Três pilares para engordar um boi de 20 arrobas aos 20 meses

18 agosto 2017
Fazenda Tereré

Nesta sexta, 18, o Giro do Boi levou ao ar trecho de uma palestra do médico veterinário e diretor do programa de melhoramento genético Nelore Qualitas, Leonardo Souza. A apresentação foi feita durante a Beef Expo 2017 e sua íntegra pode ser vista neste link.

Em sua palestra, Souza lamentou o fato de que 34% dos machos acima de 16@ abatidos no Brasil têm quatro anos ou mais. Segundo o veterinário, o ideal é reduzir a idade de abate, acelerar o giro do estoque dentro da porteira e, deste modo, aumentar a produtividade em arrobas por hectare ao ano.

Para tanto, o diretor do Nelore Qualitas selecionou três pilares para o pecuarista seguir e para produzir um boi de 20 arrobas abatido com até 20 meses. Veja abaixo:

1 -Estação de monta 70 dias: para o veterinário, esta é base todo processo. Isto porque se todas as vacas já pariram quando começa uma nova estação de monta na fazenda, o pecuarista tem um ganho operacional, pois a mão de obra fica toda voltada para cuidar da estação reprodutiva, sem perder foco cuidando de outras situações. “Só é possível uma vaca produzir um bezerro ao ano se estiver uma estação de 70 dias ou menos. Assim os bezerros são mais uniformes em relação ao peso, pois vão nascer todos em um período de pouco mais de dois meses, diferindo apenas em relação à genética”, indicou.

2: Emprenhar novilhas com 14 meses: “É bonito porque é possível produzir até 33% a mais de bezerros com a mesma quantidade de fêmeas na minha fazenda. Isso faz com que eu mude totalmente a quantidade de animais que eu posso vender no rebanho. Eu saio média brasileira de 20% pra 36% do rebanho”, afirma Souza, referindo-se à taxa de desfrute.

3 – Seleção para eficiência alimentar: “A gente quer animais mais eficientes para diminuir o custo produção e para que possa aumentar a lotação de pastos da fazenda”, resumiu o veterinário. Segundo ele, a meta do programa é selecionar bovinos mais eficientes que possam, nos próximos dez anos, aumentar em 10% a taxa de lotação das propriedades em que estiverem.

Sistema como esse,  destacou Leonardo Souza, alcançam produtividade de  até 18 arrobas por hectare ao ano. Veja abaixo a apresentação:

Veja também:

Como produzir 33% mais bezerros com o mesmo número de vacas?

VEJA TAMBÉM

Calor e tempo seco predominam sobre o Brasil Central nos próximos dias

Região já está há praticamente três meses sem chuvas; no Sul, chegada de frente fria traz geadas para o RS, SC e divisa do PR com SP

Vencedores da maior etapa do Circuito Nelore de Qualidade em 2019 são revelados

Etapa de Barra do Garças-MT, a 11ª do ano da série de abates da ACNB, reuniu 1.380 cabeças no feito no último dia 16

Três dicas para ganhar dinheiro com confinamento de gado de corte

Pesquisador da Embrapa afirma que pecuarista deve fugir das “receitas de bolo” para não perder oportunidades de buscar ingredientes alternativos no mercado

Novilhas recebem bônus superior a R$ 20 por arroba pela qualidade

Fêmeas cruzadas foram abatidas no Protocolo 1953 com peso médio de 15,8@ e marcaram 100% Verde no Farol da Qualidade

Três pilares para engordar um boi de 20 arrobas aos 20 meses

18 agosto 2017
Fazenda Tereré

Nesta sexta, 18, o Giro do Boi levou ao ar trecho de uma palestra do médico veterinário e diretor do programa de melhoramento genético Nelore Qualitas, Leonardo Souza. A apresentação foi feita durante a Beef Expo 2017 e sua íntegra pode ser vista neste link.

Em sua palestra, Souza lamentou o fato de que 34% dos machos acima de 16@ abatidos no Brasil têm quatro anos ou mais. Segundo o veterinário, o ideal é reduzir a idade de abate, acelerar o giro do estoque dentro da porteira e, deste modo, aumentar a produtividade em arrobas por hectare ao ano.

Para tanto, o diretor do Nelore Qualitas selecionou três pilares para o pecuarista seguir e para produzir um boi de 20 arrobas abatido com até 20 meses. Veja abaixo:

1 -Estação de monta 70 dias: para o veterinário, esta é base todo processo. Isto porque se todas as vacas já pariram quando começa uma nova estação de monta na fazenda, o pecuarista tem um ganho operacional, pois a mão de obra fica toda voltada para cuidar da estação reprodutiva, sem perder foco cuidando de outras situações. “Só é possível uma vaca produzir um bezerro ao ano se estiver uma estação de 70 dias ou menos. Assim os bezerros são mais uniformes em relação ao peso, pois vão nascer todos em um período de pouco mais de dois meses, diferindo apenas em relação à genética”, indicou.

2: Emprenhar novilhas com 14 meses: “É bonito porque é possível produzir até 33% a mais de bezerros com a mesma quantidade de fêmeas na minha fazenda. Isso faz com que eu mude totalmente a quantidade de animais que eu posso vender no rebanho. Eu saio média brasileira de 20% pra 36% do rebanho”, afirma Souza, referindo-se à taxa de desfrute.

3 – Seleção para eficiência alimentar: “A gente quer animais mais eficientes para diminuir o custo produção e para que possa aumentar a lotação de pastos da fazenda”, resumiu o veterinário. Segundo ele, a meta do programa é selecionar bovinos mais eficientes que possam, nos próximos dez anos, aumentar em 10% a taxa de lotação das propriedades em que estiverem.

Sistema como esse,  destacou Leonardo Souza, alcançam produtividade de  até 18 arrobas por hectare ao ano. Veja abaixo a apresentação:

Veja também:

Como produzir 33% mais bezerros com o mesmo número de vacas?

VEJA TAMBÉM

Região já está há praticamente três meses sem chuvas; no Sul, chegada de frente fria traz geadas para o RS, SC e divisa do PR com SP

Etapa de Barra do Garças-MT, a 11ª do ano da série de abates da ACNB, reuniu 1.380 cabeças no feito no último dia 16

Pesquisador da Embrapa afirma que pecuarista deve fugir das “receitas de bolo” para não perder oportunidades de buscar ingredientes alternativos no mercado

Fêmeas cruzadas foram abatidas no Protocolo 1953 com peso médio de 15,8@ e marcaram 100% Verde no Farol da Qualidade

Segundo zootecnista Antônio Chaker, o potencial de retorno financeiro da cria é de 35%; veja passo a passo para reverter o quadro

Fazendas localizadas em Tocantins, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os lotes e Farol da Qualidade.

Etapa de Barra do Garças-MT, a 11ª do ano da série de abates da ACNB, reuniu 1.380 cabeças no feito no último dia 16

Segundo zootecnista Antônio Chaker, o potencial de retorno financeiro da cria é de 35%; veja passo a passo para reverter o quadro

Fêmeas cruzadas foram abatidas no Protocolo 1953 com peso médio de 15,8@ e marcaram 100% Verde no Farol da Qualidade

Grupo de novilhas meio-sangue Angus de propriedade em Botucatu-SP marcou 100% Verde no Farol da Qualidade e segue para disputa de melhor do mês

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE