Sabe o cachorro que te acompanha no curral? Ele pode estar atrapalhando o desempenho do seu gado

24 julho 2018

Você sabe quais são os impactos das práticas de bem-estar na taxa de prenhez depois da estação de monta? O Giro do Boi desta terça, 24, levou o tema para discussão em entrevista concedida pelo médico veterinário William Delacqua, consultor em reprodução animal, ao repórter José Neto.

O especialista afirmou que a primeira condição para o sucesso da estação reprodutiva é que as fêmeas que vão passar pelos processo de inseminação artificial estejam calmas ao longo de todo o processo. “O pecuarista já investe um valor considerável em sêmen, produtos, qualificação, mão de obra e, muitas vezes, uma ferramenta que está na mão, que não custa nada, apenas conhecimento e treinamento, pode agregar e muito em termos de resultados, que é a forma com que esse gado pode ser conduzido até o curral. […] Tem detalhes que parece que podemos ignorar em alguns momentos, mas que podem agregar muito em termos de resultado e lucratividade”, destacou Delacqua.

Clique para curtir a página do Giro do Boi no Facebook

O veterinário acrescentou que é importante que as fêmeas não encontrem um ambiente adverso na comparação com que elas têm no dia a dia em seus piquetes. Um curral limpo, sem objetos estranhos e diferentes que chamem a atenção das matrizes é altamente desejável para o manejo. Além disso, uma situação que ocorre com frequência nas fazendas pelo Brasil pode atrapalhar a estação de monta: o melhor amigo do homem, o cachorro companheiro, não é necessariamente o melhor amigo das vacas. Quando estão presenciando o manejo reprodutivo, os animais podem ficar agitados e chamar atenção das fêmeas, o que pode estressá-las e provocar quedas na taxa de prenhez. Durante sua passagem pelo Brasil, a própria dra. Temple Grandin, uma das maiores referências mundiais em bem-estar animal, esclareceu que os cães podem atrapalhar manejos em currais.

+ Temple Grandin afirma que bovinos, que são presas, escondem mais a dor do que os cachorros, que são predadores; confira a entrevista exclusiva completa

Tecnicamente falando, o fator que causa tais prejuízos nos índices produtivos e reprodutivos é o cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. Em manejos mais delicados, como o da reprodução, seus efeitos são extremamente negativos, acrescentou Delacqua.

+ Vacina mal aplicada e até cachorro podem contaminar ser humano com brucelose

Outro fator importante para o sucesso da estação de monta é o pós-inseminação. Depois de encerrar os trabalhos no curral, o veterinário afirmou que caminhar com o lote por longas distâncias pode aumentar a carga de estresse e a temperatura corporal nas fêmeas, o que pode fazer com que a dose de sêmen utilizada seja inutilizada. Por isso, conforme a possibilidade, é importante reservar um piquete próximo ao curral para descanso das matrizes para que elas sejam naturalmente acomodadas antes de voltar aos piquetes de origem.

No vídeo abaixo estão as dicas completas de boas práticas de manejo na estação de monta. Clique no player:

VEJA TAMBÉM

Chuvas voltam ao Nordeste, mas também atraem as plantas daninhas

Os pastos verdejantes nessa época do ano no Nordeste não tem sido aproveitados como deveriam pelos pecuaristas. As plantas daninhas são bastante competitivas e roubam todos os nutrientes do capim, inclusive a própria água.

Embrapa afirma que IPF não aumenta incidência de verminoses no rebanho

O monitoramento do gado foi feito durante dois anos e teve como objetivo mensurar os impactos de uma área de pecuária e reflorestamento e outra apenas de pastagens (monocultura). “Pensávamos que haveria prejuízo por causa das sombras proporcionadas com as árvores, mas isso não influenciou em nada um aumento na incidência de vermes no rebanho”,...

Estudos comprovam perdas de 6,5 kg de carne/animal por reações vacinais

O levantamento acompanhou 22 fazendas, localizadas na região norte de MT, e revelou as graves consequências da má aplicação dos medicamentos no rebanho. Roça apontou inúmeros fatores como local inadequado da aplicação; seringas e agulhas impróprias e sem assepsia; a pressa dos peões durante o procedimento e a falta de uso de tronco de contenção...

Excesso de gordura tem atrapalhado qualidade da carne no Brasil

Alguns lotes, principalmente de novilhas de cruzamento industrial, tem apresentado gordura acima do ideal e isso acaba causa dificuldade em colocar o produto no mercado.

Sabe o cachorro que te acompanha no curral? Ele pode estar atrapalhando o desempenho do seu gado

24 julho 2018

Você sabe quais são os impactos das práticas de bem-estar na taxa de prenhez depois da estação de monta? O Giro do Boi desta terça, 24, levou o tema para discussão em entrevista concedida pelo médico veterinário William Delacqua, consultor em reprodução animal, ao repórter José Neto.

O especialista afirmou que a primeira condição para o sucesso da estação reprodutiva é que as fêmeas que vão passar pelos processo de inseminação artificial estejam calmas ao longo de todo o processo. “O pecuarista já investe um valor considerável em sêmen, produtos, qualificação, mão de obra e, muitas vezes, uma ferramenta que está na mão, que não custa nada, apenas conhecimento e treinamento, pode agregar e muito em termos de resultados, que é a forma com que esse gado pode ser conduzido até o curral. […] Tem detalhes que parece que podemos ignorar em alguns momentos, mas que podem agregar muito em termos de resultado e lucratividade”, destacou Delacqua.

Clique para curtir a página do Giro do Boi no Facebook

O veterinário acrescentou que é importante que as fêmeas não encontrem um ambiente adverso na comparação com que elas têm no dia a dia em seus piquetes. Um curral limpo, sem objetos estranhos e diferentes que chamem a atenção das matrizes é altamente desejável para o manejo. Além disso, uma situação que ocorre com frequência nas fazendas pelo Brasil pode atrapalhar a estação de monta: o melhor amigo do homem, o cachorro companheiro, não é necessariamente o melhor amigo das vacas. Quando estão presenciando o manejo reprodutivo, os animais podem ficar agitados e chamar atenção das fêmeas, o que pode estressá-las e provocar quedas na taxa de prenhez. Durante sua passagem pelo Brasil, a própria dra. Temple Grandin, uma das maiores referências mundiais em bem-estar animal, esclareceu que os cães podem atrapalhar manejos em currais.

+ Temple Grandin afirma que bovinos, que são presas, escondem mais a dor do que os cachorros, que são predadores; confira a entrevista exclusiva completa

Tecnicamente falando, o fator que causa tais prejuízos nos índices produtivos e reprodutivos é o cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. Em manejos mais delicados, como o da reprodução, seus efeitos são extremamente negativos, acrescentou Delacqua.

+ Vacina mal aplicada e até cachorro podem contaminar ser humano com brucelose

Outro fator importante para o sucesso da estação de monta é o pós-inseminação. Depois de encerrar os trabalhos no curral, o veterinário afirmou que caminhar com o lote por longas distâncias pode aumentar a carga de estresse e a temperatura corporal nas fêmeas, o que pode fazer com que a dose de sêmen utilizada seja inutilizada. Por isso, conforme a possibilidade, é importante reservar um piquete próximo ao curral para descanso das matrizes para que elas sejam naturalmente acomodadas antes de voltar aos piquetes de origem.

No vídeo abaixo estão as dicas completas de boas práticas de manejo na estação de monta. Clique no player:

VEJA TAMBÉM

Os pastos verdejantes nessa época do ano no Nordeste não tem sido aproveitados como deveriam pelos pecuaristas. As plantas daninhas são bastante competitivas e roubam todos os nutrientes do capim, inclusive a própria água.

O monitoramento do gado foi feito durante dois anos e teve como objetivo mensurar os impactos de uma área de pecuária e reflorestamento e outra apenas de pastagens (monocultura). “Pensávamos que haveria prejuízo por causa das sombras proporcionadas com as árvores, mas isso não influenciou em nada um aumento na incidência de vermes no rebanho”,...

O levantamento acompanhou 22 fazendas, localizadas na região norte de MT, e revelou as graves consequências da má aplicação dos medicamentos no rebanho. Roça apontou inúmeros fatores como local inadequado da aplicação; seringas e agulhas impróprias e sem assepsia; a pressa dos peões durante o procedimento e a falta de uso de tronco de contenção...

Alguns lotes, principalmente de novilhas de cruzamento industrial, tem apresentado gordura acima do ideal e isso acaba causa dificuldade em colocar o produto no mercado.

Quem trouxe os primeiros registros, dessa primeira etapa, foi o gerente regional de Originação MS Oeste, Nelson Jardim, falando ao Giro do Boi desse pontapé inicial do circuito e lembrou do mais novo protocolo firmado entre todas as unidades Friboi do país (10 Estados) com a ACNB na criação de um protocolo específico para a...

A busca por informações e por conhecimento tem sido mais exigidos do produtor rural. São conexões digitais, palestras, reuniões, dias de campo e necessidade de interpretações simultâneas que fizeram com que a professora criasse uma empresa com métodos capazes de, em apenas seis meses, fazer com que a pessoa consiga interpretar o agro na língua...

No primeiro episódio da série, que estará sendo apresentada no Giro do Boi todas as sextas-feiras, Chaker nos explicou a “ter a fazenda nas mãos”. Foram três dicas importantes sobre pessoas, processos e finanças.

Alguns lotes, principalmente de novilhas de cruzamento industrial, tem apresentado gordura acima do ideal e isso acaba causa dificuldade em colocar o produto no mercado.

No Giro do Boi desta quinta-feira, as fazendas em destaque vieram dos estado de SP e MS.

Entre as facilidades para efetivar doações particulares está modalidade via imposto de renda; entenda como realizar o processo

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE