Produtor indica como eliminar plantas daninhas no consórcio do pasto com Teca

11 dezembro 2019
plantas-daninhas-consorcio-pastagem-teca-ipf

Como se livrar de plantas daninhas arbustivas no consórcio de pastagem com Teca? O produtor Augusto Francisco, da Bacaeri Florestal, localizada em Alta Floresta, norte do Mato Grosso, explicou sua situação em mais um episódio da série Meu Pasto Extraordinário que foi ao ar pelo Giro do Boi desta quarta, 11. Sua relutância em usar defensivos era que os produtos pudessem prejudicar a espécie florestal.

Francisco lembrou que chegou à região de Alta Floresta-MT nos anos 90, pouco depois de seu irmão, e na sequência já adquiriram suas primeiras terras. “E descobrimos que aqui é um lugar com fertilidades de solo muito apropriadas para o plantio de Teca. E há cerca de dez anos a gente começou a fazer integração dela com a pastagem. Nós tínhamos pastagens todas elas com morte súbita. Nós não usamos herbicidas, produtos químicos por, até então, não conhecermos algum produto que não fosse interferir no desenvolvimento da Teca”, lembrou o produtor.

“(A propriedade) Apresentava plantas invasoras anuais e arbustivas, muitas delas já em fase reprodutiva e através da tecnologia XT, nós tivemos um controle efetivo superior a 95% das plantas invasoras”, informou o representante técnico comercial da Corteva Agriscience, Jontas Grubert, responsável pelo atendimento à Bacaeri Florestal.

“Fomos fazendo pesquisa junto com o pessoal da Corteva, a gente trouxe estes testes para cá, viu os outros produtos que eles têm e aí o lucro veio junto com isso. Porque a gente usou o produto certo nas pastagens certas. As doses melhoraram, as condições de aplicação melhoraram, então isso fez a gente ser cada vez mais parceiros”, celebrou Augusto Francisco.

“A Agro Amazônia desde sempre representou os produtos da Corteva. Essa tecnologia (linha XT) trouxe para a gente a opção de nós conseguirmos fidelizar ainda mais nossos clientes com os resultados que esse produto tem agregado no nosso dia a dia”, destacou o representante da Agro Amazônia em Alta Floresta.

“A gente vem acompanhando isso com muita seriedade, a aplicação das doses corretas que eles indicam para a gente fazer. É muito gratificante desenvolver um trabalho e colher o resultado”, concluiu o produtor.

Veja os outros episódios da série Meu Pasto Extraordinário
+ Série ‘Meu Pasto Extraordinário’ reúne casos de sucesso no controle de plantas daninhas
+ “O pasto produz, o capim cresce”, diz pecuarista sobre novo defensivo para plantas daninhas
“Precisa de paixão”, diz produtor da Bahia sobre sucesso na pecuária

Assista o terceiro episódio da série Meu Pasto Extraordinário pelo vídeo abaixo:

 

VEJA TAMBÉM

Conheça o novo app de transmissões do Canal Rural

Aplicativo Lance Rural permite ao usuário utilizar outras funções do celular enquanto acompanha eventos como leilões, palestras, dias de campo e julgamentos, além da tv ao vivo

Qual a diferença de trato do boi meio-sangue Angus para o Brangus ⅝?

Zootecnista Alexandre Zadra explicou que quanto maior o grau de sangue europeu, mais exigente é o animal em relação à nutrição

Chove no Nordeste no fim de semana; no Sul, temporais ocorrem a partir de 2ª

CE, RN, PI e MA deverão ver chuvas com certa intensidade a partir desta 6ª; no Sudeste, precipitações podem causar transtornos no sábado

Conheça os “anjos das estrada de terra” do MT

Produtores criaram associação para socorrer veículos atolados na Estrada do Matão, que liga Pontes e Lacerda-MT à Bolívia

Produtor indica como eliminar plantas daninhas no consórcio do pasto com Teca

11 dezembro 2019
plantas-daninhas-consorcio-pastagem-teca-ipf

Como se livrar de plantas daninhas arbustivas no consórcio de pastagem com Teca? O produtor Augusto Francisco, da Bacaeri Florestal, localizada em Alta Floresta, norte do Mato Grosso, explicou sua situação em mais um episódio da série Meu Pasto Extraordinário que foi ao ar pelo Giro do Boi desta quarta, 11. Sua relutância em usar defensivos era que os produtos pudessem prejudicar a espécie florestal.

Francisco lembrou que chegou à região de Alta Floresta-MT nos anos 90, pouco depois de seu irmão, e na sequência já adquiriram suas primeiras terras. “E descobrimos que aqui é um lugar com fertilidades de solo muito apropriadas para o plantio de Teca. E há cerca de dez anos a gente começou a fazer integração dela com a pastagem. Nós tínhamos pastagens todas elas com morte súbita. Nós não usamos herbicidas, produtos químicos por, até então, não conhecermos algum produto que não fosse interferir no desenvolvimento da Teca”, lembrou o produtor.

“(A propriedade) Apresentava plantas invasoras anuais e arbustivas, muitas delas já em fase reprodutiva e através da tecnologia XT, nós tivemos um controle efetivo superior a 95% das plantas invasoras”, informou o representante técnico comercial da Corteva Agriscience, Jontas Grubert, responsável pelo atendimento à Bacaeri Florestal.

“Fomos fazendo pesquisa junto com o pessoal da Corteva, a gente trouxe estes testes para cá, viu os outros produtos que eles têm e aí o lucro veio junto com isso. Porque a gente usou o produto certo nas pastagens certas. As doses melhoraram, as condições de aplicação melhoraram, então isso fez a gente ser cada vez mais parceiros”, celebrou Augusto Francisco.

“A Agro Amazônia desde sempre representou os produtos da Corteva. Essa tecnologia (linha XT) trouxe para a gente a opção de nós conseguirmos fidelizar ainda mais nossos clientes com os resultados que esse produto tem agregado no nosso dia a dia”, destacou o representante da Agro Amazônia em Alta Floresta.

“A gente vem acompanhando isso com muita seriedade, a aplicação das doses corretas que eles indicam para a gente fazer. É muito gratificante desenvolver um trabalho e colher o resultado”, concluiu o produtor.

Veja os outros episódios da série Meu Pasto Extraordinário
+ Série ‘Meu Pasto Extraordinário’ reúne casos de sucesso no controle de plantas daninhas
+ “O pasto produz, o capim cresce”, diz pecuarista sobre novo defensivo para plantas daninhas
“Precisa de paixão”, diz produtor da Bahia sobre sucesso na pecuária

Assista o terceiro episódio da série Meu Pasto Extraordinário pelo vídeo abaixo:

 

VEJA TAMBÉM

Aplicativo Lance Rural permite ao usuário utilizar outras funções do celular enquanto acompanha eventos como leilões, palestras, dias de campo e julgamentos, além da tv ao vivo

Zootecnista Alexandre Zadra explicou que quanto maior o grau de sangue europeu, mais exigente é o animal em relação à nutrição

CE, RN, PI e MA deverão ver chuvas com certa intensidade a partir desta 6ª; no Sudeste, precipitações podem causar transtornos no sábado

Produtores criaram associação para socorrer veículos atolados na Estrada do Matão, que liga Pontes e Lacerda-MT à Bolívia

Modelos mais básicos de cruzamentos podem reduzir um ano do ciclo do boi, mas pecuarista deve estar organizado para intensificar tanto produção quanto gestão

Como a forrageira é de ciclo curto, pecuarista deve intensificar os tratos; veja ainda como controlar as plantas daninhas murici e capim rabo-de-burro

Zootecnista Alexandre Zadra explicou que quanto maior o grau de sangue europeu, mais exigente é o animal em relação à nutrição

CE, RN, PI e MA deverão ver chuvas com certa intensidade a partir desta 6ª; no Sudeste, precipitações podem causar transtornos no sábado

Produtores criaram associação para socorrer veículos atolados na Estrada do Matão, que liga Pontes e Lacerda-MT à Bolívia

Como a forrageira é de ciclo curto, pecuarista deve intensificar os tratos; veja ainda como controlar as plantas daninhas murici e capim rabo-de-burro

DIREITO AGRÁRIO

Participe do Giro do Boi

NEWSLETTER

Receba as notícias do Giro do Boi gratuitamente em seu e-mail

CADASTRE-SE