Touro Braford dá certo em vaca F1?

31 janeiro 2020
Touro-Braford-cruzamento-f1-ou-tricross-dicas

A sexta-feira, 31, marcou a estreia do quadro Zadra Responde, em que o zootecnista Alexandre Zadra, escritor do recém-lançado livro “Caindo na braquiária”, autor do blog “Crossbreeding” e supervisor regional comercial da Genex para os estados do Acre, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia tira dúvidas de criadores a respeito do uso do cruzamento industrial em suas mais variadas vertentes.

A primeira pergunta foi feita pelo criador Ivan Bruns, que tem propriedade no município de Gaspar, no Vale do Itajaí catarinense:

“Fiz o primeiro cruzamento de Red Angus nas minhas (vacas) Nelore e agora comprei um touro Braford para usar nas minhas meio-sangue e também nas minhas Nelore. O que você acha? Nós somos pequenos produtores e matamos parte do rebanho dos machos após confinamento e outra parte vendemos na desmama”, indagou o pecuarista.

“O primeiro cruzamento você fez muito bem feito. O Angus na Nelore vai gerar uma fêmea de altíssima qualidade, precoce com ótima habilidade materna, desmamando sempre um bezerro muito bom. A segunda fase do cruzamento aí para Santa Catarina você também acertou, usando um bimestiço que vai gerar heterose e, ao mesmo tempo, uma certa adaptabilidade. O Braford na sua F1 vai fazer um bezerro muito pesado e uma fêmea também de qualidade. E você também fará um macho sobre as Nelore também de altíssima qualidade”, aprovou Zadra.

+ Potencial produtivo expande fronteiras do Hereford e Braford no Brasil

O especialista acrescentou ainda: “Recomendo que você use o Braford nas suas Nelore. Se você não tiver um europeu puro para usar, ou não estiver inseminando – o ideal seria inseminar com uma raça europeia, um Angus, e depois jogar o Braford em cima -, mas se você não tem, pode utilizar o touro Braford nas suas zebuínas que você vai ter um excelente resultado”, incentivou.

Veja a resposta completa no vídeo abaixo:

 

Qual é a sua dúvida sobre cruzamento industrial? Envie para o quadro ‘Zadra Responde” no link do Whatsapp do Giro do Boi, pelo número (11) 9 5637 6922 ou ainda pelo e-mail girodoboi@canalrural.com.br.

Foto: divulgação / ABHB

VEJA TAMBÉM

Área de baixa pressão forma canal de umidade que vai do Sudeste até a Amazônia

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

Tem dúvidas sobre bem-estar no transporte boiadeiro? Pergunte ao motorista

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Sindicato Rural de Governador Valadares-MG realiza edição do “Café Rural” dia 09/03

Friboi será parceira do evento que começa às 7h da manhã na sede do sindicato, localizado dentro do Parque de Exposições do município do Vale do Rio Doce

Confira os lotes em destaque do dia 28 de fevereiro de 2020

Lotes de propriedade em Minas Gerais e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Touro Braford dá certo em vaca F1?

31 janeiro 2020
Touro-Braford-cruzamento-f1-ou-tricross-dicas

A sexta-feira, 31, marcou a estreia do quadro Zadra Responde, em que o zootecnista Alexandre Zadra, escritor do recém-lançado livro “Caindo na braquiária”, autor do blog “Crossbreeding” e supervisor regional comercial da Genex para os estados do Acre, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia tira dúvidas de criadores a respeito do uso do cruzamento industrial em suas mais variadas vertentes.

A primeira pergunta foi feita pelo criador Ivan Bruns, que tem propriedade no município de Gaspar, no Vale do Itajaí catarinense:

“Fiz o primeiro cruzamento de Red Angus nas minhas (vacas) Nelore e agora comprei um touro Braford para usar nas minhas meio-sangue e também nas minhas Nelore. O que você acha? Nós somos pequenos produtores e matamos parte do rebanho dos machos após confinamento e outra parte vendemos na desmama”, indagou o pecuarista.

“O primeiro cruzamento você fez muito bem feito. O Angus na Nelore vai gerar uma fêmea de altíssima qualidade, precoce com ótima habilidade materna, desmamando sempre um bezerro muito bom. A segunda fase do cruzamento aí para Santa Catarina você também acertou, usando um bimestiço que vai gerar heterose e, ao mesmo tempo, uma certa adaptabilidade. O Braford na sua F1 vai fazer um bezerro muito pesado e uma fêmea também de qualidade. E você também fará um macho sobre as Nelore também de altíssima qualidade”, aprovou Zadra.

+ Potencial produtivo expande fronteiras do Hereford e Braford no Brasil

O especialista acrescentou ainda: “Recomendo que você use o Braford nas suas Nelore. Se você não tiver um europeu puro para usar, ou não estiver inseminando – o ideal seria inseminar com uma raça europeia, um Angus, e depois jogar o Braford em cima -, mas se você não tem, pode utilizar o touro Braford nas suas zebuínas que você vai ter um excelente resultado”, incentivou.

Veja a resposta completa no vídeo abaixo:

 

Qual é a sua dúvida sobre cruzamento industrial? Envie para o quadro ‘Zadra Responde” no link do Whatsapp do Giro do Boi, pelo número (11) 9 5637 6922 ou ainda pelo e-mail girodoboi@canalrural.com.br.

Foto: divulgação / ABHB

VEJA TAMBÉM

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Friboi será parceira do evento que começa às 7h da manhã na sede do sindicato, localizado dentro do Parque de Exposições do município do Vale do Rio Doce

Lotes de propriedade em Minas Gerais e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Em nova edição do quadro Zadra Responde, zootecnista destaca características dos machos para corte e matrizes F1 que resultam deste cruzamento

Segundo Nabih El-Aouar, produtor é incentivado a melhorar manejo, nutrição e inserção de tecnologias no rebanho, levando ganhos para toda a cadeia produtiva

Agrônomo explica quais as alturas ideais de entrada e saída do pastejo, taxa de lotação nas águas e na seca, efeitos da adubação e potencial de produção de matéria seca

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Segundo Nabih El-Aouar, produtor é incentivado a melhorar manejo, nutrição e inserção de tecnologias no rebanho, levando ganhos para toda a cadeia produtiva

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE