Estudo da Embrapa comprova que integração diminui riscos econômicos para o produtor

18 abril 2019
DCIM100MEDIADJI_0016.JPG

Um estudo da Embrapa Agrossilvipastoril, com sede localizada em Sinop-MT, comprovou o conhecimento empírico do produtor rural sobre a mitigação de riscos promovida pela integração lavoura-pecuária-floresta. Quem falou sobre o tema no Giro do Boi desta quinta, 18, foi a médica veterinária Mariana Takahashi, que atua no próprio centro de pesquisa.

“Um dos grandes argumentos para se defender a integração é justamente de que o produtor não coloca todos os ovos na mesma cesta”, disse Takahashi à equipe de reportagem do Giro do Boi em mais um episódio da série especial sobre sistemas integrados. A pesquisadora frisou, no entanto, que faltavam estudos robustos que comprovassem tal tese.

“Para o Mato Grosso, nós vimos que os principais produtos que saem das integrações realmente têm mercados independentes. De fato quanto tem produtor que faz soja, milho, e boi, se o preço da soja cai, eu tenho ainda outros dois produtos que conseguem segurar um pouco a receita desse produtor”, assegurou. “Quando nós diminuímos o preços da soja em 15%, na integração tem uma variação na lucratividade de mais ou menos 20% a 25%. Quando eu faço essa variação para uma fazenda só de agricultura, soja e milho, temos uma diminuição de quase 50% na lucratividade”, exemplificou.

Para a pecuária, a pesquisadora calculou por meio do modelo usado no estudo que uma queda de 15% no preço da arroba do boi gordo gera queda de 5% no lucro do produtor que integra, mas em fazenda só de pecuária a queda no lucro é de 15%.

Veja as informações completas no vídeo abaixo:

Foto: Gabriel Faria / Embrapa Agrossilvipastoril

VEJA TAMBÉM

Conheça os primeiros lotes classificados para a disputa de melhor de julho

Lotes de novilhas – Nelore e meio-sangue Angus – vieram de fazendas localizadas no estado de São Paulo, das cidades de Oriente e Marília

Formação correta de lotes para embarque é saudável para o animal e para o bolso do pecuarista

Não misturar categorias e homogeneizar o peso dos bovinos a serem transportados respeita o bem-estar e reduz o custo do pecuarista com o frete

Confira as fazendas em destaque do dia 19 de julho de 2019

Fazendas localizadas em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

8 passos para inserir sua fazenda na Lista Trace

Em todo o Brasil são cerca de 1.700 propriedades rurais habilitadas a exportar carne bovina para a União Europeia, reunindo um rebanho total de aproximadamente 4,5 milhões de cabeças

Estudo da Embrapa comprova que integração diminui riscos econômicos para o produtor

18 abril 2019
DCIM100MEDIADJI_0016.JPG

Um estudo da Embrapa Agrossilvipastoril, com sede localizada em Sinop-MT, comprovou o conhecimento empírico do produtor rural sobre a mitigação de riscos promovida pela integração lavoura-pecuária-floresta. Quem falou sobre o tema no Giro do Boi desta quinta, 18, foi a médica veterinária Mariana Takahashi, que atua no próprio centro de pesquisa.

“Um dos grandes argumentos para se defender a integração é justamente de que o produtor não coloca todos os ovos na mesma cesta”, disse Takahashi à equipe de reportagem do Giro do Boi em mais um episódio da série especial sobre sistemas integrados. A pesquisadora frisou, no entanto, que faltavam estudos robustos que comprovassem tal tese.

“Para o Mato Grosso, nós vimos que os principais produtos que saem das integrações realmente têm mercados independentes. De fato quanto tem produtor que faz soja, milho, e boi, se o preço da soja cai, eu tenho ainda outros dois produtos que conseguem segurar um pouco a receita desse produtor”, assegurou. “Quando nós diminuímos o preços da soja em 15%, na integração tem uma variação na lucratividade de mais ou menos 20% a 25%. Quando eu faço essa variação para uma fazenda só de agricultura, soja e milho, temos uma diminuição de quase 50% na lucratividade”, exemplificou.

Para a pecuária, a pesquisadora calculou por meio do modelo usado no estudo que uma queda de 15% no preço da arroba do boi gordo gera queda de 5% no lucro do produtor que integra, mas em fazenda só de pecuária a queda no lucro é de 15%.

Veja as informações completas no vídeo abaixo:

Foto: Gabriel Faria / Embrapa Agrossilvipastoril

VEJA TAMBÉM

Lotes de novilhas – Nelore e meio-sangue Angus – vieram de fazendas localizadas no estado de São Paulo, das cidades de Oriente e Marília

Não misturar categorias e homogeneizar o peso dos bovinos a serem transportados respeita o bem-estar e reduz o custo do pecuarista com o frete

Fazendas localizadas em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Em todo o Brasil são cerca de 1.700 propriedades rurais habilitadas a exportar carne bovina para a União Europeia, reunindo um rebanho total de aproximadamente 4,5 milhões de cabeças

Especialista recomenda o uso de tecnologias de controle no início das águas para reduzir custo com produtos e também para aumentar produtividade das pastagens o quanto antes

Disponibilidade de ingredientes enriquece a ração fornecida aos animais em cocho, que ganham, em média, 1,6 kg por dia

Não misturar categorias e homogeneizar o peso dos bovinos a serem transportados respeita o bem-estar e reduz o custo do pecuarista com o frete

Lotes de novilhas – Nelore e meio-sangue Angus – vieram de fazendas localizadas no estado de São Paulo, das cidades de Oriente e Marília

Especialista recomenda o uso de tecnologias de controle no início das águas para reduzir custo com produtos e também para aumentar produtividade das pastagens o quanto antes

Fazendas localizadas em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE