvoso, ele tem que monitorar. A gente tem tecnologias para monitorar essa praga, a gente usa redes de varredura que você vai batendo no pasto e vai capturando os adultos e acima do nível de dez insetos por rede de varredura, a gente recomenda o controle. Ou você observa a espuma se você não tem a rede”, recomendou a doutora em entomologia.

“Existem métodos de controles, existem inseticidas que o engenheiro agrônomo pode recomendar para o controle. A gente tem controle biológico, existem também no mercado vários produtos à base de fungos, que são um pó, que são pulverizados para controle e funcionam muito bem e outras medidas de manejo de pasto mesmo”, acrescentou.

Veja na entrevista abaixo as recomendações completas da pesquisadora da Embrapa para controle das cigarrinhas-das-pastagens:

VEJA TAMBÉM

Conheça o novo app de transmissões do Canal Rural

Aplicativo Lance Rural permite ao usuário utilizar outras funções do celular enquanto acompanha eventos como leilões, palestras, dias de campo e julgamentos, além da tv ao vivo

Qual a diferença de trato do boi meio-sangue Angus para o Brangus ⅝?

Zootecnista Alexandre Zadra explicou que quanto maior o grau de sangue europeu, mais exigente é o animal em relação à nutrição

Chove no Nordeste no fim de semana; no Sul, temporais ocorrem a partir de 2ª

CE, RN, PI e MA deverão ver chuvas com certa intensidade a partir desta 6ª; no Sudeste, precipitações podem causar transtornos no sábado

Conheça os “anjos das estrada de terra” do MT

Produtores criaram associação para socorrer veículos atolados na Estrada do Matão, que liga Pontes e Lacerda-MT à Bolívia

Capim mal manejado pode favorecer infestação de cigarrinha-das-pastagens; veja dicas de controle da praga

18 outubro 2018
manejo-de-pasto-controle-cigarrinhas-das-pastagens

Nesta quinta, 18, o Giro do Boi exibiu entrevista feita ao vivo com a pesquisadora da Embrapa Roraima Elisângela Gomes Fidélis, doutora em entomologia pela Universidade Federal de Viçosa.

A especialista trouxe dicas de controle de uma das principais pragas das áreas de pasto, as cigarrinhas-das-pastagens, que ocorrem geralmente neste período chuvoso por serem favorecidas pela umidade. A pesquisadora destacou que capim mal manejado é um prato cheio para o crescimento da população de insetos. “Aí é principalmente a questão da altura do capim. No período chuvoso, se você não faz uma boa rotação do gado no capim, ele fica muito alto e favorece a praga”, explicou Elisângela.

Dependendo do nível da infestação, as touceiras de capim podem secar e morrer. Um dos métodos de controle rudimentares utilizados é a queimada, prática rejeitada pelos pesquisadores e pela Embrapa. “A Embrapa não recomenda nenhuma tecnologia que envolvem queimada em nenhum tipo de cultivo. Além do impacto ambiental muito alto, o risco de incêndio ambiental, ela pode diminuir a densidade (da população de insetos) a níveis naturais e o que acontece normalmente é que quando nasce aquela brotação nova da pastagem, o que é muito comum na nossa região são as lagartas. Porque você tem uma folha muito jovem, a lagarta chega e começa a se alimentar daquela planta muito nova e todo ano a gente tem no início do período da chuva o problema de lagartas. E quanto a gente tem uma pastagem queimada, esse problema é agravado”, alertou.

+ Queimadas podem agravar infestação de cigarrinhas das pastagens

“O que o produtor tem que fazer? No período chuvoso, ele tem que monitorar. A gente tem tecnologias para monitorar essa praga, a gente usa redes de varredura que você vai batendo no pasto e vai capturando os adultos e acima do nível de dez insetos por rede de varredura, a gente recomenda o controle. Ou você observa a espuma se você não tem a rede”, recomendou a doutora em entomologia.

“Existem métodos de controles, existem inseticidas que o engenheiro agrônomo pode recomendar para o controle. A gente tem controle biológico, existem também no mercado vários produtos à base de fungos, que são um pó, que são pulverizados para controle e funcionam muito bem e outras medidas de manejo de pasto mesmo”, acrescentou.

Veja na entrevista abaixo as recomendações completas da pesquisadora da Embrapa para controle das cigarrinhas-das-pastagens:

VEJA TAMBÉM

Aplicativo Lance Rural permite ao usuário utilizar outras funções do celular enquanto acompanha eventos como leilões, palestras, dias de campo e julgamentos, além da tv ao vivo

Zootecnista Alexandre Zadra explicou que quanto maior o grau de sangue europeu, mais exigente é o animal em relação à nutrição

CE, RN, PI e MA deverão ver chuvas com certa intensidade a partir desta 6ª; no Sudeste, precipitações podem causar transtornos no sábado

Produtores criaram associação para socorrer veículos atolados na Estrada do Matão, que liga Pontes e Lacerda-MT à Bolívia

Modelos mais básicos de cruzamentos podem reduzir um ano do ciclo do boi, mas pecuarista deve estar organizado para intensificar tanto produção quanto gestão

Como a forrageira é de ciclo curto, pecuarista deve intensificar os tratos; veja ainda como controlar as plantas daninhas murici e capim rabo-de-burro

Zootecnista Alexandre Zadra explicou que quanto maior o grau de sangue europeu, mais exigente é o animal em relação à nutrição

CE, RN, PI e MA deverão ver chuvas com certa intensidade a partir desta 6ª; no Sudeste, precipitações podem causar transtornos no sábado

Produtores criaram associação para socorrer veículos atolados na Estrada do Matão, que liga Pontes e Lacerda-MT à Bolívia

Como a forrageira é de ciclo curto, pecuarista deve intensificar os tratos; veja ainda como controlar as plantas daninhas murici e capim rabo-de-burro

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE