Sabe o cachorro que te acompanha no curral? Ele pode estar atrapalhando o desempenho do seu gado

24 julho 2018

Você sabe quais são os impactos das práticas de bem-estar na taxa de prenhez depois da estação de monta? O Giro do Boi desta terça, 24, levou o tema para discussão em entrevista concedida pelo médico veterinário William Delacqua, consultor em reprodução animal, ao repórter José Neto.

O especialista afirmou que a primeira condição para o sucesso da estação reprodutiva é que as fêmeas que vão passar pelos processo de inseminação artificial estejam calmas ao longo de todo o processo. “O pecuarista já investe um valor considerável em sêmen, produtos, qualificação, mão de obra e, muitas vezes, uma ferramenta que está na mão, que não custa nada, apenas conhecimento e treinamento, pode agregar e muito em termos de resultados, que é a forma com que esse gado pode ser conduzido até o curral. […] Tem detalhes que parece que podemos ignorar em alguns momentos, mas que podem agregar muito em termos de resultado e lucratividade”, destacou Delacqua.

Clique para curtir a página do Giro do Boi no Facebook

O veterinário acrescentou que é importante que as fêmeas não encontrem um ambiente adverso na comparação com que elas têm no dia a dia em seus piquetes. Um curral limpo, sem objetos estranhos e diferentes que chamem a atenção das matrizes é altamente desejável para o manejo. Além disso, uma situação que ocorre com frequência nas fazendas pelo Brasil pode atrapalhar a estação de monta: o melhor amigo do homem, o cachorro companheiro, não é necessariamente o melhor amigo das vacas. Quando estão presenciando o manejo reprodutivo, os animais podem ficar agitados e chamar atenção das fêmeas, o que pode estressá-las e provocar quedas na taxa de prenhez. Durante sua passagem pelo Brasil, a própria dra. Temple Grandin, uma das maiores referências mundiais em bem-estar animal, esclareceu que os cães podem atrapalhar manejos em currais.

+ Temple Grandin afirma que bovinos, que são presas, escondem mais a dor do que os cachorros, que são predadores; confira a entrevista exclusiva completa

Tecnicamente falando, o fator que causa tais prejuízos nos índices produtivos e reprodutivos é o cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. Em manejos mais delicados, como o da reprodução, seus efeitos são extremamente negativos, acrescentou Delacqua.

+ Vacina mal aplicada e até cachorro podem contaminar ser humano com brucelose

Outro fator importante para o sucesso da estação de monta é o pós-inseminação. Depois de encerrar os trabalhos no curral, o veterinário afirmou que caminhar com o lote por longas distâncias pode aumentar a carga de estresse e a temperatura corporal nas fêmeas, o que pode fazer com que a dose de sêmen utilizada seja inutilizada. Por isso, conforme a possibilidade, é importante reservar um piquete próximo ao curral para descanso das matrizes para que elas sejam naturalmente acomodadas antes de voltar aos piquetes de origem.

No vídeo abaixo estão as dicas completas de boas práticas de manejo na estação de monta. Clique no player:

VEJA TAMBÉM

Conheça os primeiros lotes classificados para a disputa de melhor de julho

Lotes de novilhas – Nelore e meio-sangue Angus – vieram de fazendas localizadas no estado de São Paulo, das cidades de Oriente e Marília

Formação correta de lotes para embarque é saudável para o animal e para o bolso do pecuarista

Não misturar categorias e homogeneizar o peso dos bovinos a serem transportados respeita o bem-estar e reduz o custo do pecuarista com o frete

Confira as fazendas em destaque do dia 19 de julho de 2019

Fazendas localizadas em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

8 passos para inserir sua fazenda na Lista Trace

Em todo o Brasil são cerca de 1.700 propriedades rurais habilitadas a exportar carne bovina para a União Europeia, reunindo um rebanho total de aproximadamente 4,5 milhões de cabeças

Sabe o cachorro que te acompanha no curral? Ele pode estar atrapalhando o desempenho do seu gado

24 julho 2018

Você sabe quais são os impactos das práticas de bem-estar na taxa de prenhez depois da estação de monta? O Giro do Boi desta terça, 24, levou o tema para discussão em entrevista concedida pelo médico veterinário William Delacqua, consultor em reprodução animal, ao repórter José Neto.

O especialista afirmou que a primeira condição para o sucesso da estação reprodutiva é que as fêmeas que vão passar pelos processo de inseminação artificial estejam calmas ao longo de todo o processo. “O pecuarista já investe um valor considerável em sêmen, produtos, qualificação, mão de obra e, muitas vezes, uma ferramenta que está na mão, que não custa nada, apenas conhecimento e treinamento, pode agregar e muito em termos de resultados, que é a forma com que esse gado pode ser conduzido até o curral. […] Tem detalhes que parece que podemos ignorar em alguns momentos, mas que podem agregar muito em termos de resultado e lucratividade”, destacou Delacqua.

Clique para curtir a página do Giro do Boi no Facebook

O veterinário acrescentou que é importante que as fêmeas não encontrem um ambiente adverso na comparação com que elas têm no dia a dia em seus piquetes. Um curral limpo, sem objetos estranhos e diferentes que chamem a atenção das matrizes é altamente desejável para o manejo. Além disso, uma situação que ocorre com frequência nas fazendas pelo Brasil pode atrapalhar a estação de monta: o melhor amigo do homem, o cachorro companheiro, não é necessariamente o melhor amigo das vacas. Quando estão presenciando o manejo reprodutivo, os animais podem ficar agitados e chamar atenção das fêmeas, o que pode estressá-las e provocar quedas na taxa de prenhez. Durante sua passagem pelo Brasil, a própria dra. Temple Grandin, uma das maiores referências mundiais em bem-estar animal, esclareceu que os cães podem atrapalhar manejos em currais.

+ Temple Grandin afirma que bovinos, que são presas, escondem mais a dor do que os cachorros, que são predadores; confira a entrevista exclusiva completa

Tecnicamente falando, o fator que causa tais prejuízos nos índices produtivos e reprodutivos é o cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. Em manejos mais delicados, como o da reprodução, seus efeitos são extremamente negativos, acrescentou Delacqua.

+ Vacina mal aplicada e até cachorro podem contaminar ser humano com brucelose

Outro fator importante para o sucesso da estação de monta é o pós-inseminação. Depois de encerrar os trabalhos no curral, o veterinário afirmou que caminhar com o lote por longas distâncias pode aumentar a carga de estresse e a temperatura corporal nas fêmeas, o que pode fazer com que a dose de sêmen utilizada seja inutilizada. Por isso, conforme a possibilidade, é importante reservar um piquete próximo ao curral para descanso das matrizes para que elas sejam naturalmente acomodadas antes de voltar aos piquetes de origem.

No vídeo abaixo estão as dicas completas de boas práticas de manejo na estação de monta. Clique no player:

VEJA TAMBÉM

Lotes de novilhas – Nelore e meio-sangue Angus – vieram de fazendas localizadas no estado de São Paulo, das cidades de Oriente e Marília

Não misturar categorias e homogeneizar o peso dos bovinos a serem transportados respeita o bem-estar e reduz o custo do pecuarista com o frete

Fazendas localizadas em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Em todo o Brasil são cerca de 1.700 propriedades rurais habilitadas a exportar carne bovina para a União Europeia, reunindo um rebanho total de aproximadamente 4,5 milhões de cabeças

Especialista recomenda o uso de tecnologias de controle no início das águas para reduzir custo com produtos e também para aumentar produtividade das pastagens o quanto antes

Disponibilidade de ingredientes enriquece a ração fornecida aos animais em cocho, que ganham, em média, 1,6 kg por dia

Não misturar categorias e homogeneizar o peso dos bovinos a serem transportados respeita o bem-estar e reduz o custo do pecuarista com o frete

Lotes de novilhas – Nelore e meio-sangue Angus – vieram de fazendas localizadas no estado de São Paulo, das cidades de Oriente e Marília

Especialista recomenda o uso de tecnologias de controle no início das águas para reduzir custo com produtos e também para aumentar produtividade das pastagens o quanto antes

Fazendas localizadas em São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE