Calor e chuvas no RS ligam alerta de pecuaristas para carrapatos e verminoses

22 janeiro 2019
chuva-calor-verao-rio-grande-do-sul-2019

Nesta terça, 22, em entrevista ao Giro do Boi, o médico veterinário Gustavo Ilha, gestor de demanda da Boehringer Saúde Animal para a região da Campanha no Rio Grande do Sul, chamou atenção para a importância do controle de carrapatos e verminoses nesta época de calor e chuvas, uma configuração ideal para a reprodução dos parasitas.

“Esta alta umidade e o calor influenciam bastante tanto no carrapato, que nos assola bastante aqui no RS, quanto nas verminoses, então o pecuarista tem que estar atento a estes momentos em que o ambiente propicia um desenvolvimento das larvas, da eclosão de ovos. O mesmo ocorre com as verminoses. O ciclo é encurtado porque o ambiente é bastante propício”, explicou o veterinário.

O capim também se beneficia do calor e da umidade, que favorecem seu desenvolvimento, e a forrageira acaba virando mais um ambiente propício para os ectoparasitas, complementou Ilha.

“Nós trabalhamos sempre buscando o planejamento estratégico do programa sanitário prevendo estas alta incidências no verão, então trabalhando sempre no início do ciclo, na primavera, diminuindo a quantidade de carrapato nas pastagens, impedindo que caiam carrapatos na primavera e que estes carrapatos agora no verão não aumentem de volume e não ocorra uma alta infestação, assolando os animais. Por isso é muito importante o planejamento do programa sanitário”, indicou o veterinário.

Gustavo Ilha ainda explicou quais são os produtos recomendados para aplicações em horários diferentes do dia, detalhando quais moléculas são mais ativas quando utilizadas em picos de calor, por exemplo.

“E a verminose, não parece, mas ela causa mais prejuízo que o carrapato”, disse. Isto ocorre porque a maioria destas infecções são assintomáticas, portanto o pecuarista percebe o problema em poucos animais, enquanto os parasitas internos estão diminuindo a produtividade em até 90% do lote. O veterinário alertou que, nesta época do ano, assim como acontece com os carrapatos, 95% dos parasitas gastrointestinais estão presentes no ambiente, o que dificulta o controle sem um plano estratégico.

As recomendações completas estão no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Confira as fazendas em destaque do dia 23 de abril de 2019

Fazenda nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Cenário internacional é favorável para a pecuária brasileira, mas produtor deve estar atento à disputa entre China e EUA

Com os preços dos grãos atrativos e o aumento da demanda mundial por carnes, produtores brasileiros têm boas perspectivas para o mercado em 2019

Confira as fazendas em destaque do dia 22 de abril de 2019

Fazenda nos estados de São Paulo, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Definidos os dois primeiros lotes para a votação do melhor de abril

Lote de novilhas Nelore e outro de fêmeas tricross (Nelore, Angus e Wagyu) seguirão para a eleição no final do mês

Calor e chuvas no RS ligam alerta de pecuaristas para carrapatos e verminoses

22 janeiro 2019
chuva-calor-verao-rio-grande-do-sul-2019

Nesta terça, 22, em entrevista ao Giro do Boi, o médico veterinário Gustavo Ilha, gestor de demanda da Boehringer Saúde Animal para a região da Campanha no Rio Grande do Sul, chamou atenção para a importância do controle de carrapatos e verminoses nesta época de calor e chuvas, uma configuração ideal para a reprodução dos parasitas.

“Esta alta umidade e o calor influenciam bastante tanto no carrapato, que nos assola bastante aqui no RS, quanto nas verminoses, então o pecuarista tem que estar atento a estes momentos em que o ambiente propicia um desenvolvimento das larvas, da eclosão de ovos. O mesmo ocorre com as verminoses. O ciclo é encurtado porque o ambiente é bastante propício”, explicou o veterinário.

O capim também se beneficia do calor e da umidade, que favorecem seu desenvolvimento, e a forrageira acaba virando mais um ambiente propício para os ectoparasitas, complementou Ilha.

“Nós trabalhamos sempre buscando o planejamento estratégico do programa sanitário prevendo estas alta incidências no verão, então trabalhando sempre no início do ciclo, na primavera, diminuindo a quantidade de carrapato nas pastagens, impedindo que caiam carrapatos na primavera e que estes carrapatos agora no verão não aumentem de volume e não ocorra uma alta infestação, assolando os animais. Por isso é muito importante o planejamento do programa sanitário”, indicou o veterinário.

Gustavo Ilha ainda explicou quais são os produtos recomendados para aplicações em horários diferentes do dia, detalhando quais moléculas são mais ativas quando utilizadas em picos de calor, por exemplo.

“E a verminose, não parece, mas ela causa mais prejuízo que o carrapato”, disse. Isto ocorre porque a maioria destas infecções são assintomáticas, portanto o pecuarista percebe o problema em poucos animais, enquanto os parasitas internos estão diminuindo a produtividade em até 90% do lote. O veterinário alertou que, nesta época do ano, assim como acontece com os carrapatos, 95% dos parasitas gastrointestinais estão presentes no ambiente, o que dificulta o controle sem um plano estratégico.

As recomendações completas estão no vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM

Fazenda nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Com os preços dos grãos atrativos e o aumento da demanda mundial por carnes, produtores brasileiros têm boas perspectivas para o mercado em 2019

Fazenda nos estados de São Paulo, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Lote de novilhas Nelore e outro de fêmeas tricross (Nelore, Angus e Wagyu) seguirão para a eleição no final do mês

O presidente da Friboi no Brasil, Renato Costa, também disse que esta celebração do primeiro ano da marca de carnes 1953 atende às necessidades do consumidor que está cada vez mais exigente e esclarecido. “Ele sabe o que está levando para sua casa”, salientou, relembrando a importância do planejamento prévio pelos clientes/fornecedores, principalmente através de...

Expectativa de lucro pode variar de 2,8 a até 10,9@ por hectare, de acordo com exemplos reais de casos analisados pelo consultor Antônio Chaker

Expectativa de lucro pode variar de 2,8 a até 10,9@ por hectare, de acordo com exemplos reais de casos analisados pelo consultor Antônio Chaker

Queda de 15% no preço da soja diminui em 25% o lucro de fazenda que integra, enquanto o lucro de quem faz somente agricultura pode cair até 50%; veja cenário para o boi

Fazenda nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

O presidente da Friboi no Brasil, Renato Costa, também disse que esta celebração do primeiro ano da marca de carnes 1953 atende às necessidades do consumidor que está cada vez mais exigente e esclarecido. “Ele sabe o que está levando para sua casa”, salientou, relembrando a importância do planejamento prévio...

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE