Como funciona o cruzamento industrial rotacionado?

10 fevereiro 2020
como-fazer-cruzamento-industrial-rotacionado-no-mato-grosso

“Zadra, como funciona o cruzamento rotacional? Um exemplo seria Nelore x Senepol x Braford?”, perguntou Lindon Johnson, de Pontes e Lacerda-MT para o quadro Zadra Responde que foi ao ar nesta segunda, 10.

O zootecnista Alexandre Zadra, autor do blog “Crossbreeding” e supervisor regional comercial da Genex para os estados do Acre, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia, sanou a dúvida e ainda apresentou outras alternativas sobre o cruzamento industrial rotacional.

“Lindon, sua pergunta é muito interessante. O cruzamento rotacional, ou rotacionado, serve para aqueles que têm pequena propriedade, que não tem capacidade ou possibilidade de compra de reposição de matrizes na sua região. Lembrando que no cruzamento rotacionado, você precisa sempre pensar que a matriz que nascerá, a bezerra que nascerá na sua fazenda deverá ter pelo curto, liso e brilhante, para ser um animal adaptado ao Mato Grosso, Pontes e Lacerda. Portanto, este exemplo que você dá, de usar sobre a Nelore uma raça tropical, como o Senepol, gerando um meio-sangue Senepol x Nelore, parabéns! Excelente escolha! E depois, ao você utilizar um Braford, você também gera heterose fazendo um animal também de pelo adaptado porque a mãe, sendo F1 Senepol x Nelore, ela é 100% tropical, quando você jogar um Braford, que é ⅝, você gera um animal também tropical, mais tropical do que animal de clima temperado”, aprovou Zadra.

O zootecnista alertou que na sequência destes cruzamentos, o criador deve evitar animais de sangue exclusivo europeu. “Sabendo que este tricross, filho de Braford na F1 Senepol x Nelore, é um animal que tem um pouquinho de sangue europeu, um pouquinho de sangue Hereford, é importante saber que nós não podemos retornar nesta vaca tricross de Braford na F1 Senepol Nelore uma raça europeia. O ideal é você utilizar um Bonsmara, ou utilizar um Brangus, ou mesmo um Santa Gertrudis, um Simbrasil, um Canchim, raças bimestiças, ok? Fazendo um animal novamente de pelo zero. No caso, você usando um Brangus, você tem um animal espetacular sobre este animal tricross”, recomendou.

Zadra apresentou ainda outro formato de cruzamento rotacionado, partindo da base da matriz Nelore. “O básico de tudo, quando a gente pensa em cruzamento, é que a gente pensa em heterose. Com o metabolismo adequado. O ideal seria você utilizar na sua Nelore um europeu de menor porte para fazer uma matriz boa, seja um britânico ou um Simental de pequeno porte, fazendo um meio-sangue, um F1 europeu x Nelore, para aí depois a gente entrar com Senepol, ou um Caracu em cima desta matriz F1 europeia x Nelore, ok? E aí você pode fazer um rotacionado depois, retornando Zebu nesta tricross“, completou.

Como devo cruzar o Angus na minha fazenda? Zadra responde!

Touro Braford dá certo em vaca F1?

Veja a resposta completa no vídeo abaixo:

 

“Eu estou à sua disposição para responder mais perguntas como esta no Giro do Boi”, convidou o especialista. Qual é a sua dúvida sobre cruzamento industrial? Envie para o quadro ‘Zadra Responde” no link do Whatsapp do Giro do Boi, pelo número (11) 9 5637 6922 ou ainda pelo e-mail girodoboi@canalrural.com.br.

Foto: Reprodução / Crossbreeding.com.br

VEJA TAMBÉM

Área de baixa pressão forma canal de umidade que vai do Sudeste até a Amazônia

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

Tem dúvidas sobre bem-estar no transporte boiadeiro? Pergunte ao motorista

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Sindicato Rural de Governador Valadares-MG realiza edição do “Café Rural” dia 09/03

Friboi será parceira do evento que começa às 7h da manhã na sede do sindicato, localizado dentro do Parque de Exposições do município do Vale do Rio Doce

Confira os lotes em destaque do dia 28 de fevereiro de 2020

Lotes de propriedade em Minas Gerais e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Como funciona o cruzamento industrial rotacionado?

10 fevereiro 2020
como-fazer-cruzamento-industrial-rotacionado-no-mato-grosso

“Zadra, como funciona o cruzamento rotacional? Um exemplo seria Nelore x Senepol x Braford?”, perguntou Lindon Johnson, de Pontes e Lacerda-MT para o quadro Zadra Responde que foi ao ar nesta segunda, 10.

O zootecnista Alexandre Zadra, autor do blog “Crossbreeding” e supervisor regional comercial da Genex para os estados do Acre, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia, sanou a dúvida e ainda apresentou outras alternativas sobre o cruzamento industrial rotacional.

“Lindon, sua pergunta é muito interessante. O cruzamento rotacional, ou rotacionado, serve para aqueles que têm pequena propriedade, que não tem capacidade ou possibilidade de compra de reposição de matrizes na sua região. Lembrando que no cruzamento rotacionado, você precisa sempre pensar que a matriz que nascerá, a bezerra que nascerá na sua fazenda deverá ter pelo curto, liso e brilhante, para ser um animal adaptado ao Mato Grosso, Pontes e Lacerda. Portanto, este exemplo que você dá, de usar sobre a Nelore uma raça tropical, como o Senepol, gerando um meio-sangue Senepol x Nelore, parabéns! Excelente escolha! E depois, ao você utilizar um Braford, você também gera heterose fazendo um animal também de pelo adaptado porque a mãe, sendo F1 Senepol x Nelore, ela é 100% tropical, quando você jogar um Braford, que é ⅝, você gera um animal também tropical, mais tropical do que animal de clima temperado”, aprovou Zadra.

O zootecnista alertou que na sequência destes cruzamentos, o criador deve evitar animais de sangue exclusivo europeu. “Sabendo que este tricross, filho de Braford na F1 Senepol x Nelore, é um animal que tem um pouquinho de sangue europeu, um pouquinho de sangue Hereford, é importante saber que nós não podemos retornar nesta vaca tricross de Braford na F1 Senepol Nelore uma raça europeia. O ideal é você utilizar um Bonsmara, ou utilizar um Brangus, ou mesmo um Santa Gertrudis, um Simbrasil, um Canchim, raças bimestiças, ok? Fazendo um animal novamente de pelo zero. No caso, você usando um Brangus, você tem um animal espetacular sobre este animal tricross”, recomendou.

Zadra apresentou ainda outro formato de cruzamento rotacionado, partindo da base da matriz Nelore. “O básico de tudo, quando a gente pensa em cruzamento, é que a gente pensa em heterose. Com o metabolismo adequado. O ideal seria você utilizar na sua Nelore um europeu de menor porte para fazer uma matriz boa, seja um britânico ou um Simental de pequeno porte, fazendo um meio-sangue, um F1 europeu x Nelore, para aí depois a gente entrar com Senepol, ou um Caracu em cima desta matriz F1 europeia x Nelore, ok? E aí você pode fazer um rotacionado depois, retornando Zebu nesta tricross“, completou.

Como devo cruzar o Angus na minha fazenda? Zadra responde!

Touro Braford dá certo em vaca F1?

Veja a resposta completa no vídeo abaixo:

 

“Eu estou à sua disposição para responder mais perguntas como esta no Giro do Boi”, convidou o especialista. Qual é a sua dúvida sobre cruzamento industrial? Envie para o quadro ‘Zadra Responde” no link do Whatsapp do Giro do Boi, pelo número (11) 9 5637 6922 ou ainda pelo e-mail girodoboi@canalrural.com.br.

Foto: Reprodução / Crossbreeding.com.br

VEJA TAMBÉM

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Friboi será parceira do evento que começa às 7h da manhã na sede do sindicato, localizado dentro do Parque de Exposições do município do Vale do Rio Doce

Lotes de propriedade em Minas Gerais e Mato Grosso do Sul foram destaques do quadro Giro pelo Brasil; confira os animais e Farol da Qualidade.

Em nova edição do quadro Zadra Responde, zootecnista destaca características dos machos para corte e matrizes F1 que resultam deste cruzamento

Segundo Nabih El-Aouar, produtor é incentivado a melhorar manejo, nutrição e inserção de tecnologias no rebanho, levando ganhos para toda a cadeia produtiva

Agrônomo explica quais as alturas ideais de entrada e saída do pastejo, taxa de lotação nas águas e na seca, efeitos da adubação e potencial de produção de matéria seca

Programa de capacitação de profissionais da logística do gado leva informações relevantes também aos pecuaristas dentro de sua porteira

Segundo Nabih El-Aouar, produtor é incentivado a melhorar manejo, nutrição e inserção de tecnologias no rebanho, levando ganhos para toda a cadeia produtiva

Minas Gerais deve voltar a sofrer com as chuvas intensas, que podem chegar aos 150 mm a partir desta sexta até o início da próxima semana

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE