Pecuarista da Bahia ganha reforço para limpeza de pastagens infestadas com araçá e carrasco

19 fevereiro 2019
plantas-daninhas-controle-araca-carrasco-nordeste (3)

Nesta terça, 19, o engenheiro agrônomo formado pela UESB, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Marcelo Rodrigues Leão, falou ao Giro do Boi sobre uma solução para o pecuarista baiano combater umas das ervas daninhas de mais difícil controle, o araçá.

Por ser uma planta dura, mesmo aplicações basais e em toco, que já exigiam mais mão de obra por parte das fazendas, eram ineficazes. Segundo o agrônomo, o pecuarista conseguia por meio de métodos e produtos convencionais controlar de 40% a 50% da infestação total. O agrônomo alertou ainda que a planta, dependendo do produto utilizado, pode dar indícios de que está definitivamente controlada. “Acontece de o pecuarista fazer a aplicação, as folhas do araçá secam e caem, mas na primeira chuva ele rebrota e vem mais forte”, advertiu.

Mas a chegada da linha XT, lançada em 2018 pela Corteva Agriscience, a divisão agrícola DowDuPont, está reforçando este manejo de limpeza de pastagens. No quadro Giro pelo Brasil desta terça, o agrônomo mostrou o exemplo de uma área infestada por araçá e que, 180 dias após a aplicação do novo herbicida, aumentou sua capacidade de lotação, conforme mostram as fotos disponíveis na galeria abaixo.

Durante sua participação no programa, Leão acrescentou que a planta daninha carrasco, muito comum no litoral nordestino, também é passível de controle pela nova linha XT, via foliar.

Confira a entrevista com o engenheiro agrônomo pelo vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Quem planta com calagem colhe mais arrobas por hectare

Pesquisadora da Embrapa afirma que a cada R$ 1 investido em calagem do solo, pecuarista tem retorno de até R$ 3 pelo aumento de produção de arrobas

O que é economia colaborativa e como ela faz o pecuarista aprender mais gastando menos?

“Em mundo de Uber, de Airbnb e de economia colaborativa, a gente não pode ficar de fora”, indicou o zootecnista e consultor Antônio Chaker

Revelados os vencedores da disputa para melhores lotes do início de outubro

Escolhidos em votação pelo site do programa seguirão para eleição que vai decidir o melhor de todo o mês

Pimenta Bueno-RO recebe etapa do Circuito Nelore 2019

Abate técnico realizado pelo Nelore do Brasil ocorreu entre 16 e 17/10 fez avaliação de 600 carcaças

Pecuarista da Bahia ganha reforço para limpeza de pastagens infestadas com araçá e carrasco

19 fevereiro 2019
plantas-daninhas-controle-araca-carrasco-nordeste (3)

Nesta terça, 19, o engenheiro agrônomo formado pela UESB, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Marcelo Rodrigues Leão, falou ao Giro do Boi sobre uma solução para o pecuarista baiano combater umas das ervas daninhas de mais difícil controle, o araçá.

Por ser uma planta dura, mesmo aplicações basais e em toco, que já exigiam mais mão de obra por parte das fazendas, eram ineficazes. Segundo o agrônomo, o pecuarista conseguia por meio de métodos e produtos convencionais controlar de 40% a 50% da infestação total. O agrônomo alertou ainda que a planta, dependendo do produto utilizado, pode dar indícios de que está definitivamente controlada. “Acontece de o pecuarista fazer a aplicação, as folhas do araçá secam e caem, mas na primeira chuva ele rebrota e vem mais forte”, advertiu.

Mas a chegada da linha XT, lançada em 2018 pela Corteva Agriscience, a divisão agrícola DowDuPont, está reforçando este manejo de limpeza de pastagens. No quadro Giro pelo Brasil desta terça, o agrônomo mostrou o exemplo de uma área infestada por araçá e que, 180 dias após a aplicação do novo herbicida, aumentou sua capacidade de lotação, conforme mostram as fotos disponíveis na galeria abaixo.

Durante sua participação no programa, Leão acrescentou que a planta daninha carrasco, muito comum no litoral nordestino, também é passível de controle pela nova linha XT, via foliar.

Confira a entrevista com o engenheiro agrônomo pelo vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Pesquisadora da Embrapa afirma que a cada R$ 1 investido em calagem do solo, pecuarista tem retorno de até R$ 3 pelo aumento de produção de arrobas

“Em mundo de Uber, de Airbnb e de economia colaborativa, a gente não pode ficar de fora”, indicou o zootecnista e consultor Antônio Chaker

Escolhidos em votação pelo site do programa seguirão para eleição que vai decidir o melhor de todo o mês

Abate técnico realizado pelo Nelore do Brasil ocorreu entre 16 e 17/10 fez avaliação de 600 carcaças

Protocolo remunera produtores com prêmios de até 13/@ para os machos que atendem o padrão; fêmeas são remuneradas com preço de boi mais bônus

Fazenda localizada no município de Juara, no Mato Grosso foi destaque do quadro Giro pelo Brasil; confira o lote e Farol da Qualidade.

Conheça e aprenda a usar a “ferramenta Wagner Pires” de diagnóstico de pastagens para tomar a melhor decisão na hora de retomar a produtividade em sua fazenda

Escolhidos em votação pelo site do programa seguirão para eleição que vai decidir o melhor de todo o mês

Protocolo remunera produtores com prêmios de até 13/@ para os machos que atendem o padrão; fêmeas são remuneradas com preço de boi mais bônus

Abate técnico realizado pelo Nelore do Brasil ocorreu entre 16 e 17/10 fez avaliação de 600 carcaças

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE