Equipes do transporte boiadeiro ajudam pecuaristas a melhorar qualidade de carcaça

10 agosto 2018
transporte-boiadeiro-como-evitar-lesao-carcaca

No quadro Giro na Estrada desta sexta, 10, o tema em evidência foi a relevância da parceria entre os profissionais do transporte boiadeiro e os pecuaristas. Produtores que têm problemas recorrentes com lesões em carcaça, por exemplo, podem solicitar informações para a indústria sobre características das machucaduras para identificar a origem do problema e corrigi-lo.

Curta a página do Giro do Boi no Facebook

“Os motoristas boiadeiros têm capacitação forte em bem-estar animal, então além de identificar pontos para melhorias nas condições físicas e estruturais das fazendas, eles podem passar dicas para as equipes das fazendas e para os pecuaristas trabalharem, conseguem dar feedback e instruir. Eventualmente organizamos treinamentos nas propriedades, mostrando como fazer o embarque de maneira mais tranquila, correta e obter ganho com isso”, informou o engenheiro agrônomo Leonardo Vieira, coordenador da logística do gado gordo da indústria.

Quem também repercutiu o assunto foi Danilo Albuquerque, coordenador regional do transporte boiadeiro para os estados de SP, MS e da unidade de Ituiutaba-MG. “Nós temos que estar próximos ao pecuarista para garantir a qualidade da matéria-prima. O próprio pecuarista tem acesso ao relatório de performance de rendimento do gado gordo ao abate e, quando identificamos algum risco de anomalia, fazemos um feedback para ele melhorar seu desempenho”, explicou Albuquerque.

Para ter acesso a tais informações, o produtor interessado tem o próprio comprador de gado como canal de contato para oferecer este retorno com objetivo de melhorar a qualidade das carcaças e, consequentemente, da carne e da lucratividade do produtor.

Confira o vídeo completo clicando abaixo no play:

VEJA TAMBÉM

Pecuária colombiana é exemplo para o Brasil no combate às plantas daninhas

No país sul-americano, é comum a prática de limpeza das áreas de pastagens através da aplicação de herbicidas. Isso faz com que os “ganadeiros” colombianos consigam uma produtividade média de 7/UA/HA, enquanto que no Brasil não atingimos nem a metade desse número, no Mato Grosso, por exemplo, a Embrapa Agrossilvipastoril, sediada em Sinop, estima uma...

Confira as fazendas em destaque desta terça-feira, 19 de março de 2019

Nesta terça-feira o programa Giro do Boi exibiu para todo o Brasil os lotes que mais se destacaram nas unidades de abate dos estados de SP, MT e MS.

Confira as fazendas em destaque desta segunda-feira, 18 de março de 2019

A semana começou com lotes em destaque oriundos dos estados de MS, MT e SP.

Presidente da Angus alerta para “sazonalidade” na oferta de carne no Brasil

Duas alternativas podem ajudar o fazendeiro a ter um equilíbrio na oferta de seu produto o ano todo: o uso da tecnologia da inseminação artificial (IATF) e o confinamento, inclusive no período das águas.

Equipes do transporte boiadeiro ajudam pecuaristas a melhorar qualidade de carcaça

10 agosto 2018
transporte-boiadeiro-como-evitar-lesao-carcaca

No quadro Giro na Estrada desta sexta, 10, o tema em evidência foi a relevância da parceria entre os profissionais do transporte boiadeiro e os pecuaristas. Produtores que têm problemas recorrentes com lesões em carcaça, por exemplo, podem solicitar informações para a indústria sobre características das machucaduras para identificar a origem do problema e corrigi-lo.

Curta a página do Giro do Boi no Facebook

“Os motoristas boiadeiros têm capacitação forte em bem-estar animal, então além de identificar pontos para melhorias nas condições físicas e estruturais das fazendas, eles podem passar dicas para as equipes das fazendas e para os pecuaristas trabalharem, conseguem dar feedback e instruir. Eventualmente organizamos treinamentos nas propriedades, mostrando como fazer o embarque de maneira mais tranquila, correta e obter ganho com isso”, informou o engenheiro agrônomo Leonardo Vieira, coordenador da logística do gado gordo da indústria.

Quem também repercutiu o assunto foi Danilo Albuquerque, coordenador regional do transporte boiadeiro para os estados de SP, MS e da unidade de Ituiutaba-MG. “Nós temos que estar próximos ao pecuarista para garantir a qualidade da matéria-prima. O próprio pecuarista tem acesso ao relatório de performance de rendimento do gado gordo ao abate e, quando identificamos algum risco de anomalia, fazemos um feedback para ele melhorar seu desempenho”, explicou Albuquerque.

Para ter acesso a tais informações, o produtor interessado tem o próprio comprador de gado como canal de contato para oferecer este retorno com objetivo de melhorar a qualidade das carcaças e, consequentemente, da carne e da lucratividade do produtor.

Confira o vídeo completo clicando abaixo no play:

VEJA TAMBÉM

No país sul-americano, é comum a prática de limpeza das áreas de pastagens através da aplicação de herbicidas. Isso faz com que os “ganadeiros” colombianos consigam uma produtividade média de 7/UA/HA, enquanto que no Brasil não atingimos nem a metade desse número, no Mato Grosso, por exemplo, a Embrapa Agrossilvipastoril, sediada em Sinop, estima uma...

Nesta terça-feira o programa Giro do Boi exibiu para todo o Brasil os lotes que mais se destacaram nas unidades de abate dos estados de SP, MT e MS.

A semana começou com lotes em destaque oriundos dos estados de MS, MT e SP.

Duas alternativas podem ajudar o fazendeiro a ter um equilíbrio na oferta de seu produto o ano todo: o uso da tecnologia da inseminação artificial (IATF) e o confinamento, inclusive no período das águas.

Confira a fazenda em destaque desta sexta, localizada na região de MT

“A última chuva que caiu por aqui foi antes do Natal”, disse o entrevistado, acrescentando que os problemas também atingem as cidades que dependem do Rio Pardo, principal da região e que abastece dezenas de cidades ao longo da margem.

No primeiro episódio da série, que estará sendo apresentada no Giro do Boi todas as sextas-feiras, Chaker nos explicou a “ter a fazenda nas mãos”. Foram três dicas importantes sobre pessoas, processos e finanças.

“Caruru gigante” é uma planta invasora muito agressiva, de rápido crescimento, tolerante ao herbicida glifosato e que tem se alastrado no Mato Grosso, principalmente na região de Lucas do Rio Verde, região central do Estado.

Confira a fazenda em destaque desta sexta, localizada na região de MT

Entre as facilidades para efetivar doações particulares está modalidade via imposto de renda; entenda como realizar o processo

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE